A CRÓNICA: DUAS PARTES DISTINTAS E UM RESULTADO JUSTO

O duelo entre os líderes da Bundesliga assumia duas perspetivas opostas: ou uma equipa se destacava na liderança ou a outra saltava do segundo para o primeiro lugar. Porém, nem uma coisa, nem outra. Num jogo com um final imprevisível, FC Bayern e RB Leipzig não foram além de um nulo no marcador.

Ao longo de toda a primeira parte, o Bayern – sempre mais possante – foi a única equipa a criar oportunidades dignas de registo: primeiro por Alcántara a obrigar Gulácsi a uma bela defesa e depois num remate de Lewandoski, com a bola a ser salva em cima da linha por Upamecano. A formação forasteira soube sempre o que fazer com a bola nas poucas ocasiões em que a teve em sua posse, contudo faltava critério no último terço para assustar verdadeiramente Neuer.

O segundo tempo trouxe consigo um ritmo de jogo bem diferente, com um Leipzig a entrar bem e a ameaçar o golo por três vezes – com um remate de Sabitzer e dois de Werner – perante a dificuldade de reação por parte dos bávaros. Reação essa que só chegou no último um quarto de hora, com uma oportunidade de Goretzka negada por Gulácsi. O jogo encaminhou-se para o final e acabaria por terminar exatamente como começou, sem golos e sem mexidas na classificação.

A FIGURA

Fonte: RB Leipzig

Dayot Upamecano – Bela exibição de Upamecano no eixo da defesa do Leipzig! O central francês cortou tudo o que tinha para cortar, tendo sido crucial no primeiro tempo ao evitar o golo de Lewandoski em cima da linha. Errou apenas ao cometer grande penalidade sobre o número 9 dos bávaros, mas o lance acabaria por ser anulado devido a fora de jogo na jogada. De resto, revelou ser uma verdadeira muralha. Intransponível, por sinal.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: FC Bayern

Sèrge Gnabry – Não foi de estranhar a sua substituição nos primeiros minutos do segundo tempo. O avançado alemão ocupou a vaga deixada por Perisic na última jornada, mas acabou por não estar à altura do desafio, tendo protagonizado uma exibição muito apagada na ala esquerda do ataque dos bávaros. Sem remates, sem desequilíbrios e sem contribuir de forma criteriosa para as investidas ofensivas da sua equipa.

 

ANÁLISE TÁTICA – FC BAYERN

Hans-Dieter Flick decidiu repetir o “onze” que derrotou o Mainz na jornada anterior, trocando apenas Perisic por Gnabry no flanco esquerdo. Jogando num 4-2-1-3, o Bayern apresentou-se em campo com Goretzka mais adiantado no meio campo nas ações ofensivas, tendo este sido o principal elo de ligação para as oportunidades criadas pelo trio da frente. A estratégia resultou no primeiro tempo, mas não tanto na segunda parte, numa fase em que o Bayern nunca se conseguiu encontrar de modo a seguir a sua ideia de jogo.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Neuer (5)

Davies (7)

Alaba (7)

Boateng (5)

Pavard (6)

Thiago Alcántara (7)

Kimmich (7)

Gnabry (4)

Goretzka (6)

Müller (6)

Lewandowski (7)

SUBS UTILIZADOS

Coutinho (6)

Lucas Hernandez (6)

Comam (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – RB LEIPZIG

Julian Nagelsmann fez duas mexidas em relação ao “onze” utilizado na jornada anterior, com a colocação de Angeliño e Dani Olmo nas vagas deixadas por Mukiele e Forsberg, respectivamente.  Face às preocupações defensivas (com golos sofridos nos últimos seis jogos), o Leipzig apostou numa linha de quatro defesas, com os laterais a fazer a dobra em todas as investidas do adversário e isso acabou por se revelar letal no primeiro tempo. Ao longo de todo o jogo, o Leipzig sobre pressionar com critério e a sua construção fluiu naturalmente, mas a diferença residiu no critério no último passe, um índice que melhorou na segunda parte.

 

ONZE INICIAL E PONTUAÇÕES

Gulácsi (7)

Halstenberg (7)

Upamecano (8)

Klostermann (6)

Angeliño (6)

Laimer (5)

Sabitzer (6)

Tyler Adams (6)

Dani Olmo (6)

Timo Werner (7)

Nkunku (6)

SUBS UTILIZADOS

Schick (5)

Lookman (-)

Poulsen (-)

 

Foto de Capa: FC Bayern

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários