Anterior1 de 3Próximo

Que grande jogo que se assistiu no Camp Nou! Depois do 0-0 da primeira mão, eis que tivemos a antítese num duelo entre FC Barcelona e Olympique Lyonnais cheio de golos e oportunidades.

À partida para o jogo, duas alterações de Ernesto Valverde em relação ao nulo em França: entraram Coutinho e Arthur, saíram Nélson Semedo e Dembélé. Já Bruno Génésio tirou Aouar, Traoré e Terrier para dar lugar ao ex-CD Nacional e SL Benfica Marçal, Tousart e Fekir.

O Barcelona entrou a dominar e encostou completamente às cordas o Lyon, mas a defesa francesa apareceu sólida e a despachar todas as investidas catalãs, com vários remates bloqueados antes de chegarem a ameaçar o guarda-redes Anthony Lopes.

Apesar de jogar o tempo todo no meio-campo do adversário, parecia que o Barcelona só quebraria o nulo quando a defesa do Lyon cometesse um erro e, aos 16 minutos, uma boa combinação entre Messi e Suárez deixou o avançado uruguaio dentro da área, sendo rasteirado de forma imprudente por Denayer. O árbitro Szymon Marciniak apontou para a marca de penálti. Era precisamente um erro assim que os blaugrana precisavam e Messi, no frente a frente com Anthony Lopes, ‘sacou’ um Panenka magistral, a deixar por terra o internacional português.

Em desvantagem no marcador, o Lyon só conseguiu incomodar a defesa do Barcelona com um remate de Dembélé à entrada da área que saiu torto. De resto, os comandados de Ernesto Valverde eram donos e senhores do jogo.

Se a vida já estava difícil para o conjunto lionês, pior ficou aos 21 minutos, quando Anthony Lopes saiu maltratado de um choque com Coutinho, com o português a ser assistido durante seis minutos mas a manter-se em campo. Lopes ainda foi a tempo de fazer uma grande defesa a um remate cruzado de Luís Suárez, mas voltou a sofrer aos 31 minutos, com o uruguaio a entrar na área e, cara a cara com o internacional português, deu a bola para a esquerda, onde apareceu Coutinho a encostar para o 2-0.

Aos 34 minutos, Bruno Génésio foi mesmo obrigado a tirar Anthony Lopes para dar lugar a Mathieu Gorgelin, com o guardião francês a ter de aguentar as investidas do Barcelona durante os restantes 15 minutos da primeira parte. Os blaugrana não tiravam o pé do acelerador e Suárez, endiabrado, quase bisou aos 37 minutos: o uruguaio ultrapassou Marcelo com uma finta de corpo, deu para Messi, o argentino devolveu num passe longo para Suárez que, após pressionar o defesa, faz o remate, mas a bola saiu ligeiramente ao lado da baliza.

O intervalo acabou por chegar, quase como um acto de misericórdia para o Lyon, com o placar inalterado, apesar das constantes investidas do Barcelona frente a um conjunto lionês completamente perdido de ideias no primeiro tempo, enquanto os catalães apenas precisavam de adicionar velocidade para apanhar os lioneses em contrapé.

Messi e Suárez fizeram a cabeça em água aos defesas do Lyon
Fonte: FC Barcelona

Na segunda parte, o Barcelona voltou a aparecer explosivo e quase a aumentar a vantagem aos 47 minutos, com Arthur a aparecer isolado após um passe longo, a dar para Messi picar sobre Gorgelin, mas Marçal tirou a bola em cima da linha. Apesar do recomeço ofensivo, a etapa complementar mostrou um Barcelona mais “calmo”, a deixar o Lyon subir no terreno e jogar no meio-campo blaugrana, mas sem criar perigo.

Mas a calma catalã acabou por dar em soneca, com o Lyon a aproveitar um canto na esquerda aos 58 minutos para reduzir a desvantagem, com Lucas Tousart – após confusão no meio da área – a dominar com o peito e a atirar forte e rasteiro para o fundo da baliza de Ter Stegen, relançando a eliminatória.

O golo deixou os blaugrana desconfortáveis e o Lyon partiu para cima na tentativa de empatar o jogo e virar a eliminatória, mas o pouco perigo criado a Ter Stegen acabou por revelar-se fatal nos últimos 20 minutos de jogo.

Esquecido o golo consentido, o Barcelona recompôs-se e partiu para cima da baliza de Gorgelin, aproveitando a subida do Lyon no terreno para explorar o contra-ataque. Foi precisamente num lance de contra-golpe que os catalães dilataram a vantagem através do inevitável Messi, que deixou a defesa francesa às aranhas com uma sucessão de fintas e atirou à baliza, com o guarda-redes visitante ainda a tocar na bola, mas a não conseguir evitar que fosse na direção da baliza.

O 3-1 fez os comandados de Bruno Génésio baixarem os braços e consentir mais dois golos até ao final da partida. Primeiro, num canto ofensivo do Lyon que acabou em contra-ataque, com Messi a cruzar a bola para o segundo poste, onde Piqué empurrou para o 4-1. A manita catalã apareceu aos 86 minutos, com Messi – quem mais – a carregar a bola para perto da área dos lioneses e a entregar para Dembéle, entrado na segunda parte, atirar para o fundo das redes e fechar a eliminatória para o Barcelona, que segue para os quartos de final da Liga dos Campeões.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

FC Barcelona: M. Ter Stegen, S. Roberto (N. Semedo, 83’), G. Piqué, C. Lenglet, J. Alba, S. Busquets, I. Rakitic, Arthur (A. Vidal, 74’), P. Coutinho (O. Dembélé, 70’), L. Messi, L. Suárez.

Olympique Lyonnais: A. Lopes (M. Gorgelin, 34’), L. Dubois, J. Denayer, Marcelo, F. Mendy (M. Cornet, 77’), F. Marçal, T. N’Doumbelé, L. Tousart, N. Fekir, M. Depay (B. Traoré, 73’), M. Dembelé

Anterior1 de 3Próximo

Comentários