A CRÓNICA: GUILMORE APRESENTA-SE A LAMPARD, MINAMINO NA EXPECTATIVA

Em partida a contar para os oitavos de final da Taça de Inglaterra, o Chelsea FC venceu o Liverpool FC por duas bolas a zero, em Stamford Bridge. Num primeiro tempo caraterizado pela superioridade dos homens da casa, apesar do jogo de parada e resposta de ambos os conjuntos, foi o Chelsea a criar o primeiro lance de grande perigo. Willian aos 12’ avisou, aos 13’ atirou a contar. Se no minuto anterior, Adrián se agigantou, depois facilitou e deu um “frango à espanhola”. À passagem do vigésimo minuto, Kepa fez três defesas no mesmo lance e volta a dar uma boa dor de cabeça a Lampard. Na 2ª parte, o Liverpool volta a entrar mais forte na pressão e acutilância no último terço, mas a resposta dos blues deixou-os em sentido. Mason Mount, de livre, atirou à trave (62’). Onde é que eu já vi este filme? Primeiro avisam, depois marcam. Desta vez, foi Barkley a correr mais de 50 metros com bola e a fixar o resultado final (64’). A retirar desta eliminatória, destaca-se a organização defensiva, reação à perda de bola e maturidade em posse – o mesmo quer dizer, Guilmore – por parte dos londrinos; enquanto que do lado do campeão europeu sobressaiu, mais uma vez, a menor competência para o ataque organizado, bem como o “corpo estranho” que ainda é Minamino.

A FIGURA

Fonte: Chelsea FC
Anúncio Publicitário

Billy Guilmore – Uma boa surpresa para quem não o conhecia. Maturidade, simplicidade, qualidade de passe e visão de jogo. É como que o clone perfeito de Jorginho. Nunca complicou, jogou e fez jogar. Teve capacidade ainda para segurar defensivamente o meio campo do Chelsea, aquando da saída de Kovacic. Um nome a decorar. 

O FORA DE JOGO

Fonte: Liverpool FC

Jurgen Klopp – É quase um crime, dizer algo menos positivo da equipa deste senhor do futebol. Porém, esta noite, os planos saíram-lhe furados. Apesar das várias alterações no onze, esperava-se mais deste Liverpool. Ah, e se dúvidas houvesse, as taças não faziam parte dos objetivos desta temporada. Terá sido surpreendido pela estratégia de Lampard, ou será que precisa de se focar no ataque em organização? 

 

ANÁLISE TÁTICA – CHELSEA FC

O Chelsea apresentou-se para esta partida, no seu 4-2-3-1 predileto, em detrimento da alternativa 3-5-2, que também tem utilizado esta época. Kepa voltou à titularidade (após ter sido relegado para segundo guarda-redes), tendo à sua frente uma linha de quatro, composta pelo capitão Azpilicueta, Rudiger, Zouma e Marcos Alonso. No centro do terreno, Lampard surpreendeu, ao apostar no jovem Gilmour (apenas 18 anos) ao lado de Kovacic, ambos na ajuda à construção e a dar liberdade a Ross Barkley para se incorporar em jogadas ofensivas. Nas faixas, “mobília da casa”, o mesmo significa experiência em formato de qualidade, Willian e Pedrito Rodríguez. Na ausência de Tammy Abraham (que se encontra a recuperar de lesão), coube a Olivier Giroud fazer esquecer o homem-golo dos blues esta temporada.

 11 INICIAL E SUBSTITUIÇÕES

Kepa Arrizabalaga (7)

César Azpilicueta (7)

Antonio Rudiger (7)

Kurt Zouma (7)

Marcos Alonso (7)

Billy Gilmour (8)

Mateo Kovacic (6)

Ross Barkley (7)

Willian (7)

Pedro Rodríguez (8)

Olivier Giroud (7)

 

SUBS UTILIZADOS

Mason Mount (8)

Jorginho (6)

Reece James (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – LIVERPOOL FC

A par de Lampard, Jurgen Klopp também fez algumas alterações em relação ao seu onze habitual. Manteve-se o 4-3-3, mudaram jogadores e dinâmicas de jogo. Adrián tomou o lugar na baliza, Joe Gomez regressou à titularidade após lesão, ladeado pelo intocável Van Dijk. Pela esquerda, Robertson também não tirou os pés do relvado, enquanto que, no lado oposto, Williams fez descansar Arnold. Fabinho a seis, Lallana a aproximar para construir e o talentoso Curtis Jones mais próximo do ataque. Frente essa, composta por Minamino – o internacional nipónico no centro, a ser ainda mais “falso nove” que o próprio Firmino – à espera de movimentos convergentes de Mané e Origi.

 

11 INICIAL E SUBSTITUIÇÕES

Adrián (6)

Neco Williams (5)

Joe Gomez (6)

Virgil Van Dijk (6)

Andrew Robertson (6)

Fabinho (6)

Adam Lallana (5)

Curtis Jones (6)

Takumi Minamino (5)

Sadio Mané (7)

Divock Origi (5)

 

SUBS UTILIZADOS

Roberto Firmino (5)

James Milner (5)

Salah (5)

Foto de Capa: Chelsea FC

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários