O futebol brasileiro retornou após a parada para a Copa América. Sem sombra de dúvidas a maior novidade desse retorno é o Flamengo que agora é comandado pelo treinador português Jorge Jesus. Após mais de um mês do anúncio da sua contratação, finalmente vimos o seu primeiro jogo à frente do rubro-negro. A partida foi contra o Athletico Paranaense, em Curitiba.

Ainda é cedo para avaliar o trabalho de Jesus, mas já podemos tirar algumas primeiras conclusões. Havia a expectativa da equipe entrar em campo no 4-1-3-2, uma tática um tanto quanto ousada pelo adversário que tinha pela frente. Mas Jesus optou pela precaução e o Flamengo entrou na Arena da Baixada no 4-3-3. A mesma tática já utilizada pelo ex-treinador Abel Braga. Portanto, taticamente o rubro-negro foi o mesmo.

O time titular foi formado com: Diego Alves; Rodinei, Leo Duarte, Rodrigo Caio, Renê; Willian Arão, Cuéllar, Arrascaeta; Vitinho, Gabigol e Bruno Henrique. A grande contratação desse meio de temporada, o lateral Rafinha, ficou como opção no banco. Assim como o meia Diego.

A cautela usada por Jesus era compreensível. Afinal tinha pela frente um dos melhores mandantes do futebol brasileiro, com um ataque veloz que enfiou 3 a 0 no Boca, pela Libertadores. Além do fato de ser a sua estreia no comando da equipe.

A primeira parte foi bastante movimentada e de maior intensidade dos paranaenses. O Flamengo marcava com linhas altas, sobre pressão. Tentava dificultar a saída de bola do Athletico. Mas o Furacão tinha uma vólvula de escape que era a bola esticada. As melhores chances de gol foram com essa jogada e chegaram até balançar a rede, mas o gol foi bem anulado por impedimento. O Flamengo sofreu demais com esse tipo de jogada, não conseguia marcar com eficiência para neutraliza-la.

Chegando ao ponto do “Mister”, assim que Jesus gosta de ser chamado, discutir com o atacante Vitinho, pois o mesmo não estaria voltando para marcar o lateral esquerdo do Athletico Paranaense. Na parte ofensiva o time foi bem modesto, tímido. O time jogou com Arrascaeta e Vitinho mais abertos e o Gabigol com Bruno Henrique centralizados. Então a armação das jogadas ficou prejudicada e o meio-campo ficou bastante carente. O ideal seria trazer o Arrascaeta pelo meio e abrir o Bruno Henrique. Deixando o Gabigol mais avançado.

A primeira parte terminou sem gols, com o Flamengo atacando pouco e tendo apenas 43% da posse de bola. Números pobres para uma equipe tão qualificada.

A segunda parte iniciou como terminou a primeira. Sem substituição no Flamengo e com o Athletico em cima. O abafa funcionou e aos 49 minutos o Furacão abriu o marcador. O Athletico era bem superior. Chegou a fazer outro gol que foi muito bem anulado por impedimento.

Para tentar inibir o impeto do adversário, Jesus promoveu duas mudanças. Saíram Cuéllar e Vitinho e entraram Diego e Everton Ribeiro. No lance seguinte das substituições o Flamengo achou o seu gol com o atacante Gabigol que finalizou bonito na saída do goleiro Santos.

O atacante Gabigol salvou o Flamengo de sair com uma derrota na estreia do treinador Jorge Jesus.
Fonte: FlamengoRJ

As substituições aparentavam ter dado certas, pois após empatar o Flamengo teve 12 minutos com o jogo nas mãos. Tinha mais a posse de bola, conseguia chegar com mais perigo e ameaçava constantemente a meta do Athletico. Pela primeira vez na partida o Mengão estava melhor. Vale ressaltar a ousadia de Jesus em sacar um volante para colocar um meia de criação. Na prática o time ficou apenas com o Arão para fazer a marcação no meio-campo.

Entretanto, após esses 12 minutos pressionando o adversário o jogo novamente se inverteu. O Athletico retomou com as rédeas do confronto e matou o time do Flamengo em campo. Chamou a atenção os ataques do Furacão pelo setor direito defensivo do Flamengo. O contestado lateral Rodinei parecia perdido em campo. O Athletico sempre atacava por aquele lado e parecia, também, que o Jesus não enxergava essa fragilidade na sua equipe.

A pressão paranaense era tão grande que o treinador substituiu seu time pela última vez. Saiu o atacante Bruno Henrique e entrou o volante Piris da Motta. A intenção era encorpar o meio-campo. Mesmo com a substituição, o Flamengo esteve bem próximo de perder o jogo e o Athletico sempre criava perigo.

A partida terminou empatada em 1 a 1 e o jogo de volta entre as duas equipes será na próxima quarta-feira no Maracanã. A sensação que ficou da estreia do Jesus é que o time do Flamengo mostrou as mesmas deficiências que vinha apresentando antes da sua chegada. Um time com uma transição defensiva lenta, que não trabalha a bola e sem um impeto ofensivo inteligente e constante. Claro que devemos fazer algumas ressalvas.

Esse foi o primeiro jogo do treinador com o Flamengo. Jogou contra um adversário muito forte fora de casa e o placar final acabou sendo bastante aceitável. A postura ativa do treinador à beira do campo também chamou a atenção positivamente. Porém, não temos como esconder as falhas da equipe que foram muitas. Agora é aguardar a sequência dos jogos. No Brasil, não tem muito tempo para o trabalho a longo prazo. Ou o treinador vence ou é demitido. Jesus também terá que lidar com essa pressão, caso venha.

No Domingo, JJ vai se estrear também no Brasileirão, já que o Flamengo recebe o Goiás. As expectativas novamente, vão ser altas e os adeptos do mengão estão cheios de fé e não podem esperar mais para ver os resultados que a chegada do português deixaram no ar. Para os mais impacientes, podem dar uma vista sobre a opinião dos sites de previsões. Aliás, podem mesmo ver os prognósticos futebol na SOSapostas, site que acompanha e faz as previsões de todos os jogos dos maiores times do mundo, incluindo as equipes do Brasil. Quanto à Copa do Brasil, o retorno será no dia 18, com o Mengão a receber de volta o Athletico.

Foto de Capa: Flamengo

Comentários