Em mais uma noite de Champions, assistimos a um dia de muitos golos, contabilizando-se oito em apenas dois jogos, sendo que só o Dortmund marcou quatro. Em horário russo de Champions (17h), o Zenit St. Petersburg recebia o Borussia Dortmund. Já à hora do costume (19h45), o Olympiakos defrontava, em casa, o United, a precisar de salvar a sua época desportiva.

Zenit – Borussia Dortmund

No jogo mais emocionante do dia, o Dortmund foi a São Petersburgo quase carimbar a passagem para a próxima fase, com um resultado esclarecedor de 4-2.
Aos quatro minutos, Mkhitaryan dava uma vantagem muito precoce ao Dortmund, que, apenas um minuto depois, viria a marcar o segundo, por Marco Reus. Aos cinco minutos, o Zenit perdia por 2-0 e, mais do que o possível afastamento, podia prever-se um descalabro russo.

A verdade é que os alemães só voltariam a visar as redes adversárias aos 61 minutos, depois de sofrer aos 57, por Shatov. O autor do golo do Dortmund foi o suspeito do costume, Lewandowski, que colocava um ponto final nas aspirações de uma recuperação dos russos. Hulk acabaria ainda por marcar de grande penalidade, aos 69 minutos. Mas seria o polaco Lewandowski a finalizar as contas do jogo, ao marcar aos 71 minutos, deixando o Borussia praticamente encaminhado para os quartos-de-final.

Hulk  e Marcel Schmelzer Fonte: UEFA
Hulk e Marcel Schmelzer
Fonte: UEFA

Olympiacos – Manchester United

Anúncio Publicitário

Já na Grécia, o campeão nacional Olympiacos iria receber um United a precisar de salvar uma época negra na história recente do clube. O United precisa de lutar pelo troféu e o Olympiacos nunca seria sequer um adversário candidato à qualificação, quando no banco se sentava Alex Ferguson.

Contudo, o escocês já se retirou e foram mesmo os gregos a conseguir chegar ao primeiro golo, num lance fortuito de Dominguez, que desviou a bola, depois de um remate de um colega, deixando De Gea batido. A primeira parte finalizava com um United à imagem do que nos habituou esta época. Infelizmente para os ingleses, a segunda parte não iria mudar muito e seria mesmo o Olympiacos a chegar de novo ao golo, por Joel Campbell, num golo de belo efeito, perante a apatia da defesa dos Reds.

Resultado final: 2-0. Terá sido esta a gota de água que vai levar David Moyes a sair do United? Ou serão os ingleses ainda mais pacientes para com o treinador? Van Persie já não é o que era, e nota-se uma enorme falta de confiança na abordagem ao jogo. Até quando aguentas, Moyes?

Ashley Young e Michael Olaitan  Fonte: UEFA
Ashley Young e Michael Olaitan
Fonte: UEFA

Amanhã poder-se-á assistir ao Schalke 04 – Real Madrid e Galatasaray – Chelsea. Os favoritos são, sem sombra de dúvidas, o Real e o Chelsea, de Mourinho, mas poderão Draxler e Drogba ter uma palavra a dizer nos respetivos confrontos?

Artigo anteriorDo 8 ao (0,)80
Próximo artigoQuando a História pesa
O João Martins é um apaixonado pela Premier League e pelo Sporting. Diz que a sua maior tristeza é ver os seus clubes favoritos afastados dos troféus principais. Seja em Inglaterra, com o Arsenal, ou em Portugal, com o seu clube.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.