No jogo grande da jornada, Liverpool e Chelsea, num jogo intenso, mas nem sempre bem jogado – as equipas abusaram do pontapé para a frente, principalmente no primeiro tempo –, empataram a uma bola e mantiveram as respetivas classificações na tabela – o Chelsea já sabia que não ia mudar de posição. A equipa de Hazard e companhia, líder da classificação, consegue assim um resultado razoável, num jogo onde até podia ter conseguido algo mais.

Foi o Liverpool quem começou com a iniciativa do jogo, ainda que totalmente inconsequente. A equipa tinha mais bola, tinha o domínio territorial, mas exceção feita a um remate de Wijnaldum que Courtois defendeu, as chegadas à baliza do adversário não existiram. Depois dos primeiros quinze minutos, a equipa orientada por Conte melhorou, começou a ter mais bola e a equilibrar mais a partida, até que ao minuto 25’ David Luiz, de livre direto, surpreendeu Mignolet e atirou a contar, num grande pontapé, com a bola ainda a rasar o poste antes de beijar as redes da baliza. Quando se pensava que os reds iam reagir, foi o Chelsea quem manteve o controlo do jogo e esteve mais perto de aumentar a contenda, num livre de Willian que David Luiz não conseguiu desviar por muito pouco. Intervalo na partida e a saga negativa do Liverpool parecia que ia continuar.

David Luiz marcou de livre um grande golo e foi o melhor em campo Fonte: Chelsea FC
David Luiz marcou de livre um grande golo e foi o melhor em campo
Fonte: Chelsea FC

No entanto, o início da segunda parte trouxe novidades. Ao minuto 49’, contra-ataque rapidíssimo da turma de Klopp, e Firmino, na cara do golo, a precipitar-se e a atirar muito por cima. Três minutos depois, e já depois de Moses ter colocado Mignolet em sentido com um remate às malhas laterais, Wijnaldum empatou o marcador. Grande passe de Henderson, Milner de primeira a cruzar de cabeça para o coração da área e o médio holandês a saltar mais alto do que todos e a cabecear para o fundo das redes. O Liverpool não conseguiu aproveitar o “boost” emocional do golo e foi o Chelsea quem teve uma oportunidade soberana para empatar. Num contra-ataque, Diego Costa surgiu no um para um com Matip e, de forma muito inteligente, forçou a falta do camaronês e ganhou o penalty. Com tudo para colocar novamente o líder em vantagem, o hispano-brasileiro desperdiçou a ocasião e permitiu a defesa de Mignolet. O jogo, com o aproximar do final, ficou confuso e o golo podia ter surgido para qualquer das equipas. Pedrito, num remate de fora de área esteve perto do golo – o remate saiu a rasar o poste –, e Firmino, à boca da baliza e com tudo para fazer golo, cabeceou de forma frouxa e permitiu a defesa de Cortouis. Final do jogo e o Conte a ir “festejar” com os adeptos, o que demonstra bem da importância do resultado para os blues. Do lado do Liverpool, continua a série de jogos sem ganhar e pode ser alcançado na classificação pelo Manchester City.

1
2
3
Artigo anteriorSou do Benfica e isso me envaidece!
Próximo artigoJogadores que Admiro #63 – Roger Federer
Adepto de bom futebol, adora o jogo desde que se lembra de ser gente. Estudante de Comunicação Social, é capaz de passar horas a fio a devorar futebol, considerando-se um romântico do desporto rei. Recusa-se a discutir arbitragens e simpatiza com o Liverpool, muito por culpa da lenda do clube, Steven Gerrard. Espera um dia ser jornalista desportivo e olha para o futebol como uma arte que embeleza a vida.                                                                                                                                                 O Rafael escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.