Hoje trago-vos uma história diferente, não tão focada em resultados, em finanças, ou de perspetivas fantásticas futuras, hoje trago-vos uma história de um clube distinto, um clube sustentável a todos os níveis. Sim, sustentável desde a abordagem financeira até à forma como o relvado é mantido, mas que mesmo assim é clube profissional e competitivo.

Falo do Forest Green Rovers FC, clube fundado a 16 de abril de 1889 com raízes na pequena cidade de Nailsworth no, também pequeno, condado de Gloucestershire.

O Forest, onde os jogadores são apelidados de “Green Devils” têm um passado de sucesso com um palmarés invejável de conquistas, com o ponto de ouro situado com a conquista da FA Vase em 1981/82 após derrotar o Rainworth Miners Welfare na final no mítico Wembley.

Os também apelidados de “Rovers” de momento competem na League Two, quarto escalão da pirâmide Inglesa, e tudo isto não seria mais que normal se não fosse o projeto do Clube diferente e raro de se encontrar nos tempos que correm na indústria do Futebol.

Anúncio Publicitário

Um dos rostos deste projeto, é Dale Vince, condecorado com uma das patentes mais reconhecidas na Grã-Bretanha (OBE – Order of the British Empire), distinção normalmente atribuída a individualidades que contribuíram nas mais distintas áreas, Dale é um Industrialista de energias verdes e sustentáveis.

Dale não é só o Chairman e Owner do Forest Green Rovers, é o fundador da Ecotricity, uma empresa baseada em Stroud, Gloucestershire e especializada em vender energias renováveis aos consumidores. Dale assumiu a presidência do Clube em 2010 e em fevereiro de 2011 o Forest Green Rovers anunciou que a alimentação dos integrantes da equipa iria passar a ser totalmente vegetariana, cortando o fornecimento de carnes vermelhas e brancas e alimentos que não fossem totalmente sustentáveis.

Plano aprovado do novo estádio do Forest
Fonte: Forest Green

Mas as mudanças por parte do novo Chairman não ficaram por aqui. Vince inseriu inúmeras medidas ecológicas no Clube, como a introdução de painéis solares e a instalação do primeiro relvado 100% orgânico no Mundo, e em 2015 foi neste revelado que o Forest se tornou o primeiro Clube Vegan do Mundo. Não satisfeito, Dale Vince conseguiu ainda a aprovação para o novo estádio dos Rovers, em Dezembro de 2019, que será o primeiro estádio totalmente construído em Madeira sustentável.

Mas a inovação do Forest Green Rovers ultrapassa as medidas que tomam no campo da energia e alimentar. No final de 2015, Charlie Reeves, economista de profissão, dividia o seu tempo entre ser trader de energia na Ecotricity e Analista de Performance no Clube. Aqui, desenvolveu inúmeras métricas e modelos matemáticos com o objetivo de recrutar jogadores de qualidade para Mark Cooper, treinador da altura e ainda atual do Forest.

Realizava análise pós-jogo com a ajuda da informação enviada pela empresa STATS Company, de forma levar o seu clube para outro patamar, e de facto levou. O Clube mais sustentável do Mundo foi promovido à League Two após a conquista da National League (5º escalão do Futebol Inglês) na época de 2016/2017. O trabalho de Charlie Reeves tem sido tão fortemente reconhecido, que foi recrutado pelo Everton Football Club, que milita no 1º escalão do Futebol Inglês.

É difícil prever quais serão as intenções ou os objetivos de Dale Vince para o Forest, neste momento têm um plantel de qualidade e jovem, em que a base do recrutamento passa por jogadores vindos da National e Conference League, que indica que não entrarão em investimentos que meteria o Clube fora de pé.

O que parece ser certo, é que todos os Clubes e até mesmo nós como individuais, temos um pouco a aprender com os Green Devils.

Comentários