Anterior1 de 3Próximo

A Liga Alemã regressou este fim de semana após a tradicional paragem de inverno por terras germânicas. Como cabeça de cartaz deste regresso havia um excelente jogo em perspectiva. O RasenBallsport Leipzig, quarto classificado, recebia em sua casa o atual primeiro classificado, Borussia Dortmund.

O Dortmund enfrentava este jogo sob a perigosa aproximação do FC Bayern Munique, após vencer o seu jogo fora em Hoffenheim. O Leipzig via também o seu quarto lugar, posto de acesso à Liga dos Campeões, em perigo, após a vitória do Eintracht Frankfurt frente ao SC Freiburg. Estavam por isso reunidos os condimentos para um excelente jogo de futebol, com ambas as equipas a precisar de pontos.

Foi com Raphaël Guerreiro no onze inicial (Bruma falhou o jogo por lesão) que o Borussia Dortmund cedo começou a demonstrar o que queria do jogo. A equipa que viajou desde Dortmund para Leipzig tratou de ocupar o meio-campo ofensivo e daí não quis sair mais. Axel Witsel foi o primeiro a avisar as hostes dos comandados de Ralf Rangnick com um remate muito forte, mas à figura do guarda-redes Péter Gulácsi.

O médio belga estava só a aquecer o pé, pois à passagem do minuto 19, e fruto da marcação de um canto, Witsel colocaria o Borussia Dortmund na frente do encontro. Uma bola que veio literalmente cair-lhe aos pés e, após uma receção fantástica, Witsel chutou sem hipóteses para o guardião do Leipzig.

O Leipzig tentou de imediato responder pelos pés do suspeito do costume, Timo Werner, mas o avançado alemão não teve uma primeira parte inspirada, ao falhar alguns últimos passes que podiam originar o golo do empate.

Até ao final da primeira parte, a equipa mais perto do golo foi mesmo o Dortmund. Na marcação de um livre, Raphaël Guerreiro cruzou para a grande área, onde estava Abdou Diallo, que cabeceou ao lado. A bola não entrou por muito pouco.

Quem também não estava a ter um jogo fácil era o árbitro da partida, com muitas quezílias entre os jogadores e ambiente inflamado, provavelmente, pelo tweet do Borussia Dortmund uns dias antes do jogo.

Com a segunda parte veio uma nova intensidade imprimida, sobretudo, pelo Leipzig. O jogo tornou-se (ainda) mais físico e cada bola estava a ser disputada até ao último suspiro. O Leipzig ia aproveitando a velocidade e o talento dos seus jogadores para chegar com perigo à baliza de Bürki.

Raphael Guerreiro fez um jogo seguro até ser substituído
Fonte: RB Leipzig

Konaté, apesar de ser central, demonstrou toda a sua técnica ao fazer uma grande jogada pelo corredor direito, fintando dois jogadores do Dortmund e entregando de bandeja o golo a Sabitzer. O problema é que o jogador austríaco não dominou a bola nas melhores condições e fez um remate frouxo para defesa de Bürki.

As oportunidades para o Leipzig iam-se acentuando e acentuando, com Werner e Sabitzer a serem os principais responsáveis pelo jogo ainda estar “apenas” 0-1. Muito desperdício na frente de ataque.

O Dortmund passou a apostar apenas no contra-ataque, aproveitando a velocidade de Jadon Sancho. Favre, descontente com a ineficácia da sua equipa em sair a jogar, naturalmente apostou em Alcácer para entrar.

O festival de falhanços por parte do Leipzig continuava, apesar dos dois centrais, Konaté e Upamecano, estarem a fazer um excelente jogo de pressão alta e a construírem jogo a partir de trás. No entanto, o Dortmund fechava-se muito bem e as ocasiões concretas de golo não eram aproveitadas pelos avançados.

Os três minutos finais foram impróprios para cardíacos. Paco Alcácer esteve muito perto de sentenciar o jogo com um excelente remate, mas a bola bateu direitinha na trave da baliza do Leipzig.

Na resposta, Poulsen quase levava os adeptos do Leipzig ao céu com um cabeceamento que levou a bola a um palmo ou menos da baliza. Seria o delírio na Red Bull Arena.

Excelente jogo de futebol, um dos melhores da Bundesliga esta época, em que o resultado não reflete o jogo ofensivo existente. O Dortmund sobrevive a esta batalha importante.

 

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES 

RB Leipzig: Péter Gulácsi, Dayot Upamecano, Ibrahima Konaté, Lukas Klostermann, Marcel Halstenberg, Marcel Sabitzer , Konrad Laimer (Augustin ’88), Diego Demme (Cunha ’81), Kevin Kampl, Yussuf Poulsen, Timo Werner.

BV Dortmund:Roman Burki, Abdou Diallo, Achraf Hakimi, Lukasz Piszczek (M.Wolf ’89), Julian Weigl, Thomas Delaney, Jadon Sancho, Raphaël Guerreiro (Pullisic ’76), Maximilian Philipp (Alcácer ’79), Axel Witsel, Mario Gotze.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários