A posição de lateral sofreu evolução ao longo dos anos, tendo também aumentado o seu nível de complexidade. Primeiro, porque as regras mudaram, o que torna a agressividade mais limitada, segundo porque devido à evolução do futebol, o extremo tradicional está em extinção. Olhemos para o caso da Premier League, em que os supostos extremos são Salah, Mané, Sterling, Bernardo Silva e marcam praticamente todos mais de 15 golos por época. O conceito está a mudar e o lateral tem uma função diferente de momento.

O lateral da atualidade destaca-se pela qualidade ofensiva e pelo jogo interior, no entanto seria importante não desvalorizar o que faz um lateral a nível defensivo, tendo em conta a velocidade do jogo e principalmente as características dos melhores extremos. Cafú e Roberto Carlos tiveram uma influência gigante nesta posição e mudaram a forma como ela é vista, por serem demasiado ofensivos e triunfarem no futebol mundial.

Na atualidade, é possível que os dois revolucionem o futebol, embora essa resposta só consiga ser dada daqui a uns anos. Alexander-Arnold e Andy Robertson são fruto do trabalho de Klopp, que os desenvolveu e tornou-os completos em quase todos os aspetos.

Guardiola pode também considerar-se um inovador neste sentido, quando surpreendeu o mundo e posicionou os laterais no meio-campo, quando treinava o Bayern de Munique e mais tarde o Manchester City. Essa tática tinha como função ajudar na construção e prevenir um eventual contra-ataque perigoso do adversário.

Anúncio Publicitário

Saiba quais são os melhores laterais direitos a desempenhar determinadas funções.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Artigo anteriorO Rei Húngaro
Próximo artigoAmbição europeia encarnada: um contexto mais à medida
João é de Espinho, no norte de Portugal, é licenciado em Ciências da Comunicação e tem o objetivo de singrar no jornalismo desportivo. É um apaixonado pelo futebol e acompanha o desporto desde tenra idade, principalmente o campeonato português, as top 5 ligas e as competições europeias. Tem o tiki-taka de Pep Guardiola como referência futebolística.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.