Cabeçalho Liga Italiana

A algumas horas do derby milanês, é difícil antever como se comportará o Inter de Milão. A entrada do novo treinador foi feita a conta gotas – Pioli teve tempo para preparar as suas ideias – e agora, chegando o grande jogo, é impossível adivinhar que tipo de equipa aparecerá logo à noite. Porém, o diagnóstico a este Inter é fácil de se fazer: há que aproveitar todo o talentoso meio campo para a frente e, sobretudo, estabilizar a equipe em termos defensivos. Pioli é um “senador” do futebol italiano e, sabe que, sem rigor defensivo, é difícil vencer neste país.

 

Depois do forte investimento aquando da entrada de Mancini na época passada – armada croata (Brozovic e perisic) e nova dupla de centrais (Murillo e Miranda) -, esta época, com a entrada de um novo técnico – holandês por sinal -, o investimento foi ainda maior. O inter ganhou tracção à frente. Entraram João Mario, Gabriel e Candreva. Um treinador holandes e matéria prima na frente costumam resultar  numa mistura explosiva. Nada disso aconteceu. O Inter foi sempre uma equipa desequilibrada, desmembrada e previsível. Os maus resultados  acumularam-se e só havia uma saída: o despedimento de De Boer.

O desafio do Inter não é a falta de talento, mas sim a sua exploração Fonte: FC Inter
O desafio do Inter não é a falta de talento, mas sim a sua exploração
Fonte: FC Inter

Muitas eram as apostas para o lugar de novo treinador – o português Marco Silva foi apontado -, mas os dirigentes do Inter, que tem sido alvo de duras criticas por parte dos adeptos, cansados de tantas desilusões, apostaram num num homem conhecedor do futebol italiano. Pioli tem na bagagem um 3ª lugar com a Lazio, em 2014/2015, e a simpatia dos seus colegas que o apontam como “um homem inteligente, que ainda não teve a sua oportunidade”.

 

Pioli comeca agora a sua aventura. A criatividade de João Mario, Brozovic e Banega, tem de ser resguardada por um trinco puro – nenhum destes jogadores tem perfil para essa posição -, e, no ataque, nao chega ter muito talento, é preciso organização. Até porque se estes dois sectores continuarem desequilibrados , é atras que o Inter vai sofrer mais. E, em Itália, mais do que em qualquer outro país, os campeões constroem-se de trás para a frente.

 

Foto de capa: ESPN

Comentários