A CRÓNICA – NÃO HÁ FOME QUE NÃO DÊ EM FARTURA

A jornada 14 da Liga Inglesa trouxe o regresso dos fervorosos embates entre o Manchester United FC e o Leeds United FC ao principal palco do futebol inglês. O regresso da formação treinada por Marcelo Bielsa à divisão de topo promoveu este reencontro, pelo qual os adeptos ansiavam.

Anúncio Publicitário

A partida começou com um ritmo bastante elevado e não tardou até que surgisse o primeiro golo. Logo no segundo minuto, Bruno Fernandes assistiu Scott McTominay que, com um pontapé rasteiro de fora da área, abriu as contas do encontro. O médio escocês não estava satisfeito e, um minuto depois, aproveitou um excelente passe de Anthony Martial para dobrar a vantagem dos “Red Devils”. Três minutos de jogo e já 2-0 para a equipa de Manchester.

Os homens de Ole Gunnar Solskjaer não pararam de causar calafrios à frágil defesa do Leeds e, em cima do minuto 20, foi a vez de Bruno Fernandes “fazer o gosto ao pé”. Um potente remate cruzado não deu qualquer hipótese ao jovem Meslier, colocando contornos de goleada no resultado, apesar de ainda ser numa fase inicial da partida.

Depois destes três golos sem resposta, o Leeds começou a tentar reagir e puxava para si o controlo da posse de bola. Contudo, as saídas para ataque do Manchester United impunham sempre um ritmo estonteante. Ora, foi depois de um ataque rápido que surgiu um pontapé de canto ao qual Victor Lindelof respondeu afirmativamente e dilatou ainda mais a vantagem dos “Red Devils”. Antes do intervalo, o capitão Liam Cooper ainda reduziu para os “Whites”, colocando o resultado em 4-1 no período de descanso.

No segundo tempo, apesar de uma entrada melhor do Leeds United, foram os homens de Manchester que continuaram a “faturar”. Com 66 minutos de jogo, Daniel James justificou a aposta de Solskjaer ao aparecer sozinho na área adversária e aumentando a vantagem. Minutos depois, foi a vez de Bruno Fernandes “bisar”, desta feita de penálti, e fazer o 6-1.

O Leeds ainda reduziu para 6-2, por Stuart Dallas, ao minuto 73, mas não passou de um golo de consolação. A partida terminou com goleada a favor do Manchester United, que assim sobe ao terceiro lugar da Liga Inglesa, mas com menos um jogo do que os rivais diretos. Já no Leeds United, haverá muito para Marcelo Bielsa acertar e, sobretudo, terá de motivar os seus homens depois de uma derrota tão pesada.

 

A FIGURA

Scott McTominay – O início fulguroso do médio escocês ofereceu uma vantagem confortável ao Manchester United, numa altura muito inicial da partida. Para além disso, manteve-se sólido e assertivo durante todo o encontro, fazendo uma exibição muito completa. Notável!

 

O FORA DE JOGO

Primeira parte do Leeds United FC – Desastroso começo dos comandados de Marcelo Bielsa, que deram uma parte de avanço ao adversário. Os dois golos sofridos nos primeiros três minutos abalaram a equipa e não mais foram capazes de apanhar o Manchester United. Uma derrota difícil de digerir.

 

ANÁLISE TÁTICA – MANCHESTER UNITED FC

Alinhados em 4-2-3-1, os “Red Devils” entraram a “todo o gás” e tiveram um protagonista improvável na finalização: Scott McTominay. O médio escocês, que fez par no meio-campo com Fred, ativou o “instinto matador” e não perdoou. Na frente de ataque, Bruno Fernandes voltou a ser o “maestro”, com destaque para a aposta em Daniel James na ala direita. Já o setor defensivo esteve seguro, não havendo espaço para os habituais facilitismos que têm assombrado a equipa de Solskjaer.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

David De Gea (6)

Aaron Wan-Bissaka (6)

Victor Lindelof (6)

Harry Maguire (6)

Luke Shaw (6)

Scott McTominay (8)

Fred (7)

Daniel James (7)

Bruno Fernandes (8)

Marcus Rashford (7)

Anthony Martial (6)

SUBS UTILIZADOS

Alex Telles (6)

Edinson Cavani (6)

Donny van de Beek (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – LEEDS UNITED FC

Os homens de Marcelo Bielsa, dispostos em 4-4-2, tiveram um início de jogo desastroso, facto que abalou o rendimento da equipa. Com uma defesa muito “remendada”, devido às adaptações de Stuart Dallas a central e de Alioski a lateral esquerdo, os “Whites” também sofreram devido à ineficácia dos dois médios mais centrais, Phillips e Klich, que foram substituídos ao intervalo. No ataque, Rodrigo esteve muito errático e Bamford muito isolado.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Illan Meslier (5)

Luke Ayling (4)

Liam Cooper (4)

Stuart Dallas (4)

Ezgjan Alioski (4)

Kalvin Phillips (4)

Mateusz Klich (4)

Raphinha (5)

Jack Harrison (5)

Rodrigo Moreno (4)

Patrick Bamford (5)

SUBS UTILIZADOS

Pascal Struijk (5)

Jamie Shackleton (5)

Leif Davis (5)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome