A Juventus FC arrancou a temporada com 4 vitórias e 2 empates em 6 jogos oficiais. Olhando para os números, não parece que as coisas estejam a correr mal, mas quem acompanhou as exibições, sabe que os resultados são muito enganadores.

A direção da Vecchia Signora decidiu trocar Allegri por Sarri, pois a qualidade jogo da Juve ficava muito aquém perante tanta qualidade individual, apesar de toda a competência e pragmatismo que Allegri dava à sua equipa. Mas, na verdade, a equipa parece ainda mais longe de uma qualidade de jogo que convença os amantes do futebol a considerarem a Juventus FC uma forte candidata ao título europeu e até a um novo título de campeão nacional.

Uma equipa que tem Cristiano Ronaldo nas suas fileiras, tem de criar um modelo de jogo que retire o máximo do seu maior ativo, mas quem vê os jogos, até fica constrangido com tanta falta de química e lucidez no momento ofensivo.  Defensivamente continuam a um nível altíssimo, apesar de elementos como Demiral e De Ligt ainda denotarem atrasos no processo de adaptação e muito longe dos seus respetivos potenciais, sendo uma equipa muito difícil de desequilibrar e de vencer duelos.

Numa equipa que joga tão mal, nem de Ligt parece render metade do que costuma fazer
Fonte: Juventus FC

É ofensivamente que a equipa mostra estar super amarrada. A saída de Cancelo, algo incompreensível a sua venda, tendo em conta as ambições do clube, tem retirado velocidade e explosão de trás para a frente ao momento ofensivo da equipa, em relação à época transata, e o meio campo parece não funcionar. Elementos como Rabiot e Bentancur têm de jogar mais, pois o meio campo habitual, com Pjanic, Khedira e Matuidi não têm garantido a posse que a equipa precisa. O alemão e o francês são demasiado parecidos, enquanto Pjanic, que não pode fazer tudo sozinho, não parece estar a atravessar um bom momento individual. A Juve de Sarri tem tido uma circulação lenta, previsível e inconsequente, conseguindo construir golos, maioritariamente, através da qualidade individual e bolas paradas.

No último terço, os avançados também não conseguem fazer grande diferença, pois o problema já vem detrás. Ronaldo, toda a gente sabe como joga e toda a gente sabe o que precisa para “rebentar” com qualquer adversário e marcar mais de 50 golos por ano. No entanto, o jogo da Juve não está construído para o servir. Passa imenso tempo sem bola e quando a procura, tem de se deslocar das zonas onde faz diferença, baseando o seu jogo em meros remates de meia distância, pois joga longe da baliza adversária, como já não jogava desde a primeira época de merengue no Real Madrid CF.

Dybala é a solução para os problemas da equipa
Fonte: Juventus FC

Gonzalo Higuaín tem estado até bem melhor do que se esperava, depois de uma má época passada, apesar de Mario Mandzukic, pelo poder físico e por atrair vários defesas, também faria sentido ser mais vezes opção, de forma a promover mais Ronaldo. Douglas Costa, sempre com muitos problemas físicos, seria um super abre latas nesta fase má da equipa, tal como Cuadrado tem feito, enquanto Bernardeschi e, sobretudo, Dybala continuam longe do seu nível.

Dybala devia ser um case study, de como um jogador perfeitamente adaptado a um clube e a uma equipa, sendo mesmo a principal figura da equipa por um largo período, se eclipsa do nada. A desvalorização da estrutura bianconeri afetou mentalmente o jogador, que, diga-se de passagem, tem de ser sempre titular nesta equipa. É um avançado que faz golos, assistências em catadupa e pode servir Ronaldo para os habituais 50 golos por época, como ninguém. Não faz sentido ser suplente, nem faz sentido desvalorizar um craque destes que, não só resolveria problemas como mais golos e melhor serviço a Ronaldo, como iria garantir a posse de bola que tanta falta tem feito à equipa em zonas mais avançadas do terreno.

São muitos problemas e muito marasmo, para tanta qualidade. Uma Juventus FC de Sarri, em condições normais, teria tudo para voar na Serie A italiana com imensa facilidade e ser um fortíssimo candidato à conquista da Liga dos Campeões. Mas, na verdade, a Juve de Sarri parece continuar com os problemas dos tempos de Allegri, sendo que, a continuar assim, dificilmente conquistará a Liga Milionária e mete-se a jeito de perder a hegemonia nacional, pois o Inter de Milão de Conte não parece estar para brincadeiras…

Foto de Capa: Juventus

Revisto por: Jorge Neves

Comentários