Anterior1 de 2Próximo

Terminou um ciclo. Arsène Wenger esteve no comando técnico do Arsenal durante 22 anos e Unai Emery toma o lugar depois de duas temporadas no Paris Saint-Germain. Para além de feitos inéditos, como o campeonato invicto, o que definiu muito a gestão de Wenger foi a contenção e algum conservadorismo na contratação de jogadores que culminou em fracassos recentes na qualificação para as competições europeias e, claro, derrotas quase humilhantes contra rivais ingleses que se foram reforçando de forma abrupta.

Pode parecer contraditório afirmar isto, mas a verdade é que sempre vimos publicações como “jogador x e y na órbita do Arsenal” ou “Arsenal observa jogador z ou k”. No entanto, isso parece ter acabado, talvez por enquanto. Há bem pouco tempo, os seguidores do clube pediam quase em desespero reforços para a defesa e para o ataque. Chegou o central alemão Mustafi, vindo do Valência, Aubamayeng, do Borussia Dortmund e Lacazette, proveniente do Lyon. Pelo meio também chegou Mkitharyan, do United que levou Alexis Sanchéz.

Tirando a contratação do avançado gabonês, a mais sonante antes de Wenger deixar Emirates, o Arsenal tem vindo nos últimos dias de mercado a ultrapassar a barreira da especulação e as contratações estão a acontecer em massa. O mais interessante ainda é que os principais jogadores da equipa não deram ainda sinais de que poderão estar saída, exceto a grande esperança Jack Wilshere, que rumou ao West Ham. Todavia, são apostas que não chegam ainda para igualar com o Manchester City, United, Chelsea e até o Tottenham.

As redes sociais nesse aspeto não perdoam e parece que agora é só pedir. Os adeptos ‘gunners’ querem este jogador e ele chega entretanto.

Um deles, um “namoro antigo”, é Bernd Leno. O guarda-redes chegou do Bayer Leverkusen a troco de 20 milhões de euros, valor que coloca já o alemão com um dos guardiões mais caros. Merecia uma convocatória para a seleção da Alemanha, mas agora a chegada a Inglaterra pode recompensar pois ainda há Petr Cech para a baliza londrina, que pode lançá-lo para uma carreira duradoura. Era titular indiscutível na Bundesliga nas últimas sete temporadas.

Há uma aposta em clara em querer voltar ao sistema de quatro defesas. A custo zero chega o veterano ex-Juventus, Stephan Lichtsteiner. O lateral direito suíço vai ser a aposta alternativa ao velocíssimo Bellerín quando for necessário maiores tarefas defensivas naquela ala e baixar as linhas mais recuadas do campo. No lado esquerdo há o bósnio Kolasinac e o espanhol Monreal.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários