A CRÓNICA – GRANDE SEGUNDA PARTE DO BARCELONA APENAS GARANTE EMPATE

A primeira mão dos oitavos de final entre Napoli e Barcelona, disputada no estádio San Paolo, terminou empatada a uma bola. O Barcelona teve muita posse de bola, mas apenas criou perigo no segundo tempo. O Napoli jogou principalmente em contra ataque, e contou com um grande momento de inspiração de Mertens. Apresentaram-se duas equipas bastante pressionantes que se anularam ao longo do encontro.

O Barcelona começou a dominar a posse de bola logo a partir do ínicio da partida, mas sem perigo, com muita lentidão na troca de bola. O Napoli demonstrou solidez defensiva e jogava à espera de um erro do adversário, apostando no seu poderoso contra ataque, e numa pressão intensa. E foi assim que surgiu o primeiro golo.

Aos 30’ Zielinski ganhou um ressalto no meio campo do Barcelona e assistiu Mertens. O avançado belga não vacilou e à entrada da grande área executou um remate colocadíssimo em direção ao poste mais distante.

Já com Arthur em campo, a construção de jogo do Barcelona aumentou de ritmo, instantaneamente. Aos 58’, Busquets com um grande passe descobre Nélson Semedo dentro da área do Napoli, que assiste Griezmann, e o avançado francês só teve de encostar.

Após o empate do Barcelona, o Napoli voltou a aumentar a pressão na construção de jogo dos catalães. O jogo ficou mais “partido”, com boas ocasiões de golo para ambas as equipas. O Barcelona, na segunda parte, continuava a ser “demolidor” na posse de bola, tal como na primeira, mas no segundo tempo atuou de uma forma mais dinâmica, criando mais perigo.

Aos 89’, Vidal foi expulso por acumulação de cartões amarelos, tendo sido admoestado por duas ocasiões na mesma jogada. Num primeiro momento, Vidal realizou uma entrada dura sobre Mário Rui, e de seguida ambos os jogadores entraram em confronto. O Barcelona ficou limitado no tempo restante da partida, e no jogo da segunda mão, que também não contará com Busquets, também por castigo.

A eliminatória será decidida em Camp Nou, e apesar do empate o Barcelona parte com uma ligeira vantagem devido ao golo marcado fora de casa. O Napoli terá a difícil tarefa de superar o Barcelona na Catalunha, apesar dos catalães estarem bastante limitados na gestão do seu plantel, tendo vários jogadores lesionados ou castigados.

A FIGURA

Fonte: FC Barcelona

Nélson Semedo – Grande exibição do lateral direito português. Defensivamente foi competente, anulando Insigne praticamente todo o jogo. Do ponto de vista ofensivo, teve uma prestação muito influente, atuando quase como um extremo, provocando dores de cabeça a Mário Rui. Foi sua a assistência para o golo do Barcelona, após uma grande desmarcação da sua parte, à qual Busquets correspondeu com um excelente passe.

O FORA DE JOGO

Fonte: FC Barcelona

Júnior Firpo – O lateral esquerdo do Barcelona realizou um jogo discreto, sendo pouco relevante na manobra ofensiva da sua equipa, e a cometer alguns erros defensivos. O golo do Napoli nasce de um erro seu, que perde a bola para Zielinski e deixa a defesa do Barcelona desprotegida.

ANÁLISE TÁTICA- SSC NAPOLI

A equipa de Gennaro Gattuso apresentou-se num esquema tático de 4-3-3 a atacar, com Demme a atuar como médio mais recuado, apoiado por Zielinski e Fábian Ruiz no centro do terreno. Callejón ocupou o corredor direito, enquanto Insigne foi o atacante responsável pelo lado oposto, e Mertens era a principal referência ofensiva. A defender, os extremos recuavam para junto dos centro campistas, formando uma formação de 4-5-1, com Mertens a ser o homem mais avançado no terreno da equipa napolitana. No decorrer da segunda parte, o Nápoles foi muito competente a defender, com um bloco muito bem organizado, e ofensivamente procurava, na maioria das vezes, sair a jogar em contra ataques rápidos.

11 INICIAL E SUBSTITUIÇÕES

David Ospina (6)

Giovanni Di Lorenzo (6)

Kostas Manolas (6)

Nikola Maksimovic (6)

Mário Rui (7)

Diego Demme (6)

Fabián Ruiz (6)

Piotr Zielinski (7)

José Callejón (6)

Lorenzo Insigne (6)

Dries Mertens (7)

SUBS UTILIZADOS

Arkadiusz Milik (6)

Matteo Politano (5)

Allan Loureiro (5)

 

ANÁLISE TÁTICA- FC BARCELONA

Quique Setién posicionou a equipa num esquema tático de 4-3-3, quer a atacar, quer a defender. Destaque para a aposta em Vidal no corredor direito, formando o trio de ataque juntamente com Griezmann, a partir da esquerda, e Messi no corredor central. A ausência de um ponta de lança de referência é bastante notada, sendo que Messi tinha de recuar constantemente no terreno para construir jogo, havendo uma lacuna no centro de ataque do Barcelona.

Com posse de bola, o Barcelona instalava-se no meio campo do Napoli. Com o recuo de Messi, os extremos Vidal e Griezmann movimentavam-se para o corredor central, permitindo a subida dos defesas laterais no terreno.

11 INICIAL E SUBSTITUIÇÕES

Marc-André ter Stegen (7)

Nélson Semedo (8)

Gerard Piqué (7)

Samuel Umtiti (6)

Júnior Firpo (5)

Sergio Busquets (7)

Ivan Rakitic (5)

Frenkie de Jong (6)

Arturo Vidal (6)

Antoine Griezmann (6)

Lionel Messi (7)

SUBS UTILIZADOS

Arthur Melo (7)

Ansu Fati (-)

Clément Lenglet (-)

Foto de Capa: FC Barcelona

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários