A CRÓNICA: ALGUM LANCE HAVERIA DE DAR GOLO

O RB Leipzig foi ao reduto do Tottenham vencer o conjunto inglês por 0x1 e conseguir, assim, uma vantagem importante para a segunda mão dos “oitavos” da Liga dos Campeões. O primeiro tempo resumiu-se a um festival de oportunidades por parte do conjunto alemão. Só nos primeiros dois minutos, foram logo três oportunidades e uma delas a esbarrar no poste. Os ingleses responderam apenas numa investida de Bergwinj e viram o conjunto forasteiro a voltar a ameaçar o golo por mais três ocasiões (duas de Schick e uma de Werner). O poderio ofensivo do Leipzig foi tanto que o Tottenham podia agradecer a todos os santos por ir para o intervalo com a baliza a zeros. Contudo, a fechar o primeiro um quarto de hora da segunda parte, tudo caiu por terra. Davies cometeu penálti e Timo Werner tratou de inaugurar o marcador. A correr atrás do prejuízo, Mourinho arriscou com as substituições e da mesma forma que Lo Celso até esteve perto do golo duas vezes, também o conjunto alemão ameaçou o segundo golo em transições bem desenhadas. Na reta final do encontro, Lamela e Lucas Moura estiveram perto de empatar a partida, mas seria mesmo o Leipzig a quebrar a boa série de jogos do Tottenham. Vem aí tarefa difícil para Mourinho na segunda mão…

A FIGURA

Será o céu o limite?
Fonte: RB Leipzig

Poderio ofensivo do RB Leipzig – Uma autêntica avalanche de oportunidades. De todas as formas e feitios. O conjunto alemão entrou muito bem e só não traduziu isso em golos no primeiro tempo devido à falta de eficácia e também por culpa de Lloris. Na segunda parte, o caudal ofensivo baixou mas foi suficiente para chegar ao tão desejado golo. E justamente.

Anúncio Publicitário

O FORA DE JOGO

Fonte: Tottenham Hotspur

Ben Davies – Estragou aquela que seria a estratégia do Tottenham para a eliminatória, a de não sofrer golos em casa. Não se pode dizer que tenha feito uma má exibição defensivamente, mas acabou por ficar ligado ao desfecho do encontro devido à grande penalidade (algo infantil, diga-se) que cometeu para travar Lamier.

ANÁLISE TÁTICA – TOTTENHAM

Face à lesão de Son, José Mourinho voltou a ganhar dores de cabeça para dar músculo ao setor ofensivo da sua equipa, tendo apostado na titularidade de Lo Celso e fazendo adiantar Lucas Moura no terreno. Com Gedson no lugar de Dier, o Tottenham alinhou no já habitual 4-2-3-1 e não entrou nada bem. Falta de ligação entre setores, forte pressão do adversário e pouca assertividade no último terço foram fatores que remeteram os ingleses para uma primeira parte…pobre. O golo do Leipzig no segundo tempo alterou a estratégia de jogo e Mourinho foi obrigado a tomar riscos numa tentativa de chegar, pelo menos, ao empate. Algo que não aconteceu.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Hugo Lloris (7)

Ben Davies (4)

Davidson Sánchez (6)

Toby Alderweireld (5)

Serge Aurier (6)

Harry Winks (6)

Gedson Fernandes (6)

Steven Bergwijn (7)

Dele Alli (6)

Giovani Lo Celso (7)

Lucas Moura (5)

SUBS UTILIZADOS

Tanguy Ndombélé (5)

Érik Lamela (6)

ANÁLISE TÁTICA – RB LEIPZIG

Sem poder contar com o central Upamecano, Nagelsmann recorreu a Ampadu para preencher o eixo central da defesa, tendo ainda trocado Olmo por Nkunku face ao jogo anterior. Alinhados num 3-4-1-2, o conjunto alemão entrou de forma impetuosa e soube como causar mossa no setor defensivo contrário, principalmente ao longo da primeira parte, período em que dispôs de meia dúzia de oportunidades flagrantes. Contudo, foi num segundo tempo com menos ocasiões que acabaria por surgir o golo. E já sabemos da importância de um golo fora de portas…

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Péter Gulácsi (7)

Marcel Halstenberg (7)

Ethan Ampadu (7)

Lukas Klostermann (7)

Angeliño (7)

Marcel Sabitzer (6)

Konrad Laimer (6)

Nordi Mukiele (6)

Christopher Nkunku (7)

Timo Werner (8)

Patrik Schick (8)

SUBS UTILIZADOS

Amadou Haidara (5)

Yussuf Poulsen (6)

Emil Forsberg (-)

Foto de Capa: RB Leipzig

Comentários