Cabeçalho Futebol InternacionalAtual campeão brasileiro e com o maior investimento do país, o Palmeiras é teoricamente um dos favoritos a todos os títulos que disputa no continente. Expectativa que aumentou com a volta do técnico Cuca, fazendo com que o verdão ganhasse o status de “time a ser batido”.

Entretanto toda a expectativa depositada na equipe alviverde não vem se confirmando. Com 1 vitória, 1 empate e 3 derrotas, o Palmeiras ocupa a 16ª posição do campeonato brasileiro e já começa a ser contestado pelos torcedores e pela própria diretoria.

Desde o retorno de Cuca ao time paulista foram 5 derrotas em 8 jogos, números que assustam até os torcedores mais otimistas.

Elenco mais forte; time mais fraco

O subtítulo parece contraditório, mas não é.  Se comparado ao ano passado – quando o Palmeiras se sagrou campeão brasileiro – o elenco de 2017 ficou mais forte com a chegada de jogadores como Felipe Melo, Borja, Guerra  e Keno. Mas o futebol apresentado pela equipe desse ano é extremamente inferior. Em 2016 o Palmeiras era um time muito ofensivo, sufocava os adversários e em quase todos os jogos marcava gols no começo da partida. Esse ano a equipe prioriza a posse de bola, é mais lenta e não tem efetividade no ataque. Todos os setores do time alviverde estão mal, principalmente o meio, que está devendo em criatividade e marcação.

Fonte: SE Palmeiras
Keno chegou esta temporada ao Allianz Parque
Fonte: SE Palmeiras

Sim, Cuca tem culpa nessa má fase do Palmeiras

Com a justificativa de que Cuca acabou de retornar ao time, muitos defendem que o técnico não tem culpa das derrotas da equipe, pois ainda está “arrumando a casa”, mas basta ver os jogos mais recentes do Palmeiras para concluir que as escalações dele estão dando errado. A aposta em jogadores reservas que Cuca insistentemente mantém está fazendo o time sofrer derrotas tolas. O Cuca de 2017 parece que ainda não “se encontrou” no trabalho.

Mas a culpa não é somente dele

Muitos jogadores e até ídolos da equipe estão deixando a desejar esse ano, principalmente o Goleiro Fernando Prass, que tem falhado em diversas partidas. Borja, contratado a peso de Ouro do Atlético Nacional ainda não se adaptou ao futebol brasileiro e não conseguiu mostrar  um bom futebol até aqui. Tchê Tchê, que foi um dos grandes destaques do time no ano passado, tem decepcionado bastante com atuações abaixo da média. E por fim, o craque do time, Dudu, não está conseguindo atuar em alto nível desde o começo desse ano.

O que fazer?

Para se tornar forte novamente o Palmeiras precisará resgatar o ímpeto do time de 2016, tanto no que diz respeito à forma de jogar em equipe quanto os aspectos individuais dos jogadores. Enquanto Cuca não aplicar seu padrão de jogo ao time e continuar fazendo dos jogo laboratórios de testes, o Palmeiras tende ao fracasso em 2017. Mas ainda há tempo para reação. Será que ela virá?

Foto de Capa: SE Palmeiras

Comentários