Cabeçalho Futebol NacionalO Vitória de Guimarães entrava nesta penúltima ronda da fase de grupos da Liga Europa com francas hipóteses de qualificação, depois de uma vitória moralizadora em casa frente a uma equipa mais poderosa, como é o Marselha. Mas os austríacos do Red Bull Salzburg mostraram que não estavam para brincadeiras e que este ia ser um jogo diferente daquele que se viu no estádio D. Afonso Henriques , sendo o jogo na cidade natal do compositor clássico, Mozart, é caso para dizer que o Salzburg tocou outra sinfonia, vencendo confortavelmente a equipa portuguesa, bem diferente do empate a dois que se verificou na primeira volta.

 Foi com um estádio “despido” e um ambiente amorfo que se iniciou esta partida muito importante para as contas da qualificação, uma primeira parte condizente com o ambiente que se vivia no estádio, onde ainda assim era a equipa da casa quem mais sobressaia, principalmente pelo pés de Valon Berisha, o médio kosovar aproveitava a dificuldade da equipa vitoriana em acertar as marcações para aparecer muitas vezes sozinho a cruzar, o primeiro golo da noite aparecia assim pela cabeça do jogador israelita Munas Dabbur que correspondia da melhor maneira ao cruzamento de Stefan Lainer, um golo justo tendo em conta a toada que se verificava e que não surpreendeu quem assistia ao jogo.

O Vitória de Guimarães iria despertar um pouco com este golo, começando timidamente a aproximar-se do meio-campo austríaco, o primeiro remate vitoriano surgiria apenas aos 41 minutos e com uma grande oportunidade por parte de Hurtado , bola à trave, excelente oportunidade do Guimarães na primeira vez que conseguiu rematar á baliza, muito perto o empate, mas seria o Salzburg quem ainda marcaria antes do intervalo depois de um remate fora de área por parte do lateral Andreas Ulmer.

Equipa austríaca mostrou-se muito eficaz durante o jogo Fonte: UEFA
Equipa austríaca mostrou-se muito eficaz durante o jogo
Fonte: UEFA

Esperava-se que o segundo tempo trouxesse um diferente Vitória de Guimarães, e aquilo que se viu foi um Vitória com mais posse de bola, mas ainda assim muito pouco esclarecedor no último terço do campo, um jogo fraco que só se viria a agravar com o golo que “matava” definitivamente o jogo aos 67 minutos por parte do recém-entrado em jogo, Hee-Chan Hwang.

A partir deste golo o Guimarães foi uma equipa completamente desgastada física e psicologicamente e o Salzburg uma equipa que apenas controlava o resultado tornando o resto do jogo muito pouco interessante para os espectadores.

Anúncio Publicitário

O resultado final foi um sempre pesado 3-0 , mas um resultado justo tendo em conta as diferenças que se verificaram entre as duas equipas ao longo dos 90 minutos, o Salzburg garantiu a qualificação e o primeiro lugar do grupo, o Vitória de Guimarães não “morreu” ainda, mas complicou a sua qualificação, terá que esperar que o Salzburg ganhe o próximo jogo frente ao Marselha e conquistar a vitória, em Guimarães, frente aos turcos do Konyaspor.

Foto de capa: UEFA