Treinadores vêm e vão. É a tendência. As indemnizações não assustam. Os clubes encontram sempre substituto. A verdade, é que o treinador nunca foi apenas um mero técnico, é e foi também um elemento político. Lidera homens (jogadores), dá-lhes a missão a efetuar (tática), antevê e faz o rescaldo disso mesmo (consoante as questões recebidas, sujeito à opinião pública, a dos adeptos). Isto sistematicamente.

Darren Moore, num momento crítico, assumia interinamente o comando do West Bromwich Albion. Alan Pardew, bem conhecido pelos portugueses (protagonista no bate boca com Jorge Jesus, na altura em que treinava o Newcastle), deixava o clube muito próximo de uma descida que era evitada há oito anos!

Essa descida confirmou-se. Moore manteve-se no cargo e propunha-se ao regresso ao teto máximo inglês já no ano seguinte.

No Championship, garantiu que os “baggies” tinham sempre a subida no horizonte: obteve resultados convincentes, como um 4-1, em casa, ao atual segundo classificado Leeds, um 4-3 no terreno do agora primeiro classificado, Norwich, e até um surpreendente 7-1 ao QPR! Porém, também demonstrou ser algo frágil no seu reduto…

Os adeptos identificavam-se bastante com a filosofia de jogo do jamaicano nascido em Inglaterra
Fonte: West Bromwich Albion FC

A melhor série de resultados confirmou-se desde meados de novembro até finais de dezembro: foram nove jogos para a Liga sem conhecer o sabor amargo da derrota. Mas o fator casa nunca pareceu favorecer o conjunto liderado por Moore…. Nas 17 vitórias obtidas, dez delas haviam sido fora de portas. E nos nove desaires registados, quatro sucederam-se no seu estádio. Os empates, também se contabilizaram bastante: foram dez, e sete deles registaram-se sabem onde? Em casa.

Moore deixa assim o West Brom no quarto posto, com 61 pontos (agora 64); com o segundo melhor ataque (agora com 71, mas na data que saiu tinha 68 golos). O Albion tem, muito possivelmente, presença no play-off de acesso à Premier League e, portanto, a massa associativa do clube ficou um tanto “à nora”, apanhada completamente desprevenida com a saída do técnico.

A saída aconteceu após um empate em casa frente ao Ipswich (1-1), antecedido por uma pesada derrota no Elland Road, diante do Leeds (4-0).

A verdade é que ninguém perspetivava o término do vínculo do ex-defesa-central desta forma. Inúmeras questões (inclusive raciais) que expliquem a sua saída são levantadas, pois as razões que o seio diretivo veiculou (maus resultados) são completamente descartadas pelos aficionados do emblema inglês.

Foto de capa: West Bromwich Albion FC

Comentários