Num domingo futebolístico recheado de confrontos onde a rivalidade fala mais alto, todos os olhos estiveram postos em Madrid. A capital espanhola viu o Atlético receber o Real no Vicente Calderón, em partida a contar para a sétima jornada da Liga Espanhola, e o prémio pelo triunfo era bem aliciante: no caso dos merengues, a vitória valia a liderança isolada do campeonato, ao passo que para os colchoneros servia de aproximação aos postos cimeiros da tabela classificativa. No final, a divisão de pontos não foi, de todo, o pior cenário para ambas as equipas, que conseguiram, ainda assim, ganhar pontos sobre o Barcelona e o líder Villarreal.

Rafa Benítez optou por uma abordagem cautelosa à partida, tendo em conta as recentes dificuldades do seu clube em vencer o rival madrileno, e surpreendeu ao deixar Gareth Bale no banco e chamar à titularidade Casemiro. Com o reforço do meio-campo defensivo era óbvio que as intenções do técnico espanhol passavam por adotar um futebol pragmático, bem ao estilo do que tem tentado implementar na sua estadia em Madrid.

Por seu turno, Diego Simeone apenas colocou Fernando Torres no lugar de Jackson Martínez no onze que havia utilizado a meio da semana ante o Benfica, tendo o ponta de lança espanhol a companhia de Ángel Correa no centro do ataque colchoneros. O melhor marcador da equipa, Antoine Griezmann, ao contrário do que tem sucedido desde que chegou ao Atlético, atuou descaído sobre a linha, situação que não abonou a favor da tática de contra-ataque utilizada pela turma de El Cholo, pois é o atacante francês que usualmente inicia a manobra no espaço central do campo, ao fazer uso da sua velocidade e drible acima da média para explodir até à baliza adversária.

Com o Atlético de Madrid a optar por um bloco baixo, o Real chegou cedo à vantagem na partida, mais precisamente aos 9 minutos, com Karim Benzema a aproveitar a passividade da defesa colchonera para responder com um cabeceamento certeiro a um cruzamento de Dani Carvajal. A fase seguinte do jogo viu as duas equipas procurarem o golo, com Correa a ser o mais atrevido e inconformado do lado do Atleti.

A meio da segunda parte, o Atlético teve uma oportunidade fulcral para empatar o marcador. Sergio Ramos com dois erros gravíssimos, ao perder a bola a meio-campo e na sequência da jogada cometer grande penalidade sobre Tiago, pôs em causa a vantagem merengue. O central espanhol, que viu um cartão amarelo que poderia até ter sido vermelho, é, sem dúvida, um excelente jogador com qualidades indiscutíveis, mas comete demasiados erros graves para um titular e um capitão de uma equipa do estatuto do Real Madrid. Com Varane e Pepe no plantel, pode vir a ter o lugar em causa. Ainda assim, Ramos teve a estrelinha da sorte consigo, pois Griezmann não conseguiu desfeitear Keylor Navas, a figura merengue do momento, quem tem sido o salvador do seu clube por inúmeras vezes esta época.

Keylor Navas foi novamente decisivo para o Real Madrid Fonte: Facebook do Real Madrid
Keylor Navas foi novamente decisivo para o Real Madrid
Fonte: Facebook do Real Madrid

Na segunda parte, o jogo perdeu intensidade e também algum interesse. O Atlético esteve por cima, no entanto com uma ofensiva lenta e algo apática, sem mostrar clarividência no meio-campo adversário, o que fez com que as ocasiões de perigo fossem escassas. Benítez quis defender o resultado e as substituições que efetuou foram com esse efeito, terminando o encontro ao mudar a tática e ficar com Ronaldo e Bale na frente.

Tanto quis Benítez defender a curta vantagem que o Atlético conseguiu chegar ao tão desejado empate. Numa jogada que teve como figuras jogadores que Simeone decidiu lançar na partida (Ferreira-Carrasco, Jackson e Vietto), o argentino Luciano Vietto conseguiu repor a igualdade a sete minutos do final da partida. Os instantes finais tiveram o Atlético a encostar o Real à sua área, e ainda Keylor Navas voltou a ser importante ao defender um tiro de Jackson Martínez que levava selo de golo.

Mais um derby madrileno realizado e desta feita com um empate e, consequentemente, um ponto para cada equipa. O Real Madrid falhou, assim, o assalto à liderança da Liga Espanhola e fica com os mesmos 15 pontos que Barcelona e Celta de Vigo, a um do líder Villarreal, ao passo que o Atlético fica na quinta posição a três pontos do topo da tabela.

A Figura:

Keylor Navas – Podia ser Diego Simeone a estar aqui, pelas escolhas que fez na partida e que se revelaram acertadas. No entanto, o guarda-redes do Real Madrid merece o destaque a si atribuído e foi mais uma vez decisivo para os merengues. O costa-riquenho defendeu o penalty de Griezmann e ainda conseguiu uma defesa fulcral a remate de Jackson Martinez que poderia ter dado a vitória ao Atlético. Feitas as contas, são apenas dois os golos sofridos por Navas em sete partidas na liga.

O Fora-de-Jogo:

Rafa Benítez- Tal como acima, poderia ser outro a estar nesta posição. Os erros de Sergio Ramos não tiveram consequências graves para o resultado, mas um jogador com o seu estatuto não os pode cometer. No entanto, aponta-se o dedo a Benítez, que mais uma vez optou pelo pragmatismo e por defender ao máximo a vantagem e deu-se mal. Na segunda parte, o Real Madrid foi nulo a atacar e a mudança de tática que o técnico espanhol fez no final da partida foi decisiva para as contas finais.

Foto de capa: Facebook do Real Madrid

Comentários