A CRÓNICA – “REMONTADA” TARDIA FICOU CURTA

Num jogo entre duas formações que ambicionavam carimbar o passaporte para as meias-finais da Copa del Rey, o Real caseiro surgia como favorito, mas o adversário basco, com um misto de juventude e experiência, não concedeu quaisquer facilitismos e levou de vencida os homens da capital. Como ser favorito é algo que, se não for confirmado em campo, de nada serve, a Real Sociedad fez questão de mostrar isso bem cedo na partida. O criativo Martin Odegaard, emprestado pelos madrilenos aos bascos, aproveitou uma primeira intervenção incompleta da defesa da casa para abrir o ativo, pouco depois dos 20 minutos. Os “merengues” estiveram bastante erráticos no momento defensivo, permitindo a Alexander Isak surgir várias vezes nas costas de Ramos e Militão, ele que dispôs de várias hipóteses para dilatar a vantagem basca. Se no primeiro tempo o avançado sueco vacilou, no segundo, veio com “fome” dos golos que havia falhado. A primeira bola que introduziu na baliza adversária foi anulada, por fora de jogo, mas nas duas seguintes, passou o resultado de 0-1 para 0-3, através de dois tentos de grande qualidade. A formação do Real Madrid reduziu de imediato, através do lateral esquerdo Marcelo, mas a equipa não conseguiu aproveitar e entrar num bom momento, tendo acabado mesmo por sofrer o quarto golo. A reação dos “blancos” só surgiu nos dez minutos finais, marcando ainda dois golos e colocando o resultado na diferença mínima, mas a tentativa de reviravolta ficou curta e a vitória acabou por sorrir aos bascos. Em todos os jogos disputados no atual ano civil, os madrilenos apenas haviam sofrido três golos, mas hoje tudo lhes correu mal. A Real Sociedad avança assim para as meias-finais, juntando-se aos surpreendentes Granada e Mirandés e ao futuro vencedor do encontro entre Athletic e Barcelona.

A FIGURA

Fonte: Real Sociedad de Fútbol

Alexander Isak – Os dois golos e a assistência que registou são os dados estatísticos que dão conta de uma exibição de enorme qualidade da parte do avançado sueco. Aproveitando bem o muito espaço que os dois centrais adversários lhe concederam, podia ter chegado ao hattrick, não fosse ter-lhe sido anulado um golo por fora de jogo. Mérito também para a grande exibição de Odegaard, que foi ao Bernabéu mostrar que pretende ser opção para os madrilenos.

O FORA DE JOGO

Fonte: Real Madrid CF

Defesa do Real Madrid CF – Do guarda-redes aos laterais, passando pela dupla de centrais, ninguém esteve bem no setor recuado dos “merengues”. Concederam espaços nas suas costas de forma constante, tendo sido castigados por isso mesmo. As várias alterações de Zidane, sobretudo neste setor, explicam em parte este apagão defensivo, mas uma equipa que gasta tanto em jogadores, particularmente nesta área do campo, não pode cometer os erros que cometeu.

ANÁLISE TÁTICA – REAL MADRID CF

Anúncio Publicitário

Com um 11 inicial cheio de mudanças, a escolha tática de Zinedine Zidane recaiu sobre o 4-3-3, com Valverde a ser o homem mais recuado dos três do meio-campo, Kroos o elo entre a defesa e o ataque e James o escolhido para assumir a tarefa de criação de jogo ofensivo. Na defesa, zona de maiores alterações (quatro no total, contando com o guarda-redes), esteve o “tendão de Aquiles” dos madrilenos, dado o muito espaço que foi concedido aos homens adiantados da Real Sociedad, que podiam ter marcado mais do que aquilo que fizeram.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Alphonse Areola (5)

Nacho Fernández (6)

Éder Militão (5)

Sergio Ramos (6)

Marcelo (6)

Federico Valverde (5)

Toni Kroos (6)

James Rodríguez (6)

Brahim Díaz (5)

Vinícius Júnior (7)

Karim Benzema (6)

SUBS UTILIZADOS

Luka Modric (6)

Luka Jovic (5)

Rodrygo (7)

 

ANÁLISE TÁTICA – REAL SOCIEDAD DE FÚTBOL

Alinhados em 4-2-3-1, tiveram em Martin Odegaard o maestro da equipa e em Alexander Isak o finalizador de serviço. Apesar das falhas defensivas demonstradas na segunda parte, a inspiração no ataque levou-os a uma exibição impressionante e à consequente vitória. Ajudados também pelas constantes falhas dos madrilenos, juntaram-lhes o seu bom futebol e realizaram uma bela exibição, sobretudo nos primeiros 20 minutos da segunda parte. Uma equipa a manter debaixo de olho durante o resto da época.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Alejandro Remiro (6)

Andoni Gorosabel (6)

Aritz Elustondo (6)

Robin Le Normand (6)

Nacho Monreal (6)

Igor Zubeldia (6)

Mikel Merino (6)

Adnan Januzaj (5)

Martin Odegaard (8)

Mikel Oyarzabal (6)

Alexander Isak (8)

SUBS UTILIZADOS

Ander Muguruza (5)

Ander Guevara (5)

Aihen Muñoz (5)

 

 Foto de Capa: Real Sociedad de Fútbol

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários