A Liga Europa, independentemente da época, conta sempre com emblemas sonantes. Para isso têm vindo a contribuir vários fatores, como o eclodir de clubes como Tottenham e Manchester City em Inglaterra. Tal facto faz com que nem todos os clubes de topo ingleses, como é lógico, caibam na prova máxima da UEFA.

Além disso, nessa mesma prova, não é anormal um conjunto com ambições superiores se ver cair para a prova secundária europeia, após o término da fase de grupos.

Dia sete, quinta feira, disputar-se-ão as primeiras mão dos oitavos.

Começando pelas equipas inglesas, Arsenal FC e Chelsea FC, realço a pouca importância ou descrença nutrida por esta prova. Jogadores que têm dentro de si ambições maiores, teoricamente subestimam certos adversários ou não se apresentam tão sólidos. Isto tudo teoria. Porém, também os media britânicos são um claro depreciador desta competição, acabando sempre inevitavelmente por fazer sobressair a comparação com a Champions.

Com adversários como Rennes (Arsenal), e Dínamo de Kiev (Chelsea), o mais certo é que os ingleses não tenham problemas em seguir em frente.

O Rennes ultrapassou o Bétis na ronda anterior, numa eliminatória em que o favoritismo se encontrava do lado dos espanhóis. O conjunto gaulês, não é, de todo, favorito, ocupa a 10ª posição na Ligue 1, mas a Liga Europa é sempre alheia a competições internas…

No duelo entre o Dínamo e o Chelsea, a questão é idêntica, os ucranianos são inferiores aos comandados por Sarri, mas podem esperar do oponente uma certa desmotivação. Toda ela, teoria. Não esquecer, que a segunda mão será na Ucrânia…

Jovic está em grande plano, será a maior ameaça no ataque ao Inter
Fonte: Bundesliga.com

No lote de duelos, à priori, bem equilibrados, no que diz respeito ao estatuto dos emblemas, coloco o Nápoles-Salzburgo; Eintracht Frankfurt-Inter de Milão; Valência-Krasnodar; Zenit-Villarreal. Neste lote que enunciei, o que irá determinar a passagem, muito possivelmente, será o reduto em que se disputa a segunda mão.

No duelo entre italianos e austríacos, fica a sensação que o Nápoles tem mais capacidade de seguir em diante. Pelo nome, pelos jogadores, pelo treinador… Mas convém não esquecer também a audácia do Salzburgo no seu estádio! É nele que será determinada a passagem à próxima eliminatória.

Os alemães de Frankfurt recebem primeiro o Inter. Eu perspetivo a passagem à próxima fase dos primeiros, penso que neste momento são uma bela equipa (em que se destaca Luka Jovic), com rotinas bem assimiladas. Porém, a segunda mão joga-se em Milão…

O Valência tem-se apresentado uma equipa “tremida”. A consistência não tem sido o seu forte. Sem golos sofridos na eliminatória antecedente, frente ao Celtic de Glasgow, de realçar que os espanhóis foram ganhar 2-0 a um estádio tão difícil como é o Celtic Park. Por sua vez, o Krasnodar, que após um nulo a zeros na Rússia decidiu o jogo na Alemanha, no campo do Bayer Leverkusen, terá de mudar a estratégia, pois desta feita joga-se primeiro em Espanha. Mas não será isso uma vantagem para os russos?

Falando em russos, o Zenit também preenche uma vaga neste leque de equipas apuradas. Mais curioso ainda, é que à imagem dos seus conterrâneos, também enfrentam uma equipa espanhola! Medirão forças com o carrasco do Sporting de Lisboa, o Villarreal. O submarino amarelo, como nos 16 avos de final, dirige-se primeiro ao estrangeiro, e defende no novo “El Madrigal”, chamado de “Estadio de la Cerámica”, a passagem à próxima paragem. Frente aos leões correu bem…

Krovinovic pode contribuir com algum “know how” acerca dos croatas…
Fonte: SL Benfica

O Benfica, jogando a 2ª mão na Luz, só pode passar. É o mais certo. Sem desprimor pelo adversário, mas o conjunto de Bruno Lage, jogando como joga, e mesmo com poucos disponíveis para o eixo da defesa, apresenta boas soluções. O Dínamo, na ronda passada, tinha sido derrotado pelo Plzen, mas em sua casa selou a passagem com uns convincentes 3-0. Será ao contrário, nesta fase, e contra um adversário mais potente, terá muito poucas chances de discutir o apuramento.

O Sevilha, após uma forma de fulgor (no início da temporada), apresenta-se menos prolífero. Não tem amealhado muitos pontos no campeonato, tem-se ido abaixo. Contudo, no que se refere a esta prova, os andaluzes revelam-se exímios. Encontrarão o Slavia Praga, que deixou por terra o Genk, da Bélgica. Após um nulo a zeros em casa, os checos resolveram com uns convincentes 4-1 fora de portas… O primeiro embate será no Ramón Sánchez Pizjuán, levando a decisão final para a República Checa…

Sete e catorze, serão, respetivamente, as datas referente às primeiras e segundas mão desta edição da Liga Europa. Serão desfechos difíceis de prever, que dificultarão a vida a qualquer apostador!

Foto de capa: UEFA

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários