A CRÓNICA: JÁ LÁ VÃO 13 PONTOS…

Num dérbi madrileno sempre escaldante entre as duas defesas menos batidas do campeonato espanhol, o Real Madrid derrotou o Atlético por 1-0 e consolidou a liderança isolada. Numa primeira parte em que o Real tentou entrar “mandão” e sempre com mais posse, as melhores oportunidades acabaram por ser criadas…na baliza de Courtois. De modo a reagir às mais recentes exibições, o Atlético – após quinze minutos mais apagados – revelou saber jogar no erro do adversário e causar mossa nas transições ofensivas, mas continuava a faltar o golo. Após a ameaça de Sergio Ramos, Vitolo respondeu em dose dupla e também Saúl Ñíguez assustou o guardião belga. Insatisfeito com a quebra de rendimento da sua equipa, Zidane procedeu a uma dupla alteração no regresso dos balneários, numa tentativa de dar mais largura ao seu jogo, algo que viria a resultar. Valverde deu o primeiro cheirinho de ameaça logo a abrir e, pouco depois, seria Benzema a inaugurar o marcador numa boa jogada coletiva. Os colchoneros foram incapazes de reagir e até estiveram perto de ver a desvantagem a ser aumentada, face ao poderio ofensivo adversário que foi nota dominante no segundo tempo. Já lá vão 13 pontos de distância para o líder…

A FIGURA

Fonte: La Liga

Karim Benzema – Um mês e meio depois, eis o regresso do avançado francês aos golos. Na primeira parte, Benzema esteve algo apagado (devido às poucas investidas ofensivas por parte dos merengues), mas acabou por sobressair no segundo tempo, com as alterações impulsionadas por Zidane a serem uma ajuda para que o ponta de lança aparecesse com mais perigo junto da baliza de Oblak.

Anúncio Publicitário

O FORA DE JOGO

Fonte: La Liga

Álvaro Morata – Exibição apagada do avançado espanhol. No melhor período do Atlético no jogo, Morata pareceu passar ao lado de todo o processo ofensivo, tendo sido a unidade menos produtiva no primeiro tempo, sem criar e sem arrastar adversários. Terá sido substituído no início do segundo tempo devido a questões físicas, mas dificilmente faria melhor estrategicamente caso tivesse condições de continuar em campo.

 

ANÁLISE TÁTICA – REAL MADRID

Ainda sem poder contar com Bale, Zidane optou por povoar o meio-campo numa espécie de 4-3-2-1, com cinco médios a servir de apoio a Benzema, a unidade mais adiantada dos merengues. Apesar da entrada pressionante, a estratégia implementada acabou por ser anulada pelo adversário (com muita permeabilidade nas transições) no decorrer da primeira parte. Com as entradas de Vinícius e Lucas, os blancos passaram a alinhar em 4-3-3 e isso foi uma vantagem para que as chegadas à baliza contrária levassem realmente perigo, com resultados práticos.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Courtois (6)

Mendy (7)

Sergio Ramos (7)

Varane (6)

Carvajal (6)

Casemiro (7)

Valverde (8)

Kroos (7)

Modric (7)

Isco (6)

Benzema (8)

SUBS UTILIZADOS

Vinícius Júnior (7)

Lucas Vázquez (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – ATLÉTICO DE MADRID

No já habitual 4-4-2, Simeone foi forçado a alterar uma peça relativamente à jornada anterior, com Vitolo a alinhar no lugar do lesionado João Félix. Não se pode dizer que os colchoneros tenham entrado bem, mas souberam contrariar o rumo dos acontecimentos, podendo-se mesmo dizer que pouco falou para irem para o intervalo em vantagem no marcador. No entanto, face às alterações táticas do adversário no segundo tempo, o Atlético revelou ser incapaz de travar as investidas ofensivas e deixou, inclusive, de visar a baliza contrária.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Oblak (6)

Lodi (7)

Felipe (6)

Savic (5)

Vrsaljko (6)

Saúl Ñíguez (7)

Llorente (7)

Thomas Partey (6)

Correa (5)

Vitolo (7)

Morata (5)

SUBS UTILIZADOS

Thomas Lemar (6)

Carrasco (5)

Camello (5)

 Foto de Capa: Real Madrid