cab premier league liga inglesa

Da luta pela manutenção a principais candidatos ao título da Barclays Premier League. Esta é a realidade do “pequeno” clube do centro de Inglaterra. Se gostam de contos de fadas este é dos meus favoritos. Claudio Ranieri vai comandando o sonho do Leicester City FC, que partirá para a 26.ª com cinco pontos de avanço sobre o segundo classificado Tottenham.

De facto, o que o treinador italiano tem feito ao serviço dos Foxes é absolutamente fantástico. Mas a verdade é que de italiana esta equipa não tem nada. Ao invés da segurança defensiva, Ranieri preferiu construir um ataque avassalador que já conta com 47 golos esta temporada – o melhor registo do campeonato, a par do Manchester City.

Comecemos pelo princípio. Termina a época 2014-2015, o Leicester de Nigel Pearson garante a manutenção depois de um final de campanha espetacular em que a equipa das “raposas” consegue sete vitórias nos últimos nove jogos. No entanto, um escândalo que envolveu o filho do treinador leva a direção do clube a terminar a ligação com o inglês.

A 13 de Julho de 2015, a direção do Leicester contrata Claudio Ranieri para a nova época. O antigo treinador do Chelsea chega a um Leicester cujos objetivos são modestos, aspirando a uma época tranquila, sem grandes sustos.

Anúncio Publicitário

A verdade é que, a 6 de Fevereiro de 2016, a 13 jornadas do final do campeonato, a realidade é bastante diferente. Ora bem, o pequeno clube que aspirava à tranquilidade da segunda metade da tabela está a protagonizar a surpresa do século ao liderar o principal escalão do futebol inglês, com cinco pontos de vantagem.

A liderança do Leicester foi sendo menosprezada ao longo do passar das jornadas. Toda a gente acreditava que, eventualmente, a equipa sensação cairia. No entanto, as jornadas foram passando e o Leicester não vacilava, e neste momento continua com apenas duas derrotas no campeonato, frente ao Arsenal e ao Liverpool.

Hoje, finalmente, as raposas deram o seu grito de afirmação, ao derrotar, categoricamente, o Manchester City, no Etihad, por três bolas a uma.

Jamie Vardy assumiu-se como o porta-estandarte desta equipa, liderando a lista de melhores marcadores com 18 golos marcados. E quem melhor para simbolizar este clube do que o jogador que há cinco anos era um operário fabril e neste momento detém o recorde de mais jogos consecutivos a marcar?

A dupla Vardy-Mahrez tem sido a mais prolífica do campeonato e já levam 32 golos no campeonato Fonte: Leicester City FC
A dupla Vardy-Mahrez tem sido a mais prolífica do campeonato e já leva 32 golos no campeonato
Fonte: Leicester City FC

Mas Vardy não é o único que merece destaque; aliás, todos os elementos desta equipa são merecedores de todos os elogios possíveis. A força, a união, a ambição e o caráter desta equipa são tudo aquilo que pretendemos ver no futebol, tudo aquilo que dá magia ao desporto rei. Mas, como estava a dizer, existem outros dois jogadores que gostaria de destacar, Riyad Mahrez e N’Golo Kanté. O extremo argelino é incrível, dotado de uma técnica apuradíssima. É um jogador capaz de criar desequilíbrios a qualquer momento, é fortíssimo no um para um e ainda possui uma qualidade de passe e visão de jogo muito acima da média. Por seu lado, o médio francês é um poço sem fundo de energia, trabalho e dedicação. Trata-se de um box-to-box autêntico, com todas as virtudes necessárias para desempenhar a função. É rápido, tem técnica e drible, tem qualidade de passe e excelentes atributos defensivos.

A dupla Vardy-Mahrez tem sido a mais prolífica do campeonato e já leva 32 golos no campeonato. Jogam em perfeita sintonia, como se se conhecessem desde pequenos. Trata-se de uma dupla fabulosa e o maior trunfo de Ranieri neste ataque ao título da Premier League.

Claudio Ranieri decidiu implantar um 4-4-2 clássico, privilegiar o futebol ofensivo, os golos e o espetáculo, descurando um pouco o trabalho defensivo. Mas, como uma vez disse um grande imperador Romano, “a melhor defesa é o ataque”, e a verdade é que, além do melhor ataque, o Leicester detém o sexto melhor registo defensivo do campeonato, com 27 golos sofridos. Este sistema de Ranieri depende muito da capacidade dos seus jogadores de jogarem a um ritmo absolutamente fascinante e o facto de terem conseguido manter esse ritmo até ao último terço do campeonato é uma façanha deveras formidável. Afinal, estamos a falar do campeonato mais difícil do mundo e onde se exige mais, tanto a nível físico como mental, dos atletas.

Sem dúvida que futebol espetáculo e os jogos do Leicester têm sido sinónimos esta época. Esta equipa é das que mais prazer dá ver jogar. Transborda alegria, vontade e magia, coloca tudo em campo, joga sempre olhos nos olhos seja com quem for. À partida para esta jornada disse aos meus amigos que estas duas próximas jornadas eram decisivas para o desfecho da época dos Foxes. Deslocações ao Etihad e ao Emirates para defrontar City e Arsenal, respetivamente. O primeiro teste foi passado com classe e de forma assertiva, como já foi referido. Falta agora a partida em Londres. Na primeira volta, o Arsenal bateu o Leicester por 5-2, mas tratava-se de um momento bastante diferente para a turma de Wenger. Os Gunners já não vencem há quatro jogos e deram de barato a liderança atingida há seis jornadas. A pressão estará portanto toda do lado dos londrinos e sentirão certamente enormes dificuldades em bater o Leicester. Se o Leicester vencer em Londres dará um passo enorme em direção à concretização do sonho de conquistar o seu maior título da história.

Foto de capa: Leicester City

Comentários