logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Club Atlético de Madrid

Club Atlético de Madrid 1-0 Real Madrid CF: Atlético aproveita-se de Real em modo gestão

A CRÓNICA: COLCHONEROS COM PÉ E MEIO NA PRÓXIMA EDIÇÃO DA LIGA DOS CAMPEÕES

A contar para a 35ª jornada da Liga Espanhola, o Club Atlético de Madrid recebia, no Wanda Metropolitano, o Real Madrid CF, num dos dérbis mais quentes da Europa. A equipa da casa entrava em campo com a boa noticia de que os seus principais rivais na luta pelo acesso à liga dos campeões tinham escorregado (Sevilha empatou, Bétis e Real Sociedad perderam). Já o Real Madrid depois de uma eliminatória esgotante contra o Manchester City FC, chegava a este jogo com o campeonato “no bolso” e com a missão de fazer descansar alguns jogadores.

Na 1ª parte, estas alterações dos Blancos fizeram-se sentir, resultando num domínio dos comandados por Simeone durante a totalidade da primeira metade. Um Atlético que procurava o golo de forma rápida e direta, e onde se iam destacando Yannick Ferreira Carrasco (uma autêntica dor de cabeça para Lucas Vázquez), autor do golo aos 40 minutos, através de uma grande penalidade, e Kondogbia, um verdadeiro “polvo” no meio-campo dos Colchoneros. Do lado do Real Madrid ia-se sentindo a falta de rotina de alguns jogadores e o cansaço de outros, resultando numa 1ª parte quase inexistente em termos ofensivos.

A 2ª parte pode ser dividida em duas metades. Nos primeiros 20/25 minutos o jogo foi uma cópia da 1ª parte, com um Real Madrid em gestão e sem a pressão de ter que ganhar a partida e um Atlético que procurou aumentar a vantagem, garantindo assim os importantes 3 pontos. A partir daí, e com a entrada de alguns jogadores chave lançados por Carlo Ancelotti, como Modric, Mendy, Vini Jr. ou Valverde, o jogo foi equilibrando e passou a existir várias oportunidades de golo para ambas as equipas. No cômputo geral, os “colchoneros” foram melhores que os Blancos e saíram uns justos vencedores do “Él Derbi”.

 

A FIGURA

Yannick Ferreira Carrasco – Fez da vida dos defesas do Real Madrid um autêntico inferno, principalmente na primeira parte. Sempre muito irreverente e sem medo, foi sem dúvida a principal arma ofensiva de Simeone.

 

O FORA DE JOGO

Luka Jovic – Pouco se viu do avançado sérvio que teve a dura missão de substituir Karim Benzema. Uma noite onde foi notória a falta de entrosamento com a equipa, e que reforça a falta de um avançado Blanco capaz de substituir o francês.

 

ANÁLISE TÁTICA – CLUB ATLÉTICO DE MADRID

Os comandados por Diego Simeone entraram em campo num 4-4-2, e com um objetivo muito claro: vencer o jogo. Com Correa e Matheus Cunha como referências ofensivas muito móveis e velozes, o Atlético optou por pressionar alto o Real Madrid recuperando muitas vezes a bola no meio-campo adversário e lançando rapidamente essas mesmas referências, às quais se juntavam Carrasco e Marcos Llorente. Sempre com os olhos na baliza contrária, os colchoneros tentavam chegar ao golo de forma direta e rápida, ao contrário dos atuais campeões espanhóis.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

J. Oblak (7)

Vrsaljko (5)

Savic (6)

Gimenez (5)

Reinildo (5)

M. Llorente (6)

Koke (6)

Kondogbia (8)

Carrasco (7)

A. Correa (5)

M. Cunha (6)

SUBS. UTILIZADOS

Griezmann (5)

Felipe (-)

Rodrigo De Paul (-)

Renan Lodi (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – REAL MADRID CF

O Real Madrid entrou para este jogo sem pressão nenhuma e isso foi notório, desde a forma de jogar, até aos risos entre alguns jogadores e membros da equipa técnica mesmo estando a perder. Carlo Ancelotti escalou o seu típico 4-3-3, com bastantes mudanças o que alterou grande parte das dinâmicas que a equipa costuma ter. Os Blancosmantiveram-se iguais a si próprios no momento de construção, querendo sair sempre a jogar em posse desde o guarda-redes, o que tornou mais fácil a pressão do Atlético. A partir do momento em que alguns dos jogadores chave entraram em campo, a equipa começou a funcionar melhor e acabou mesmo a partida a encostar os Colchoneros às cordas.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

A. Lunin (6)

L. Vazquez (5)

Eder Militão (5)

J. Vallejo (5)

N. Fernandez (6)

Casemiro (5)

Toni Kroos (5)

E. Camavinga (5)

Rodrygo (5)

Luka Jovic (4)

Marco Asensio (6)

SUBS. UTILIZADOS

Fede Valverde (6)

Vinicius Jr. (6)

Luka Modric (6)

F. Mendy (5)

 

Rescaldo da opinião de Renato Soares.

O Renato é natural de Aveiro mas atualmente reside em Lisboa. Está, neste momento, a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Tem no futebol a sua maior paixão, mas é um aficionado pelo mundo do desporto. Desde futebol até à Fórmula 1, passando pelo basquetebol e andebol, se for um desporto, tem lugar garantido na vida do aveirense.

O Renato é natural de Aveiro mas atualmente reside em Lisboa. Está, neste momento, a tirar uma licenciatura em Ciências da Comunicação no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa. Tem no futebol a sua maior paixão, mas é um aficionado pelo mundo do desporto. Desde futebol até à Fórmula 1, passando pelo basquetebol e andebol, se for um desporto, tem lugar garantido na vida do aveirense.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA