Todos os anos há certos jogos em que qualquer jogador deseja participar. Todos os anos há um hino que é admiravelmente escutado, que preenche com expectativas e sonhos miríficos o espírito de jogadores, adeptos, dirigentes e até da comunicação social. Todos os anos esse mesmo hino é ouvido 96 vezes nos 96 jogos da fase de grupos da Liga dos Campões. Este ano não foi exceção.

A fase de grupos terminou e, das 32 equipas que se encontram divididas por oito grupos, apenas 16 tiveram a sorte – e a capacidade, obviamente – de continuar a sonhar. As equipas portuguesas não fazem parte desse conjunto, mas já lá vamos – até porque há muito para contar.

O grande troféu europeu de clubes / Fonte: blog.betboo.com
O grande troféu europeu de clubes / Fonte: blog.betboo.com

GRUPO A – Equipas apuradas: Manchester United e Bayern Leverkusen
Este grupo foi composto por Manchester United, Bayer Leverkusen, Shakhtar Donetsk e Real Sociedad. O campeão inglês era o claro favorito e não defraudou as expectativas: arrecadou o primeiro lugar do grupo com 4 vitórias e 2 empates. Apesar de a prestação na Liga Inglesa deste ano estar a ser deplorável, o Manchester United ultrapassou a fase de grupos com relativa naturalidade. O segundo lugar foi disputado entre o Bayern Leverkusen e o Shakhtar Donetsk. O clube alemão levou a melhor e conseguiu o merecido bilhete para a próxima fase. O objetivo será, certamente, repetir o trajeto de 2001, onde foi finalista da prova frente ao Real Madrid – os madrilenos acabariam por vencer por 2-1. No posto mais negativo deste grupo ficou a Real Sociedad. O clube da cidade de San Sebastián mostrou estar demasiado verdinho para estas andanças (cinco derrotas e apenas um empate) e sai da Europa com toda a justiça.

GRUPO B – Equipas apuradas: Real Madrid e Galatasaray
O grupo do Real Madrid, do Galatasaray, da Juventus e do FC Kobenhaven, ou, se quisermos ser mais primários, o grupo onde jogava Cristiano Ronaldo. O português marcou nove (!) golos e tornou-se o melhor marcador de sempre numa fase de grupos da Liga dos Campeões. Pelo meio, o Real Madrid conquistou a liderança do grupo com cinco vitórias e um empate – pormenores, eu sei.
A segunda posição foi ocupada pelo Galatasaray, de Bruma, que, graças à vitória de ontem frente à Juventus, por 1-0, segue para a fase seguinte.
A verdade é que a Juve, campeã italiana, teve uma péssima prestação europeia. Pode – e deve – fazer muito melhor. Remetida para a Liga Europa, que vai ter uma edição com equipas de enorme qualidade, é favorita à conquista do troféu.
Quanto ao último classificado, o campeão dinamarquês FC Kobenhaven teve a virtude de ganhar um jogo, mas a discrepância de qualidade para as restantes equipas era gritante. Sai da Europa de cabeça erguida.

GRUPO C – Equipas apuradas: Paris Saint German e Olympiacos
Aquando do sorteio, os benfiquistas viram com bons olhos as restantes equipas do grupo: Paris Saint German, Olympiacos e Anderlecht.
As perspetivas eram boas e as contas fáceis de fazer: o PSG, pela qualidade da sua equipa, conquistaria com alguma naturalidade o primeiro posto do grupo – o que acabou por acontecer; o Anderlecht lutaria pelo terceiro lugar mas o mais provável era acabar fora da Europa – o que também acabou por acontecer; o Olympiacos seria então o concorrente direto pelo segundo lugar, e talvez fosse o único obstáculo capaz de destruir o sonho de o clube da Luz jogar a final da Liga dos Campeões na sua própria casa – e não é que também isso foi acontecer?!
A verdade é que o Benfica conquistou 10 pontos e, em 136 grupos concluídos na Liga dos Campeões desde 1999/2000, somente por 10 vezes é que equipas com 10 pontos realizados na fase de grupos ficaram fora dos oitavos-de-final. Aquele jogo em Atenas…

Anúncio Publicitário

GRUPO D – Equipas apuradas: Bayern Munich e Manchester City
Sobre este grupo não há muito a dizer, os números falam por si: Bayern Munich – atual detentor do troféu – e Manchester City conquistaram (e dominaram), respetivamente, o primeiro e o segundo lugar do grupo, ambos com 15 pontos – o confronto direto entre as duas equipas ditou os respetivos lugares.
O Plzen e o CSKA Mosvka terminaram com apenas três pontos amealhados – que enorme diferença para os dois primeiros classificados! No entanto, o Plzen, por ter marcado mais golos fora no confronto direto frente ao CSKA Mosvka, segue para a Liga Europa.

Quem irá suceder ao Bayern Munich? / Fonte: img.ibtimes.com
Quem irá suceder ao Bayern Munich? / Fonte: img.ibtimes.com

GRUPO E – Equipas apuradas: Chelsea e Schalke 04
Grupo do Chelsea, do Schalke 04, do FC Basel e do Steaua Bucaresti.
O Chelsea teve algumas dificuldades em conseguir o primeiro lugar. Acabou por consegui-lo, mas, à imagem do que tem acontecido na Liga Inglesa, a equipa de José Mourinho mostrou-se demasiado intermitente – perdeu os dois jogos frente ao Basel – e tem forçosamente de aperfeiçoar a consistência do seu futebol, caso queira estar na Luz, em Maio.
O Schalke demonstrou a frieza e agressividade do futebol bávaro e o 2o lugar do grupo adequa-se bem à qualidade de jogo dos alemães.
O FC Basel teve, como já referi, o seu momento de glória ao vencer por duas ocasiões o Chelsea. A verdade é que os seis pontos amealhados nesses jogos foram importantíssimos para os oitos pontos finais que lhes valeram um lugar na Liga Europa.

GRUPO F – Equipas apuradas: Borussia Dortmund e Arsenal
Um dos grupos mais interessantes desta edição da Liga dos Campeões. Constituído por Borussia Dortmund, Arsenal, Nápoles e Marselha, desde o primeiro minuto que as expetativas em torno do grupo F eram de enorme entusiasmo.
Em termos pontuais, o Borussia, o Arsenal e o Nápoles terminaram os seis jogos de qualificação com 12 pontos. Aplicou-se o confronto direto (e o número de golos marcados), e o Borussia Dortmund findou no topo da classificação, seguido pelo Arsenal. O Napóles foi remetido para a Liga Europa – outra excelente adição à competição –, e, por fim, houve um inglorioso Marselha que deixou a Liga dos Campeões com 0 (!) pontos. Que ciclo tão triste percorre este histórico clube francês. Foi, sem dúvida alguma, a maior deceção entre os 32 clubes presentes na fase de grupos.

GRUPO G – Equipas apuradas: Atlético Madrid e Zenit
O grupo G foi pautado por um incrível Atlético Madrid que promete ser o mais forte dos “outsiders”. É candidato a uma presença na final?! Eu penso que a continuar assim os colchoneros são candidatos a tudo o que quiserem. Praticando um futebol dinâmico, agressivo, rápido e aliado a uma defesa compacta, o Atlético Madrid foi, até ver, a maior surpresa da Liga dos Campeões.
O F.C. Porto, pelo contrário, causou uma enorme deceção. Os escassos cinco pontos conquistados nos seis jogos efectuados demonstram bem a prestação dos azuis e brancos. Os pupilos de Paulo Fonseca nunca mostraram capacidade para seguir em frente – com a exceção do jogo do Dragão frente ao Atlético de Madrid,– e realizaram a pior prestação de sempre em casa nos jogos da Champions: apenas um ponto.
A aventura europeia dos dragões, tal como a do Benfica, continua na Liga Europa.
O Zenit mostrou-se também uma equipa muito irregular, com exibições pobres. Segue em frente na prova mais por demérito do F.C. Porto do que por mérito próprio. Os russos evidenciam ser um conjunto medíocre e duvido que façam mossa aos “tubarões”.
Por último, o Austria Wien, tal como esperado, foi afastado das competições europeias. Mas, atenção, o campeão austríaco foi um osso duro de roer – que o diga o F.C. Porto – e nunca se intimidou com a grandeza dos adversários. Agressivos e humildes, souberam sempre explorar as fraquezas dos “inimigos”.

GRUPO H – Equipas apuradas: Barcelona e AC Milan
O último grupo da Champions foi constituído por Barcelona, AC Milan, Ajax e Celtic. Quanto aos blaugrana, a equipa comandada por Tito Martino esteve desde o começo no topo da tabela e não mais o largou. Segue em frente com naturalidade e é, como todos sabemos, um dos grandes candidatos à final.
Quanto ao AC Milan, o clube italiano carece de alguma qualidade no plantel e foi com bastante dificuldade que conquistou a passagem aos oitavos-de-final. Não me parece um sério candidato e precisa urgentemente de reforços em janeiro.
O Ajax, esse emblemático clube holandês (que tem sempre um azar tremendo nos sorteios), caiu novamente num grupo de elevada dificuldade e, apesar dos oito pontos, foi incapaz de garantir um lugar entre a elite do futebol. Junta-se, no entanto, ao lote das equipas de grande qualidade que vão disputar a Liga Europa – é merecido, diga-se.
O Celtic foi último classificado do grupo com cinco derrotas e uma vitória. Os escoceses são sempre muito valentes e destímidos, mas, face a equipas de tamanha qualidade técnica, a probabilidade de conseguirem retirar algo de positivo era muito escassa. O prognóstico revelou-se acertado.

Este ano a participação das equipas portuguesas na Liga Dos campeões terminou bem cedo, o mais cedo possível, na verdade. Os dois representantes lusos não conseguiram, como vimos, a passagem aos oitavos-de-final da maior prova de clubes europeia e terminaram no 3o lugar dos respetivos grupos – aguardo com alguma curiosidade pelas prestações de ambos no palco secundário da Europa (final à vista!?).

Porém, o hino da Champions escutar-se-á uma vez mais em solo português: a 24 de Maio de 2014 no Estádio da Luz, em Lisboa. Eu não sei os nomes dos jogadores, não sei quais serão as duas equipas finalistas e também não sei quem será o grande vencedor. O que eu sei é que a 24 de Maio de 2014, quando das colunas da Luz romper o faustoso hino dos campões, o mundo terá os olhos postos em 22 atletas e uma bola. É tão simples, o futebol…

Comentários