O Manchester United já não é o que nos habituou, já não é o clube vitorioso dos tempos do mítico Alex Ferguson que venceu 13 Premier League, 5 FA Cups, 2 Liga dos Campeões, entre outros troféus. Desde que o técnico escocês saiu do cargo, o Man. United conquistou apenas cinco troféus em seis anos, sendo que três deles foram com José Mourinho. Números um pouco preocupantes para a realidade do clube.

Desde há seis anos para cá, a situação foi-se agravando e neste momento o United encontra-se numa conjuntura dificilmente reversível. O pior disto tudo é que a qualidade do plantel vai piorando de ano para ano.

Na era pós-Ferguson, o Manchester United até teve equipas interessantes e inicialmente com investimento garantido. O declínio teve início com David Moyes, que não soube aproveitar a equipa da época transata, juntando ainda Juan Mata e Fellaini como reforços. Foi despedido no final da época e a equipa terminou o campeonato no 7º lugar.  Depois surgiu Louis Van Gaal, que teve duas épocas ao serviço do clube inglês. O técnico holandês fez algumas contratações sonantes como Di María, Luke Shaw, Ander Herrera, Anthony Martial, Memphis Depay, entre outros. Ainda conseguiu vencer uma FA Cup, no entanto, nas duas campanhas realizadas na Premier League ficou em 4º e em 5º lugar, respetivamente. Os adeptos pediam mais devido à qualidade do plantel e ao investimento feito nas transferências, o que levou ao despedimento de Van Gaal para dar entrada ao português José Mourinho.

ACHAS QUE O MANCHESTER UNITED VAI TER CAPACIDADE PARA DERROTAR O LIVERPOOL NESTE FIM DE SEMANA? NÃO PERCAS TEMPO E APOSTA JÁ!

As expectativas com o Special One estavam bem altas e Mourinho pedia um plantel completo, o que “obrigou” ao clube a avançar para reforços. Na primeira janela de transferências, Mourinho adquiriu Paul Pogba por 105 milhões de euros, tornando-se na altura a transferência mais cara da história do futebol. Para além do francês, também se juntaram ao plantel Henrikh Mkhitaryan, proveniente do Arsenal, Eric Bailly do Villarreal e Zlatan Ibrahimovic do PSG, numa transferência a custo zero. O Man. United até faz uma época interessante, conquistando a Taça da Liga, a Community Shield e a Liga Europa. No campeonato, Mourinho não foi tão feliz e terminou em 6º lugar. Apesar de tudo, parecia que o Manchester United se estava a reerguer.

Fonte: Manchester United

Na época a seguir, Mourinho contratou Romelu Lukaku, Nemanja Matic, Alexis Sánchez e Victor Lindelof.  Dá-se então início à época 17/18 e o United não praticava o futebol esperado, mas ia vencendo as partidas. A luta para o 2º lugar foi taco-a-taco com o Liverpool e os red devils conseguiram acabar o campeonato à frente do rival. Mourinho, atualmente, considera que ter ficado em 2º lugar nesse ano foi um dos melhores feitos da sua carreira. Para além disso, nessa temporada, num total de 56 jogos, venceu 37.

Na época 18/19, José Mourinho queixa-se da direção não lhe disponibilizar o orçamento desejado para reforçar a equipa. O plantel do United era escasso e o treinador português pretendia reforçar principalmente a defesa. As únicas transferências de renome nesse ano foram Diogo Dalot e Fred, o primeiro por 20 milhões de euros e o segundo por 60. Os problemas com o técnico português começam a surgir, o clube desce de rendimento, as exibições são paupérrimas, há mau ambiente no balneário, Mourinho critica a equipa, desentende-se com Pogba e todo este conjunto de factores levou a uma instabilidade tremenda no clube. Os resultados também se refletiam nesses factores, eram apenas 10 vitórias em 24 jogos, o que levou ao despedimento do Special One, este que recebeu uma verba a rondar os 22 milhões de euros de indemnização.

Fonte: Manchester United

O clube de Old Trafford precisava então de um treinador capaz de orientar a equipa para um bom caminho. Chega o ex-jogador e lenda do clube, Ole Gunnar Solskjaer, que rapidamente convenceu os adeptos com uma vitória por 5-1 em casa do Cardiff. A equipa parecia outra, jogavam à vontade, sem pressão e os golos saíam naturalmente. A partir daqui Solskjaer começou uma série de vitórias consecutivas, até que a uma dada altura estava com um registo de 14 vitórias, 2 empates e 1 derrota, sendo que a derrota foi pouco relevante, visto que foi na primeira mão dois oitavos-de-final da Liga dos Campeões e o Man. United foi a Paris na 2ª mão derrotar o PSG por 1-3, qualificando-se assim para os quartos-de-final da prova.

No campeonato, a equipa não perdia e ascenderam ao 4º lugar. Na FA Cup, venceram 3 jogos sob o comando do novo técnico e tudo parecia estar bem encaminhado. Os jogadores não eram os mesmos, via-se Pogba motivado, Rashford, Martial e Lingard a combinarem bem na frente de ataque, um Lukaku goleador e principalmente um plantel unido. Esta mudança repentina indicava que o problema podia ser Mourinho e que os jogadores necessitavam de uma modificação na altura.

Pois, por coincidência, desde que os red devils venceram esse jogo em Paris e Solskjaer assinou contrato, passando então de treinador interino para oficial, o United voltou ao que era há uns meses atrás. Até ao final da época, venceu apenas 2 jogos, foi eliminado da Liga dos Campeões pelo Barcelona por um agregado de 4-0 e também afastado da FA Cup pelo Wolverhampton de Nuno Espírito Santo nos quartos-de-final. Findada a época, a direção do clube decide que o melhor é ficar com Solskjaer para a nova época que aí vem, no entanto, não se entende a gestão do plantel. O United comprou os defesas Maguire e Wan-Bissaka por 87 e 55 milhões de euros, respetivamente, com o objetivo de corrigir os erros defensivos, visto que tanto um como outro, já conheciam bem a Premier League e fizeram excelentes épocas ao serviço dos seus clubes na temporada anterior. Os problemas defensivos não foram corrigidos, porque neste momento a equipa sofreu golo em praticamente todos os jogos.

Fonte: Manchester United FC

Para além disso, não se compreende a escassez do plantel, tendo em conta que as soluções para o ataque são Rashford, Martial e James (reforço proveniente do Swansea), se um deles se lesiona, é preciso adaptar Lingard, que não é uma solução viável para essa posição, ou então colocar jovens como Greenwood ou Chong, que ainda são maduros para esta realidade. O meio-campo ainda é composto por vários jogadores, no entanto, Pogba supostamente seria a estrela da equipa e está muito abaixo do expectado, Matic perdeu espaço e um meio-campo composto por estes jogadores mais Andreas Pereira, Fred, Lingard e Mata não é suficiente para os objetivos desejados.

Destaque para McTominay, que tem sido o melhor jogador da equipa até ao momento. Outro dado incompreensível é o facto de o clube ter despachado Alexis Sánchez, Chris Smalling, Romelu Lukaku, Ander Herrera e Matteo Darmian, quando precisa claramente de mais soluções e um jogador desequilibrador como Sanchéz ou um número 9 como Lukaku. Rashford a avançado é desperdiçar qualidades do jogador. A palavra desperdício assenta bem a este Manchester United.

Ao que tudo indica, quando Solskjaer chegou ao comando técnico, sentiu-se uma libertação dos jogadores, como se de uma revolução se tratasse e a motivação psicológica é que jogava e fez toda a diferença. Como é possível ver atualmente, os red devils não têm ideias de jogo, prova disso é o 12º lugar no campeonato e apenas 9 pontos em 8 partidas realizadas.

Analisando bem o plantel, apesar de ser curto, tem vários jogadores de qualidade e se o investimento ao longo dos anos tivesse sido bem feito, o Manchester United podia ter uma equipa superior, também um treinador com mais anos de profissão e podia apresentar resultados melhores.

A comunicação social aparenta transparecer que Mourinho não era o culpado da situação do Manchester United na altura, pelo que se está a passar agora. A dúvida que paira neste momento é se José Mourinho realmente era o principal culpado ou não, isto porque é inegável enunciar certos deméritos do técnico português. O próprio também já deu a entender, em conversas com a comunicação social, que o responsável não era ele e agora é que estão a notar isso.

Fonte: Manchester United FC

É assim, isto já é relativo da opinião de cada um, no entanto, Mourinho pode não ter sido o responsável por esta situação, porque ela já vinha de trás, desde a saída de Ferguson e com tendência a piorar. Pode também não o ser, se relacionarmos a maneira como está o clube agora e a direção, isto porque supostamente a esta não apoiou devidamente Mourinho, nem lhe garantiu os reforços pretendidos, principalmente quando o técnico pediu um defesa de classe mundial.

À medida que o tempo passa, o jornalismo de investigação trabalha e vão saindo semanalmente notícias sobre esta circunstância. Por exemplo, ao que tudo indica, Mourinho no início da época passada, não pretendia comprar o médio brasileiro Fred, o que torna um pouco estranha a maneira como o clube funciona.

Por outro lado, mesmo que Mourinho tenha sido prejudicado, também esteve mal em vários episódios e tomou decisões menos acertadas. Apesar de tudo, é o treinador de uma equipa como o Manchester United, teve oportunidade pelo menos nas duas primeiras épocas ao serviço do clube de esbanjar dinheiro em reforços, prova disso são os quase 500 milhões gastos nos três anos. Para além disso, também contratou jogadores que não tiveram o rendimento esperado.

Mourinho também pecou pela influência no balneário, ele é forte em transmitir o que pretende à equipa, embora tenha perdido a fé dos jogadores nele. O Special One também é de ideias fixas e sempre teve um ou outro desentendimento com jogadores, no Manchester United começou a ser com mais do que um (o mais grave foi Paul Pogba) e perdeu muito por aí. Por outro lado, também há quem justifique que os jogadores fizeram a cama a Mourinho para que este saísse do clube.

O United precisa de uma revolução enorme, que ainda vai durar uns belos anos para voltar a ganhar a hegemonia inglesa. Nunca é impossível, basta olhar para o caso do Liverpool de Klopp.

Foto de Capa: Manchester United

Revisto por: Jorge Neves

Comentários