Grande em Itália, pequena na Europa

    Com dois títulos de campeã italiana nas duas últimas temporadas e um percurso, até ao momento, que deixa antever um terceiro título consecutivo, a Juventus não conseguiu ser grande fora de portas.

    O epílogo da prestação bianconera na Liga dos Campeões escreveu-se em dois capítulos frios e atribulados na única cidade que se divide em dois continentes. Em Istambul, a Juve caiu perante o Galatasaray, numa partida que começou na noite de terça-feira, mas só foi finalizada ao início da tarde do dia seguinte. Tudo isto porque um forte nevão, que assolou a cidade turca, pintou de branco o relvado da Turk Telekom Arena ao ponto de tornar as condições de jogo impossíveis. O episódio levou a que o árbitro português Pedro Proença interrompesse o encontro 35 minutos após o apito inicial, numa altura em que o marcador registava um 0-0.

    Um forte nevão levou à interrupção do encontro / Fonte: www.reuters.com
    Um forte nevão levou à interrupção do encontro / Fonte: www.reuters.com

    O empate até servia as pretensões da formação de Antonio Conte, mas ainda teria de ser jogada mais uma hora de futebol que se revelou fatal para a Juve.

    Num relvado mal tratado pela neve e claramente mais limpo na metade em que o Galatasaray atacou na segunda parte, assistiu-se a um assalto repetido à baliza de Buffon por parte dos jogadores da equipa turca. A pressão enorme dentro das quatro linhas foi reforçada pelas vozes incansáveis dos adepto, que empurraram a equipa rumo ao golo que viria a dar a qualificação. Aos 85 minutos, Wesley Sneijder, a passe de Didier Drogba, rematou cruzado para o fundo da baliza da Juve, sentenciando o encontro e as hipóteses da equipa italiana. O triunfo aqueceu as gélidas bancadas da Turk Telekom Arena, numa temporada que tem sido difícil para o Galatasaray a nível interno, uma vez que a equipa está já a uma distância considerável do eterno rival Fenerbahçe.

    Os jogadores do Galatasaray festejam a passagem aos oitavos de final / Fonte: cyprus-mail.com
    Os jogadores do Galatasaray festejam a passagem aos oitavos de final / Fonte: cyprus-mail.com

    Apesar de ter sido esta derrota em Istambul a relegar a equipa da Juve para a Liga Europa, a verdade é que os empates em Copenhaga e em casa frente ao Galatasaray foram resultados bem mais comprometedores. Sem estes quatro pontos perdidos, a equipa de Antonio Conte não teria caído da Liga Milionária, onde no ano passado chegou aos quartos-de-final. Contas feitas, a Juventus pode e deve queixar-se de si própria e não justificar este falhanço na Champions com as condições de jogo adversas em Istambul.

    O maior factor de motivação para a Juve reside agora numa possível chegada à final da Liga Europa, que se disputa no seu estádio. Jogar o encontro decisivo de uma competição europeia no seu terreno, perante milhares de tiffosi espalhados não só nas bancadas mas por toda a cidade, será certamente um objectivo que a formação do Norte de Itália não quererá desperdiçar, tentando aliar a isso a conquista do campeonato pela terceira vez consecutiva.

    Com a renovação de Vidal consumada e as de Pirlo e Pogba em cima da mesa, espera-se agora que a Juve consiga ser grande em Itália, mas também grande na Europa dos mais pequeninos.

    - Advertisement -

    Subscreve!

    Artigos Populares

    Quem vai conseguir contratar Carlos Sainz?

    Ainda não tinha começado a temporada de 2024 e...

    Francisco Conceição: «Fizemos o normal nesta casa, que é ganhar»

    Francisco Conceição já reagiu ao desafio entre o FC...

    Afonso Freitas: «Viemos em busca de chegar a uma final»

    Afonso Freitas já reagiu ao desafio entre o FC...

    5 Destaques individuais do FC Porto x Vitória SC

    O FC Porto venceu o Vitória SC por 3-1,...
    Artigo anterior
    Próximo artigo