Anúncio Publicitário

A CRÓNICA: REAL MADRID DA AULA DE CONTRA-ATAQUE E DERROTA BARCELONA EM PLENO CAMP NOU LOTADO

O primeiro El Clásico após a era Messi na Catalunha, começou com a posse de bola do FC Barcelona. A pressão inicial significou muito para a recuperação da posse da bola para os mandantes, enquanto o Real Madrid CF apenas estudava as melhores saídas de jogo.

A primeira grande oportunidade veio através de uma bela jogada individual de Vinicius Junior. Enquanto o relógio marcava 20 minutos de jogo, o avançado merengue meteu a bola entre as pernas de Mingueza e ainda passou por outro defensor que apenas impediu Vinicius com um toque na grande área. Mesmo assim, o árbitro não entendeu como penálti e mandou o jogo seguir.

Anúncio Publicitário

Em seguida, a resposta do Barcelona veio. Depay puxou um contra-ataque ao ganhar na velocidade de Militão e passou para o outro lado do campo para Dest, que livre na grande área jogou a bola por cima da baliza, perdendo uma incrível oportunidade para o Barcelona.

Por volta dos 30 minutos da primeira etapa, enquanto o Barcelona permanecia com a posse da bola, o defensor austríaco recuperou a bola e começou um contra-ataque. Em meio a isso, a bola passou nos pés de Casemiro, Benzema, Vini Junior até finalizar no mesmo jogador que começou a trama. David Alaba livre pelo lado esquerdo que arremata forte no canto da baliza sem oportunidades para Ter Stegen.

A vitória parcial encerrou a primeira parte do jogo. Enquanto o Barcelona permanecia com a bola, os contra-ataques puxados principalmente por Vinicius Junior encaminharam as principais e mais perigosas oportunidades do jogo.

Para o segundo tempo, o jogo ganhou em velocidade e volume de jogo. Principalmente por parte do Barcelona, que progrediu no aumento de volume de jogo, entretanto, a qualidade no passe e no remate final impediram que o equipa da casa jogasse a bola no fundo das redes.

A partir dos 70 minutos, o Real Madrid fechou as linhas de jogo, formando uma tática reativa preparada para o contra-ataque. De forma contrária, os donos da casa necessitando do resultado mantinham o controlo da bola.

O jogo nos últimos minutos ganhou em emoção. Aos 94 minutos, o Barcelona pressionava com total força, e após falhar uma oportunidade em que Piqué, no ataque, distribuiu a bola para Depay que jogou para Coutinho, que não aproveitou. Ao mesmo tempo, em que Carvajal afastou a bola, e Asensio puxou o contra-ataque levou aproveitou da ausência de Piqué na defesa. O espanhol rematou, mas Ter Stegen ainda defendeu, mesmo assim Lucas Vázquez aproveitou a sobra e jogou a bola para o fundo das redes.

Mesmo faltando dois minutos para o final do jogo, o Barcelona ainda aproveitou a desconcentração eufórica do Real Madrid e Aguero no meio da grande área recebeu o cruzamento da direita de Coutinho e diminuiu o resultado para os donos da casa.

Além disso, o Barça lutou sem sucesso para destravar a defesa do Real Madrid, que conseguiu segurar um grande resultado no El Clássico. Desta forma, o Barcelona permanece numa crise oriunda desde o início da época. Por outro lado, o Real Madrid permanece nas primeiras posições e ganha confiança para o restante do campeonato.

 

A FIGURA

David Alaba – A principal contratação do clube da realeza espanhola provou o seu valor no seu primeiro el clássico. Consistente na defesa, a sua principal característica, a polivalência, foi fundamental no primeiro golo do Real Madrid. Ao roubar a bola e progredir, movimentando-se e arrematando de forma precisa, Alaba é sim, alguém que agrega e eleva a qualidade do plantel merengue.

O FORA DE JOGO
Frenkie De Jong
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Frankie De Jong O médio holandês sentiu muito o peso da pressão da nova era sem Messi. A sua movimentação por vezes se confunde com a de Busquets em que atrapalha a criação de jogo catalã. Durante o El Clássico, De Jong demonstrou pouca concentração, ao perder diversas vezes a bola na zona de meio-campo. Além disso, em meio ao jogo, poucas vezes o nome do médio do Barcelona foi falado no jogo.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC BARCELONA

O técnico Koeman apostou no usual 433 em formação de ataque, que se transformou em um 4-1-4-1 na formação de defesa. Como grande novidade, Sergiño Dest foi deslocado como um ponteiro no lado direito, enquanto Depay foi deslocado para o lado esquerdo também como ponteiro, apenas sobrando Ansu Fati como Ponta de Lança.

Para o segundo tempo, o péssimo desempenho do lado direito catalão fez com que Koeman lançasse Coutinho como ponteiro e deslocasse Dest para lateral direita. Além disso, Ansu Fati por diversas vezes, trocou de posição com Depay para confundir a defesa do Real Madrid.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ter Stegen (5)

Mingueza (4)

Piqué (4)

Garcia (5)

Jordi Alba (6)

Busquets (5)

Gavi (5)

Frank de Jong (4)

Dest (6)

Memphis Depay (6)

Ansu Fati (6)

SUBS UTILIZADOS

Coutinho (6)

Kun Aguero (6)

Sergi Roberto (5)

Luuk de Jong (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – REAL MADRID CF

Os merengues foram ao Camp Nou com tudo que há de mais bem-disposto no seu plantel. O 4-3-3 continua como grande escolha de Ancelotti. Além de contar com a “trinca” campeão com Kross, Modric e Casemiro, a grande novidade está na lateral esquerda com a volta de Mendy.

O lateral francês, desempenhou a função de deslocar a marcação de Dest, para deixar Vinicius Jr. favorecido para a criar jogadas individuais no um-contra-um. Para o segundo tempo, a entrada de Valverde deu mais consistência no meio para conter a movimentação de Coutinho.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Courtois (6)

Vázquez (7)

Éder Militão (6)

Alaba (7)

Mendy (5)

Modric (5)

Casemiro (5)

Kross (4)

Rodrygo (5)

Vini Jr. (7)

Benzema (6)

SUBS UTILIZADOS

Valverde (4)

Asensio (6)

Carvajal (5)

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome