Cabeçalho Liga Espanhola

“...el toque de cabeza, va a dejar abajo para Esnáider…gol,gol,gol,gol,gol… – Foi desta forma que, em 1995, os repórteres da TVE2 gritaram o golo de Juan Esnáider na final da Taça dos Clubes Vencedores das Taças, diante do todo poderoso Arsenal FC, e que ajudou o Real Zaragoza a levantar o segundo troféu internacional da sua história.

Corria o mês de Maio de 1995 quando o nome Juan Esnáider entrou para sempre para a história do futebol europeu. Num Parc des Princes muito perto da sua capacidade máxima, o modesto Real Zaragoza chocava a Europa do futebol ao bater o gigante inglês Arsenal FC por 2-1, numa partida extremamente bem jogada e com uma intensidade fantástica, vivida em completo sobressalto até ao último minuto do prolongamento, quando o antigo internacional jovem espanhol Nayim disparou do meio da rua, apanhando de surpresa David Seaman, que se manteve deitado dentro da sua baliza por algum tempo tentando digerir aquilo que lhe acabava de acontecer.

Juan Esnáider e seus pares, orientados com grande mestria pelo inconfundível Víctor Fernández, escreviam o seu nome na história e catapultavam o nome do Real Zaragoza por essa Europa fora, depois de já terem deixado para trás o também poderoso Chelsea FC nas meias-finais da competição.

De Buenos Aires para Madrid

Anúncio Publicitário

Juan Esnáider começou a dar nas vistas assim que começou a jogar futebol e, curiosamente, o outrora goleador do Real Zaragoza começou a sua carreira como médio direito, mas a falta de soluções levou a que o seu treinador no Club Ferro Carril Oeste o colocasse como avançado centro, sendo precisamente nessa posição que se deu a conhecer no Sudamericano Sub-20 em 1991.

Sem surpresas, o jovem Juan Esnáider tinha AC Milan e Real Madrid CF a baterem-lhe à porta e, quando aparentemente estava tudo definido para se juntar ao emblema italiano, o avançado de 18 anos seguiu viagem para a capital espanhola. Em Abril de 1991, Esnáider chega a Madrid e é recebido com enorme expectativa pela comunicação social, que sussurrava maravilhas daquele desconhecido jovem argentino.

O seu carácter forte e a sua forma de estar altamente desinibida permitiu a Juan Esnáider uma integração fácil num balneário carregado de estrelas como era o do Real Madrid. O limite de extra-comunitários na Liga Espanhola fez com que o jovem argentino fosse colocado junto da equipa B do Real Madrid, mas mesmo isso não fez esmorecer o entusiasmo de Juan Esnáider, que continuou a dar cartas na filial do gigante europeu. Em 1993, a falta de oportunidades na primeira equipa da formação madrilena fez com  surgisse no horizonte a possibilidade de rumar ao Real Zaragoza, a título de empréstimo, e, apesar das reservas que manifestou inicialmente, Esnáider acabou por aceitar a mudança  quando lhe garantiram que iria trabalhar com um treinador que dava oportunidades aos mais jovens e que estava a forjar uma excelente equipa ao leme do conjunto aragonês.

Comentários