logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

SC Braga jogadores reforçar

SC Braga 1-0 Rangers FC: Meia tarefa cumprida com distinção

A CRÓNICA: MARCAR, CONTROLAR E SEGURAR

Nas bancadas do Municipal de Braga o ambiente frenético foi transportado para dentro do campo. SC Braga e Rangers FC discutiam a primeira mão dos quartos de final da Liga Europa, com os bracarenses a sair em vantagem para o jogo na Escócia. Se há palavra que define este duelo entre Gverreiros e Rangers é intensidade.

Entrada forte dos protestantes que fez o SC Braga ter alguns calafrios nos momentos iniciais. Os ataques rápidos dos escoceses causaram alguma dificuldade para os bracarenses conseguirem sair e responder. Kent tentou aos cinco minutos, Matheus respondeu presente. Após os 15 minutos frenéticos do Rangers FC, os Gverreiros do Minho tomaram conta do jogo.

Em ataque mais organizado, os pupilos de Carvalhal foram duas vezes à horta do golo. Aos 24´ Ricardo esbarrou no poste, aos 26´ André esbarrou no VAR. Golo anulado por falta no decorrer da jogada por parte de Fabiano. Tardou, mas chegou. Abel Ruiz, com instinto matador, não perdoou aos 39 minutos. Após erro de Balogun a tirar a bola, o espanhol com um remate mortífero colocou o esférico junto ao poste direito e abriu o ativo.

O segundo tempo não teve tantas oportunidades como o primeiro. O SC Braga entrou melhor, mas foi consentindo alguma superioridade do Rangers FC na tentativa de segurar a vantagem. A melhor oportunidade acabou por ser mesmo dos bracarenses, com André Horta a surpreender com um remate de fora da área aos 78 minutos. McGregor com uma defesa pouco ortodoxa aliviou o perigo. Até final a turma de Carlos Carvalhal resistiu com alguma tranquilidade aos ataques do Rangers FC e leva a vantagem de um golo para a segunda mão.

 

A FIGURA

SC Braga x Rangers FC
Fonte: Bola na Rede

Fabiano – Que jogaço do defesa bracarense. Fabiano foi mais do que eficaz a responder a todas as bolas que rondavam a baliza bracarense. Parou um contra golpe perigoso encabeçado por Kent e não permitiu qualquer contrapé na defensiva do SC Braga.

Fabiano ainda colaborou no ataque, construi bem, deu equilíbrio à equipa e sempre que subia no terreno causou algum desconforto nas marcações dos protestantes. Um jogo de tirar o chapéu.

 

O FORA DE JOGO

SC Braga x Rangers FC
Fonte: Bola na Rede

Balogun – Jogo para esquecer do defesa. Fica mal no primeiro golo. Depois da tentativa de corte desajeitada, a bola chegou ao pé de Abel, que não perdoou. Além disso, o central não ajudou e ainda complicou a tarefa de Bassey já que falhou em muitas dobras defensivas.

Se a defender estava mau, a construir e a sair estava péssimo. A bola parecia queimar para Balogun, e o nigeriano tremeu com a redonda nos pés. Teve uma ou outra entrega de bola infantil que podiam ter sido mais bem aproveitadas por parte do SC Braga.

 

ANÁLISE TÁTICA – SC BRAGA

Em momento defensivo o SC Braga apresentou-se, inicialmente, em 4-4-2, sendo que a linha defensiva acabou por ficar a 5, no fim da primeira parte. Assim, em 5-4-1, a defender, Yan Couto assumia a linha direita, Fabiano fechava o meio com Tormena e David Carmo descaía à esquerda, e mais à esquerda, Rodrigo Gomes vigiava a projeção de Arfield. Abel Ruiz e Ricardo Horta pressionavam os dois na frente, Iuri Medeiros e Rodrigo Gomes recuava no terreno e fechavam com os dois médios.

No momento ofensivo, a equipa desdobrava-se para um 3-5-2, com Yan Couto a expandir-se à direita, no apoio a Iuri Medeiros. Tormena assumiu o centro da defesa, e Al Musrati descia para dar apoio na saída. Na frente uma linha de três com Iuri, Abel e Ricardo Horta. Rodrigo Gomes no momento de ataque dava apoio nas costas de Ricardo Horta.

A pressionar alto no momento defensivo com um bloco alto, o SC Braga procurou um futebol apoiado no momento ofensivo, e a explorar as desmarcações nas costas da defesa do adversário.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Matheus (7)

Fabiano (9)

Tormena (7)

David Carmo (7)

Yan Couto (6)

Al Musrati (7)

André Horta (7)

Rodrigo Gomes (8)

Iuri Medeiros (7)

Abel Ruiz (7)

Ricardo Horta (7)

SUBS UTILIZADOS

Miguel Falé (5)

Vitinha (6)

Lucas Mineiro (5)

Castro (-)

Paulo Oliveira (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – RANGERS FC

O Rangers FC apareceu com um 4-2-3-1. Lundstram e Jack jogavam lado a lado, Sakala assumiu sozinho a frente. Os escoceses procuraram sair em contra ataque rápido após recuperação. O Rangers FC tentou no aproveitar a velocidade de Sakala e Kent para atacar a profundidade da defesa bracarense e esticar a equipa na frente.

Ryan Jack e Lundstram ficaram encarregues de proteger o miolo da formação, enquanto Kamara, a jogar mais atrás do avançado, tentou recuperar bolas altas e lançar os homens da frente, sempre que possível.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

McGregor (3)

Tavernier (5)

Bassey (6)

Goldson (5)

Balogun (2)

Lundstram (4)

Arfield (4)

Ryan Jack (4)

Kent (4)

Kamara (5)

Sakala (5)

SUBS UTILIZADOS

Aribo (4)

Barisic (3)

Roofe (4)

Quem conhece o João sabe que a bola já faz parte dele. A paixão pelo desporto levou-o até à Universidade do Minho para estudar Ciências da Comunicação. Tem o sonho de fazer jornalismo desportivo e viver todos os estádios.

Quem conhece o João sabe que a bola já faz parte dele. A paixão pelo desporto levou-o até à Universidade do Minho para estudar Ciências da Comunicação. Tem o sonho de fazer jornalismo desportivo e viver todos os estádios.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA