A CRÓNICA: LEICESTER CITY FC DOMINADO EM CASA PELO MANCHESTER CITY FC

O confronto marcou o retorno dos finalistas da supercopa da Inglaterra. Desta vez, ao invés de uma taça, o que está em disputa são três pontos essenciais para o caminho até a glória máxima para a conquista da maior liga de clubes do mundo.

A partida começa com os blues não sentem a pressão de jogar fora dos seus domínios e iniciam as primeiras oportunidades de golo.

Logo aos cinco minutos, uma pressão do City que por pouco não sai o primeiro golo da partida. Bernardo Silva numa incrível jogada, passa por dois marcadores no lado esquerdo de ataque e cruza alto para Gabriel Jesus. No entanto, Schmeichel defende o arremate de cabeça. Mesmo assim, a bola ainda ficou nos pés de Fernan Torres para obrigar a defesa dos foxes a realizar novamente a defesa do arremate.

Anúncio Publicitário

Em seguida, aos sete minutos, veio a resposta do Leicester. Num contra-ataque que começa com Albrighton onde através de um lançamento, de antes do meio-campo, acha Vardy. O ponta de lança, livre no lado direito de ataque, manda a bola para o outro lado em direção ao meio da área para Maddison finalizar junto a Ederson. O guarda-redes brasileiro consegue realizar uma defesa corajosa.

Aos 18 minutos o City aplica a marcação alta, resultando num erro na saída de Tielemans, que entrega a bola para Bernardo Silva. O médio portugues caminha com a bola junto ao seu pé e arrematou no canto, para novamente, Schmeichel negar a oportunidade de golo.

Após o começo frenético, os blues permanecem como a equipa criadora de oportunidades. Porém, o ímpeto é diminuído e o ritmo das oportunidades fica mais calmo.

Somente no final do primeiro tempo, a partir dos 40 minutos, o lado azul de Manchester criou sucessivas oportunidades de golo. Através de diversos arremates, a defesa do Leicester finalmente afasta a bola do seu perigo. Para o Leicester as tentativas de contra-ataque por muitas vezes foram desperdiçadas no meio-campo em razão dos vários erros de passes.

Assim, encerrou-se a primeira etapa da partida. Com o Manchester City a fazer o papel de mandante, criando e abusando de diversas oportunidades de golo. Enquanto o Leicester apenas criou poucas oportunidades através de contra-ataques.

O começo da segunda etapa viu o Leicester novamente em busca do erro do City de modo a tornar efetivo o seu contra-ataque. Como resultado, duas oportunidades foram criadas por parte do Leicester. Uma delas fazendo a bola achar o fundo das redes, mas que ultimamente foi anulado por um fora de jogo.

Enquanto isso, o City permanece com a posse da bola, mas sem ameaçar de facto o golo de Schmeichel.

Após chute de Cancelo a bola rebate em Soyuncu, e fica livre para Bernardo Silva que arremata forte de pé esquerdo. Desta forma, aos 62 minutos, o golo dos blues inaugurou a bola na rede no King Power Stadium.

O golo na sua própria casa fez com o Leicester mudasse a sua postura. Assim, os Foxes começaram a ter mais a bola e determinaram um avanço da sua marcação. Porém, a equipa de Guardiola portou-se de forma perfeita e com calma para manter o ímpeto dos donos da casa contido.

Novas oportunidades surgiram após as substituições dos mandantes, logo aos 75 minutos. Quando Ihenacho num contra-ataque veloz pelo meio do campo passa por dois defensores e consegue dar uma assistência para Lookman, que, livre de marcação arremata. Obrigando Ederson a realizar uma defesa providencial para manter o resultado favorável para o City.

O que se viu para o restante da partida foi um controlo do City que desde o início se mostrou mais corajoso, através de um grande volume de jogo. Enquanto o Leicester esperou o erro do seu adversário que por vezes não foi o suficiente para marcar um golo.

Assim, com o solitário, mas eficiente golo de Bernardo, a vitória e os três pontos foram para o Manchester City. Determinando a subida para as primeiras posições além de credenciar os blues como um dos principais candidatos ao título da Liga inglesa. Por outro lado, o Leicester não consegue permanecer no caminho das vitórias e terá de recuperar este tropeço fora dos seus domínios para que se mantenha na briga por uma vaga na Liga dos Campeões.

 

A FIGURA

Ederson – Depois de uma grande exibição na última rodada, o City manteve um bom volume de jogo. No entanto, o Leicester demonstrou ser uma equipa perigosa ao criar diversas oportunidades. E um dos responsáveis por construir a vitória, sem dúvidas, é o guarda-redes brasileiro, em diversas defesas, impediu que os foxes empurrassem a bola para as redes. Determinando assim, a importante vitória fora de casa.

 

O FORA DE JOGO

Harvey Barnes O estilo de jogo reativo, sempre à espera dos contra-ataques, exige um raciocínio inteligente e uma tomada de decisão acertada. Isto passou longe do jogo de Barnes. O médio inglês não conseguiu dar mobilidade e opções ao ataque dos Leicester e ainda perdeu uma grande oportunidade quando recebeu a bola em frente ao guarda-redes adversário.

 

ANÁLISE TÁTICA – LEICESTER CITY FC

Os atuais campeões da Supercopa da Inglaterra, entraram em campo com duas novidades em relação ao último jogo. As entradas de Vendergaard e Bertrand foram as novidades da equipa do Brendan Rodgers. Que com 4-4-1-1, usou Maddison como um médio avançado e apenas Vardy como ponta de lança. Desta forma, os foxes mantiveram o esquema dos últimos jogos na Premier League. Para o segundo tempo, apenas a substituição de Iheanacho deu um fator diferente à formação. A entrada de outro ponta de lança com velocidade aumenta as forças do ataque do Leicester.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Kasper Schmeichel (8)

Castagne (5)

Vestergaard (7)

Soyuncu (4)

Bertrand (5)

Albrighton (5)

N’Didi (5)

Tielemans (4)

Barnes (3)

Maddison (4)

Vardy (6)

SUBS UTILIZADOS

Evans (5)

Ihenacho (6)

Lookman (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – MANCHESTER CITY FC

O retorno das competições nacionais trouxe o City de Pep Guardiola com o mesmo esquema de 4-3-3. Com Fernan Torres de falso nove, Gabriel Jesus e Grealish na função de extremas. Para o segundo tempo, a saída de Gabriel Jesus, para a entrada de Fernandinho faz com que Bernardo Silva desloca-se para a extrema-direita. E Sterling entrou na função exercida por Torres de falso nove.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ederson (8)

João Cancelo (6)

Rúben Dias (6)

Aymeric Laporte (6)

Kyle Walker (5)

Ilkay Gundogan (5)

Bernardo Silva (7)

Rodri (5)

Jack Grealish (7)

Gabriel Jesus (6)

Ferran Torres (5)

SUBS UTILIZADOS

Fernandinho (6)

Raheen Sterling (5)

 

Rescaldo de opinião redigido em português do Brasil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome