A CRÓNICA: CRÓNICA DE UM CAMPEÃO ANUNCIADO

A Juventus FC venceu esta noite a UC Sampdoria e sagrou-se campeã italiana pela nona vez consecutiva. Num jogo em que o domínio da vecchia signora nunca esteve em causa, Ronaldo e Bernardeschi fizeram os golos que confirmaram a conquista do 36.º Scudetto por parte da Juventus.

Primeira parte cinzenta no Juventus Stadium, com poucas oportunidades de golo para os dois lados. A Sampdoria apresentou-se em bloco baixo e conseguiu condicionar a chegada da vecchina signora ao último terço do terreno, que explorava maioritariamente o jogo interior. Os visitantes criaram perigo quase sempre através de contra-ataques, com Quagliarella em destaque, mas acabou por ser a Juventus a inaugurar o placar, praticamente em cima do apito para o descanso: numa jogada de laboratório, Cristiano Ronaldo fez o seu 31.º golo no campeonato ao disparar forte e colocado após livre lateral de Pjanic.

A Sampdoria entrou bem na segunda parte e esteve perto de empatar por mais do que uma vez mas Szczeny mostrou-se intransponível. A Juventus acabou por voltar a marcar à passagem do minuto 67’, por intermédio de Bernardeschi, a confirmar na recarga após remate de Ronaldo defendido por Audero. Até final do jogo, a Sampdoria ficou reduzida a 10 jogadores por expulsão de Thorsby e Ronaldo falhou uma grande penalidade, enviando a bola à barra.

Vitória justa da Juventus em Turim, que assegura o título quando ainda faltam duas jornadas por disputar na Serie A.

Anúncio Publicitário

A FIGURA

Cristiano Ronaldo – Foi o autor do golo que estava difícil de aparecer e esteve na jogada do segundo, rematando para defesa incompleta de Audero, aproveitada da melhor forma por Bernardeschi. Com 35 anos, continua a ser decisivo e a conquistar títulos.

O FORA DE JOGO

Lesões na Juventus FC – É a única mancha nesta vitória que consagrou a Juventus como campeã italiana pela nona vez consecutiva: De Ligt e Dybala saíram lesionados do encontro e resta saber se estarão em condições para o jogo decisivo da Liga dos Campeões frente ao Lyon.

 

ANÁLISE TÁTICA – JUVENTUS FC

A Juventus surgiu no habitual 4-3-3, a procurar sobretudo o jogo interior mas sem conseguir imprimir muita intensidade quando tinha a bola. A vecchia signora conseguiu durante várias fases do jogo manter uma pressão alta e uma reação rápida à perda de bola, ainda que depois não traduzisse essa agressividade no momento de defender em maior acutilância ofensiva.

No momento defensivo, a Juventus passava a 4-4-2, com Dybala e Cristiano Ronaldo a formarem a primeira linha de pressão e Cuadrado a juntar-se à linha média. As lesões de Danilo e Dybala, ainda na primeira parte, obrigaram Maurizio Sarri a mexer cedo na equipa, o que acabou por trazer uma maior dinâmica ao movimento ofensivo da Juventus. Cristiano Ronaldo apareceu mais na faixa central e Bernardeschi permitiu aos médios interiores chegarem mais à frente e trazer mais acerto ao ataque da equipa da casa.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Szczesny (8)

Danilo (4)

Bonucci (7)

De Ligt (7)

Alex Sandro (7)

Pjanic (7)

Rabiot (7)

Matuidi (7)

Cuadrado (6)

Cristiano Ronaldo (8)

Dybala (4)

SUBS UTILIZADOS

Bernardeschi (7)

Higuain (5)

Rugani (5)

Bentancur (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – UC SAMPDORIA

Claudio Ranieri apresentou a sua equipa em 4-4-2, com o bloco médio-baixo e a procurar sobretudo o contra-ataque. Os genoveses acabavam muitas vezes por passar a uma defesa a cinco, congestionando o corredor central e dificultando o jogo interior da Juventus, que teimava em não aproveitar a subida dos laterais para aproveitar o espaço concedido pela Sampdoria. No último quarto de hora da primeira parte, a equipa subiu as linhas e pressionou a Juventus logo à saída da sua área, sendo esse o melhor período da Sampdoria no jogo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Audero (5)

Augello (6)

Chabot (3)

Depaoli (5)

Yoshida (5)

Tonelli (5)

Linetty (6)

Jankto (5)

Thorsby (4)

Ramirez (7)

Quagliarella (7)

SUBS UTILIZADOS

Leris (5)

Gabbiadini (4)

Maroni (-)

Comentários