O Chelsea FC atravessa uma fase diferente da sua vida recente. Após a chegada de Roman Abramovich, dono do clube, nos blues têm sido investidos milhões atrás de milhões no reforço da equipa, tornando o Chelsea FC uma das melhores equipas do país, da Europa e do Mundo, com os melhores técnicos e jogadores da atualidade.

No entanto, a época 19-20, marca uma mudança repentina de paradigma: a FIFA castigou o Chelsea FC, proibindo o clube de contratar novos ativos nas próximas duas janelas de transferências (uma já foi – verão de 2019 – e a outra será em janeiro de 2020). Com isto, o Chelsea FC, que sempre contratou em massa e tinha vários jogadores nos seus quadros a rodarem noutras paragens por empréstimo, teve de olhar para dentro para construir o plantel 19-20.

Frank Lampard, lenda autêntica de Stamford Bridge, foi o único verdadeiro reforço. Depois de um excelente trabalho no Derby County FC, o ex internacional inglês foi o escolhido para comandar a equipa após a saída de Maurizio Sarri. No capítulo das saídas, o clube (finalmente) cedeu à venda de Eden Hazard, que rumou por 100 milhões de euros ao Real Madrid CF, e vendeu David Luiz (surpreendentemente) ao rival Arsenal FC, por simbólicos 9 milhões de euros. Perder a principal estrela da equipa, o patrão da defesa e o treinador numa época sem poder contratar, pôs os adeptos do clube a coçarem a cabeça e os experts a tirarem o clube da corrida pela Premier League e pela Liga dos Campeões.

NESTE FIM-DE-SEMANA HÁ CLÁSSICO EM INGLATERRA E ENVOLVE O CHELSEA FC! SERÁ QUE OS BLUES VÃO CONSEGUIR BATER O CAMPEÃO EUROPEU, LIVERPOOL FC? APOSTA JÁ!

Mas, a verdade, é que o clube não tem falta de talento bruto, tanto na sua formação, como a rodar em outros clubes na condição de emprestados. Aliás, não tem, nem nunca teve, mas a transição das equipas jovens para a equipa principal do Chelsea FC era difícil e pouco encorajada, pois nunca fez parte do ADN do plano desportivo do clube londrino. No entanto, em 19-20, teve mesmo de ser. Assim sendo, Lampard fez regressar vários talentos e há três deles que prometem ser um caso muito sério, valendo tostões no início de época, mas que podem valer muitos e muitos milhões no final desta temporada.

Mason Mount é um deles. Treinado por Lampard no Derby County FC, Mount esteve duas épocas a rodar, antes de regressar nesta temporada. Jogador inteligente, goleador e talvez versão mais próxima de Frank Lampard, como jogador, desde que este saiu do clube. Bastaram dois meses, para ser titularíssimo no meio campo blue e se internacionalizar pela equipa principal de Inglaterra.

Abraham é um dos maiores talentos do mundo a emergir atualmente
Fonte: Chelsea FC

Fikayo Tomori é outro exemplo de regresso e sucesso garantido. Também treinado por Lampard no Derby, o central inglês, natural do Canadá e descendência nigeriana, pegou de estaca no onze inicial depois de três temporadas de empréstimos. Tecnicamente evoluído, rápido, ágil e inteligente, Tomori também tem tudo para ser o próximo a chegar aos Three Lions.

Por fim, e o caso mais gritante de um super talento que andava perdido em empréstimos há três épocas, falamos de Tammy Abraham. Marcou 26 golos em 18-19 e ajudou o Aston Villa FC a regressar à Premier League. Ganhou o lugar a Olivier Giroud, campeão do Mundo por França, e a Michy Batshuayi, e já leva 7 golos em 7 jogos. Tecnicamente e fisicamente fortíssimo, parece ser uma versão melhorada e complementar dos últimos pontas de lança do clube, como Lukaku ou Morata, prometendo ser um caso do género de Harry Kane do Tottenham Hotpsur.

Estes três jovens craques formados no clube, juntam-se a outros três casos de sucesso recente de miúdos saídos dos escalões menores, como são os casos de Ruben Loftus-Cheek, Hudson-Odoi e Andreas Christensen. O Chelsea FC sempre teve craques nas suas equipas jovens, mas parece ser apenas agora que finalmente olham para quem vem de baixo, sendo que o castigo da FIFA veio dar um empurrão valente neste novo paradigma no clube de Stamford Bridge.

Para já, o início tem sido titubeante, com uma estreia desastrada na Liga dos Campeões, com a perda da Supertaça Europeia, e com duas vitórias, dois empates e uma derrota na Premier League. A equipa de Frank Lampard tem muito para andar, mas há um facto irredutível: apesar do castigo, não falta é qualidade no plantel blue desta temporada para sonhar alto, como é costume no clube.

Foto de Capa: Chelsea FC

Comentários