Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Futebol Internacional

Era um Manchester muito fustigado por lesões que chegava aos Balaídos para jogar esta primeira mão das meias finais da Liga Europa. Enfrentava um Celta de Vigo que contava só uma derrota em casa nesta competição e que nos últimos tempos quase que abdicou de jogar a La Liga só para pensar nesta competição, onde queriam fazer história e nunca tinha chegado a esta fase.

Mourinho apostava num meio campo muito físico, com Pogba, Fellaini e Herrera a darem proteção ao virtuoso Mkhitaryan, que apoiava os velozes Lingard e Rashford. O Celta apostava em Guidetti na frente a segurar os defesas ingleses e a temporizar para o apoio de Daniel Wass, Iago Aspas e Pione Sisto.

Entrou bem o Manchester, mas foi do Celta a primeira ocasião de golo, com um grande falhanço de Daniel Wass. Responderam os Red Devils por Rashford, com um grande remate de fora da área para uma defesa não menos soberba de Sergio Álvarez.

Pogba era um monstro no centro do terreno e controlava todo o jogo da sua equipa, lançando depois venenosos contra-ataques. Fê-lo ao minuto 34, quando colocou Mkhitaryan na cara do guardião espanhol, que respondeu mais uma vez com uma grande intervenção.

Sucediam-se as ocasiões para o Manchester e valia ao Celta a grande exibição que Sergio Álvarez estava a arrancar. Desta vez foi Lingard a falhar no frente-a-frente com a ultima barreira. Chegava o intervalo com tudo como começou e estaria Mourinho a pensar na falta que lhe fazia ali, por esta altura, Zlatan Ibrahimovic?

Rashford fez o golo da vitória inglesa Fonte: Facebook Oficial do Manchester United
Rashford fez o golo da vitória inglesa
Fonte: Facebook Oficial do Manchester United

Entrou melhor o Celta para o segundo tempo, mas era um domínio controlado pelo Manchester United, que não permitia oportunidades de golo. Aos 58 minutos, um remate de Sisto de fora da área permite a Romero a primeira defesa do jogo digna desse nome e logo em grande estilo. Quando o jogo parecia cair para uma toada muito baixa, eis que aparece a estrela de Rashford na cobrança exímia de um livre direto a colocar os Reds em vantagem.

O Celta tinha que ir agora à procura de um golo que os mantivesse na eliminatória. Aumentou a posse de bola, mas os Red Devils faziam valer a sua maior experiência e não permitiam oportunidades de golo aos da casa, arrastando o jogo da forma que mais lhes servia. E foi dessa forma que chegou o fim do jogo, com o Manchester a controlar e a segurar uma vantagem importantíssima.

Hoje foi um Manchester United personalizado, que chegou a Espanha e controlou o jogo, que teve as melhores ocasiões de golo e mostrou que ainda é um grande da Europa. Para isso muito contribuiu Mourinho, que apesar de todas as contrariedades montou uma estratégia muito boa, num campo muito difícil e deixou a porta de Estocolmo escancarada.

Foto de Capa: Facebook Oficial do Manchester United

Anterior1 de 3Próximo

Comentários