O favoritismo foi atribuído desde cedo à equipa bracarense, por parte do treinador Ján Kozák, no entanto, a sua equipa com a vitória de 4-2 sobre o Besiktas JK era líder à entrada para a segunda jornada. O SC Braga tinha derrotado por 1-0 a equipa do Wolverhampton Wanderers FC, em pleno Molineux.

O campeão da Eslováquia não estava na Pedreira para facilitar, tendo como principal arma o contra-ataque. A turma de Braga desde cedo que percebeu isso e procurou controlar o jogo.

O Braga, durante a primeira metade, esteve quase sempre no terreno do Slovan, os 60% de posse de bola foram uma imagem do que se passou. Somente aos dez minutos, tivemos a oportunidade de ver uma acção digna de perigo, com João Palhinha a rematar ao lado, depois de um lançamento lateral na direita, a bola a pingar na área do Slovan e o jogador bracarense a não conseguir dar a melhor resposta.

Aos 19 minutos, o jogador Holman deu um toque subtil de calcanhar e quase que surpreendia o guardião Eduardo, que deu uma palmada na bola, evitando um golo da equipa visitante.

Anúncio Publicitário

Aos 24 minutos, foi a vez de Paulinho cabecear com algum perigo, após um cruzamento da esquerda de André Horta.

Com 31 minutos de jogo, finalmente aparece o primeiro golo do encontro. Medvedév cometeu uma falta sobre André Horta, este acabou por bater o livre na esquerda, a bola foi em direção a Bruno Viana, que acabou por dar uma “paulada” na bola que só viu o fundo das redes.

No último minuto da compensação, Bruno Viana cometeu grande penalidade sobre Sporar. O jogador esloveno bateu com força para a direita de Eduardo, este acabou por defender, mas na recarga o avançado do Slovan não perdoou e restabeleceu a igualdade.

O avançado Sporar marcou na recarga a Eduardo
Fonte: UEFA Europa League

Na segunda parte, os Gverreiros do Minho vieram desinspirados, com a posse de bola habitual, mas com pouca organização ofensiva. Sem criar oportunidades e sem rematar à baliza, avizinhava-se uma segunda metade bastante complicada.

Até que aos 63 minutos, um fogacho de magia de Galeno, com um remate em jeito na quina esquerda da área, colocou os bracarenses novamente na frente. Parecia que a equipa se encaminhava para mais um triunfo europeu, visto que os eslovacos pouco ameaçavam.

Com as saídas dos irmãos Horta, a equipa perdeu alguma irreverência, visto que André tinha sido, até esta fase, um dos mais inconformados com o resultado.

Paulinho e Galeno lá na frente criavam oportunidades, mas nunca com o devido sucesso. Precisava-se de um ritmo mais rápido para a equipa chegar ao terceiro golo e, não havendo isso, estavam sujeitos a sofrer o empate.

Pois bem, foi isso que acabou por acontecer! Com uma combinação boa na direita, a bola a ir rasteira na grande área e Bruno Viana a introduzir a bola na própria baliza. Esteve no melhor e no pior da equipa, o central dos Gverreiros.

Logo após o golo sofrido, Sá Pinto mexeu na equipa, colocando Rui Fonte para tentar marcar o golo da vitória. Foi tarde, já que o empate se manteve até ao final.

No grupo K, o Braga lidera com quatro pontos, os mesmos que o segundo lugar, de Slovan de Bratislava. Em terceiro aparece o Wolverhampton, com três pontos, após ter ganho no dia de hoje por 1-0 na Turquia, frente ao último classificado Besiktas, que tem zero pontos.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

SC BRAGA: Eduardo, Nuno Sequeira, Pablo, Bruno Viana, Ricardo Esgaio, Fransergio (Sub. Rui Fonte, 88′), João Palhinha, André Horta (Sub. João Novais, 70′), Ricardo Horta (Sub. Trincão, 70′); Paulinho e Galeno.

SLOVAN BRATISLAVA: Dominik Greif, Artem Sukhotsky (Sub. Erik Daniel, 80′), Vernon De Marco, Myenty Abena, Jurij Medvedev; Kenan Bajric, Joeri de Kamps (Sub. Marin Ljubicic, 68′), David Holman (Sub. Dejan Drazic, 68′), Moha, Ibrahim Rabiu, Andraz Sporar.