A Liga Alemã regressou este fim de semana após a tradicional paragem de inverno por terras germânicas. Como cabeça de cartaz deste regresso havia um excelente jogo em perspectiva. O RasenBallsport Leipzig, quarto classificado, recebia em sua casa o atual primeiro classificado, Borussia Dortmund.

O Dortmund enfrentava este jogo sob a perigosa aproximação do FC Bayern Munique, após vencer o seu jogo fora em Hoffenheim. O Leipzig via também o seu quarto lugar, posto de acesso à Liga dos Campeões, em perigo, após a vitória do Eintracht Frankfurt frente ao SC Freiburg. Estavam por isso reunidos os condimentos para um excelente jogo de futebol, com ambas as equipas a precisar de pontos.

Foi com Raphaël Guerreiro no onze inicial (Bruma falhou o jogo por lesão) que o Borussia Dortmund cedo começou a demonstrar o que queria do jogo. A equipa que viajou desde Dortmund para Leipzig tratou de ocupar o meio-campo ofensivo e daí não quis sair mais. Axel Witsel foi o primeiro a avisar as hostes dos comandados de Ralf Rangnick com um remate muito forte, mas à figura do guarda-redes Péter Gulácsi.

O médio belga estava só a aquecer o pé, pois à passagem do minuto 19, e fruto da marcação de um canto, Witsel colocaria o Borussia Dortmund na frente do encontro. Uma bola que veio literalmente cair-lhe aos pés e, após uma receção fantástica, Witsel chutou sem hipóteses para o guardião do Leipzig.

O Leipzig tentou de imediato responder pelos pés do suspeito do costume, Timo Werner, mas o avançado alemão não teve uma primeira parte inspirada, ao falhar alguns últimos passes que podiam originar o golo do empate.

Anúncio Publicitário

Até ao final da primeira parte, a equipa mais perto do golo foi mesmo o Dortmund. Na marcação de um livre, Raphaël Guerreiro cruzou para a grande área, onde estava Abdou Diallo, que cabeceou ao lado. A bola não entrou por muito pouco.

Quem também não estava a ter um jogo fácil era o árbitro da partida, com muitas quezílias entre os jogadores e ambiente inflamado, provavelmente, pelo tweet do Borussia Dortmund uns dias antes do jogo.

Com a segunda parte veio uma nova intensidade imprimida, sobretudo, pelo Leipzig. O jogo tornou-se (ainda) mais físico e cada bola estava a ser disputada até ao último suspiro. O Leipzig ia aproveitando a velocidade e o talento dos seus jogadores para chegar com perigo à baliza de Bürki.

Raphael Guerreiro fez um jogo seguro até ser substituído
Fonte: RB Leipzig

Konaté, apesar de ser central, demonstrou toda a sua técnica ao fazer uma grande jogada pelo corredor direito, fintando dois jogadores do Dortmund e entregando de bandeja o golo a Sabitzer. O problema é que o jogador austríaco não dominou a bola nas melhores condições e fez um remate frouxo para defesa de Bürki.

As oportunidades para o Leipzig iam-se acentuando e acentuando, com Werner e Sabitzer a serem os principais responsáveis pelo jogo ainda estar “apenas” 0-1. Muito desperdício na frente de ataque.

O Dortmund passou a apostar apenas no contra-ataque, aproveitando a velocidade de Jadon Sancho. Favre, descontente com a ineficácia da sua equipa em sair a jogar, naturalmente apostou em Alcácer para entrar.

O festival de falhanços por parte do Leipzig continuava, apesar dos dois centrais, Konaté e Upamecano, estarem a fazer um excelente jogo de pressão alta e a construírem jogo a partir de trás. No entanto, o Dortmund fechava-se muito bem e as ocasiões concretas de golo não eram aproveitadas pelos avançados.

Os três minutos finais foram impróprios para cardíacos. Paco Alcácer esteve muito perto de sentenciar o jogo com um excelente remate, mas a bola bateu direitinha na trave da baliza do Leipzig.

Na resposta, Poulsen quase levava os adeptos do Leipzig ao céu com um cabeceamento que levou a bola a um palmo ou menos da baliza. Seria o delírio na Red Bull Arena.

Excelente jogo de futebol, um dos melhores da Bundesliga esta época, em que o resultado não reflete o jogo ofensivo existente. O Dortmund sobrevive a esta batalha importante.

 

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES 

RB Leipzig: Péter Gulácsi, Dayot Upamecano, Ibrahima Konaté, Lukas Klostermann, Marcel Halstenberg, Marcel Sabitzer , Konrad Laimer (Augustin ’88), Diego Demme (Cunha ’81), Kevin Kampl, Yussuf Poulsen, Timo Werner.

BV Dortmund:Roman Burki, Abdou Diallo, Achraf Hakimi, Lukasz Piszczek (M.Wolf ’89), Julian Weigl, Thomas Delaney, Jadon Sancho, Raphaël Guerreiro (Pullisic ’76), Maximilian Philipp (Alcácer ’79), Axel Witsel, Mario Gotze.