internacional cabeçalho

Não passa despercebido a ninguém no mundo do futebol o fantástico inicio de temporada que o Manchester City está a obter, sob o comando de Pep Guardiola. Depois de o treinador catalão ter passagens por Barcelona B, Barcelona e Bayern de Munique, aceitou, para esta nova temporada, o maior desafio da sua carreira até à presente data. Não existem dúvidas de que o mais procurado treinador de futebol a nível mundial foi trazido para Manchester com a ambição de fazer mudanças por completo no clube, quebrando assim a era de Manuel Pellegrini, procurando o tão desejado sucesso na Champions League.

Muitos criticos sempre afirmaram que Guardiola apenas obteve bons resultados na sua carreira de treinador devido a ter plantéis já construídos ou que o seu estilo de jogo era pouco atrativo. É certo que este projecto ainda se encontra em progresso mas o inicio de época do City vem provar precisamente o contrário: Guardiola é um génio táctico, ponto. Guardiola e os Citizens contam com 8 jogos a nível oficial: 5 para a Premier League e outros 3 para a Champions League. Em 8 jogos conseguiram 8 vitórias, 25 golos marcados e apenas 4 golos sofridos. De frisar que os pupilos de Guardiola, foram à casa do rival Manchester United vencer por 2-1, com golos de De Bruyne e Iheanacho.

Anúncio Publicitário
aaa
O sistema de base do Man City

Olhando em detalhe para as filosofias e ideias tácticas, não existe nenhuma surpresa em ver que a táctica usada por Guardiola é na sua génese um 4-3-3 com especial foco na manunteção da posse de bola. Mas é aqui que a magia de Guardiola se faz sentir. Se existiam dúvidas inicialmente que Guardiola não disponha da qualidade suficiente para colocar a sua filosofia em prática, e principalmente em tão pouco tempo, o forte desempenho dos Citizens até hoje demonstra o contrário. Os seus laterais, ora Kolarov/Clichy na esquerda ou Zabaleta/Sagna na direita, fogem ao tipico posicionamento dos defesas laterais e encontram-se a jogar mais por dentro, quase funcionando como médios centro. É uma ideia que já vêm dos tempos do Bayern de Munique, onde Rafinha, Lahm ou Alaba desempenhavam este papel. Com isto existe uma maior superioridade no meio-campo permitindo então uma maior posse de bola e um maior controlo da zona central do terreno.

O posicionamento dos laterais é uma nuance tática interessante na equipa de Guardiola
O posicionamento dos laterais é uma nuance tática interessante na equipa de Guardiola

Uma das posições mais importantes nesta táctica de Guardiola é o médio defensivo. No Barcelona era Busquets, no Bayern era Xabi Alonso. Hoje, no City, Fernandinho é o homem escolhido para desempenhar estas funções. A função do médio defensivo é baixar para perto dos centrais, garantindo mais uma opção de passe e uma forma de sair a jogar, enquanto também garante a cobertura defensiva necessária face ao movimento dos laterais para o meio. Mais adiante, existe uma linha de quatro composta por Nolito, David Silva, Kevin De Bruyne e Sterling. Enquanto que Nolito e Sterling ficam mais abertos nas alas, David Silva funciona como médio ofensivo mais dinamico, quase como um falso número 8, enquanto que De Bruyne funciona mais como um falso número dez. Ambos são muito importantes nesta filosofia de Guardiola, procurando sempre os espaços entre linhas. Aguero é o homem mais avançando no terreno jogando como ponta de lança solitario.

O 4-3-3 de Guardiola transforma-se muitas vezes durante o jogo num 3-2-5. Para além da táctica e filosofia de Guardiola estarem a demonstrar ser excelentes de observar, juntamos a isso o facto de estarem também a ser bastante eficazes ajudando o City a conseguir vitórias e a dominar os encontros. De salientar também a rapidez com que os jogadores estão a assimilar as ideias do novo técnico, não seria de esperar que um processo tão demorado tive tão bons resultados numa fase inicial. De destacar as grandes exibições de De Bruyne, David Silva e Aguero mas quero destacar também um pormenor que já gostava de ver no Bayern de Guardiola quando usava Alaba a vir para zonas mais centrais, usando no City, Kolarov para esse efeito. Jogando ora como central ou como lateral a fletir para o meio, o sérvio para além de ter uma excelente qualidade de passe, ainda consegue dar uso por várias vezes ao seu excelente remate. Concluindo, a taxa de progressão do City é extremamente promissora e ao que tudo indica os Citizens podem estar a trilhar o seu caminho para o sucesso sob o comando do seu novo héroi, Pep Guardiola.

Foto de Capa: Facebook Man City