liga_alema

Com o ano de 2014 prestes a terminar, o Bola na Rede faz uma viagem pelos últimos 365 dias. Numa série de artigos, destacar-se-ão os protagonistas que marcaram um ano repleto de momentos que permanecerão na memória de todos os amantes de Desporto.

GR: Manuel Neuer (Bayern)
Ano assombroso do guardião alemão. Conquistou (quase) tudo e encarnou na perfeição o papel de guarda-redes mais completo, mostrando-se exímio com a bola nos pés. O fim de 2014 trouxe-lhe a nomeação para os finalistas da Bola de Ouro.

DD: Andreas Beck (Hoffenheim)
Um dos laterais mais interessantes do futebol europeu. Aos 27 anos, está no auge das suas capacidades e foi uma das figuras do entusiasmante Hoffenheim, sendo um jogador fundamental na manobra ofensiva (também é competente no processo defensivo). Ainda pode dar o salto.

DC: Boateng (Bayern)
Pep Guardiola apareceu no momento certo da sua carreira. O jogador evoluiu em vários aspectos e o físico impressionante é agora acompanhado de uma melhor leitura dos momentos do jogo. Um dos pilares da impressionante defesa do Bayern – neste momento tem apenas 4 golos sofridos!

DC: Naldo (Wolfsburgo)
Há muitos anos na Alemanha, continua a ser indispensável nas equipas por onde passa. É o patrão do sector mais recuado do Wolfsburgo e, para além da consistência defensiva, deu várias vitórias à equipa na sequência de bolas paradas. Um central goleador.

DE: Ricardo Rodríguez (Wolfsburgo)
E Alaba? O austríaco foi desviado da esquerda e a escolha do suiço torna-se inevitável. Seguro a defender e sempre perigoso nas suas subidas pela linha. É um dos laterais-esquerdos da moda e, numa posição sempre tão refém de talento, está preparado para dar o salto para uma equipa com outras ambições.

MC: Christoph Kramer (B.Moenchengladbach)
Um dos médios mais cobiçados da Europa. A sua excelente época em M’Gladbach, onde se afirmou como uma das figuras da equipa, foi premiada com a convocatória para o Mundial, tendo disputado a final da competição. Emprestado pelo Bayer Leverkusen, está a ser cobiçado por Real e Arsenal e não é certo que fique na Alemanha.

 MC: Luiz Gustavo (Wolfsburgo)
Peça fundamental na manobra do segundo classificado da Bundesliga. A saída da Baviera abriu-lhe as portas do mundo e as suas características encaixaram na perfeição nos Lobos – o duplo pivot com Guilavogui dá uma consistência enorme à equipa.

MD: Arjen Robben (Bayern)*
A entrada nos 30 anos está a trazer algo ao “jogador de cristal”. Esta temporada já leva 10 golos em 13 jogos e reclama um lugar no trono do futebol mundial. O estilo inconfundível e a capacidade de desequilíbrio têm agora como aliado importante a experiência.

MO: Roberto Firmino (Hoffenheim)
Chegou a hora do brasileiro. Um dos jogadores mais interessantes que passeia talento pela campeonato alemão. Consegue aliar a visão de jogo e a fantasia a um forte sentido colectivo. A chegada à selecção brasileira é um prémio mais que merecido.

ME: De Bruyne (Wolfsburgo)
Outro craque que precisou de mudar de ares para conseguir conquistar o seu espaço. Tem sido um dos elementos em destaque no Wolfsburgo e lê o momento ofensivo como poucos. O ano de 2015 só pode ser melhor.

PL: Robert Lewandowski (Dortmund/Bayern)
Um dos mais temíveis avançados mundiais. Os golos estão garantidos, mas os atributos do polaco vão além disso. Melhor marcador da temporada 2013/2014 e um dos melhores jogadores do campeonato no ano civil de 2014.


*Melhor jogador

Revelação: Hakan Çalhanoglu (Hamburgo/Bayer Leverkusen)
O Leverkusen tem um dos mais entusiasmantes trios de ataque da Europa e o turco é o ponto central. Dono de um remate com precisão milimétrica – os melhores livres deste ano têm a sua marca – assumiu-se como um dos jogadores capazes de fazer ressuscitar a posição Nº10.

Treinador do ano: Markus Weinzierl (Augsburgo)
O treinador do Augsburgo tem feito um trabalho incrível num clube sem qualquer tipo de história. Acabou a temporada 13/14 à beira da Europa e termina o ano em 6ºlugar. Fantástico ano para o jovem treinador.

Comentários