internacional cabeçalho

Chega-nos da Croácia, mais concretamente de Split, uma história que tem muito pouco em comum com aquelas a que assistimos nos dias de hoje, especialmente numa realidade que, por vezes, é tão suja, como é o caso daquela que se vive no futebol.

A cidade de Split dá abrigo a um dos emblemas mais importantes do leste da Europa, o HNK Hajduk, que conta com um historial preenchido de troféus e momentos de glória no antes e depois do desmembramento da Jugoslávia. Reza a história que o Hajduk Split era a equipa do coração do Marechal Josip Broz Tito e que este tentou que o emblema da região da Dalmácia se mudasse de armas e bagagens para a capital, Belgrado, com o intuito de o transformar na equipa do regime, algo que foi recusado pelos responsáveis do clube no período pós 2.ª Guerra Mundial, uma vez que os mesmos entendiam que o Hajduk deveria manter-se fiel às suas origens e continuar na cidade de Split.

Muito mudou desde então, mas, 70 anos mais tarde, o HNK Hajduk Split continua a ser uma equipa com uma identidade quase inabalável, um verdadeiro viveiro de jovens jogadores e o segundo emblema mais importante do país.

Um desses jovens jogadores, que dá pelo nome de Nikola Vlašić, é um dos protagonistas, talvez o principal, de uma das histórias mais fascinantes dos últimos tempos no futebol europeu. O jovem de 18 anos, figura de primeiro plano na actual equipa do HNK Hajduk Split, recusou uma oferta de cerca de dez milhões euros de um clube da English Premier League, para, imagine-se só, não perturbar o treino da sua irmã mais velha, a saltadora olímpica croata, Blanka Vlašić, que prepara com afinco a sua participação nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que terão lugar em Agosto deste ano.

Nikola Vlašić em acção esta temporada pelo HNK Hajduk Split Fonte: direktno.hr
Nikola Vlašić em acção esta temporada pelo HNK Hajduk Split
Fonte: direktno.hr

O pai dos Vlašić, Joško, também ele um antigo atleta de decatlo da extinta Jugoslávia, é o treinador de Blanka (e foi também treinador de Nikola desde tenra idade) e tem acompanhado de muito perto a preparação da sua filha para as olimpíadas, e uma mudança de Nikola para a liga inglesa, neste momento, não permitiria ao antigo atleta jugoslavo acompanhar os treinos de Blanka, já que teria de seguir com o jovem prodígio do Hajduk para o país de sua majestade.

Numa entrevista recente ao goal.com, Joško justificou esta decisão, que, segundo ele, foi tomada após uma reunião em família, com a necessidade de Blanka se manter cem por cento focada nos treinos e com o facto de Nikola ser ainda muito jovem, não sendo porventura a altura ideal para deixar a sua cidade natal, Split: “Tudo aquilo que posso e quero dizer é que actualmente existe a oferta de um clube inglês para contratar o Nikola e que o quer para jogar na primeira equipa, não para ser suplente, nem para ser emprestado (…). Não quero revelar qual é o clube em causa, mas sim, seria a maior transferência da história do Hajduk Split. (…) Mas, após uma reunião, decidimos recusar a oferta. Eu não sei aquilo que o Hajduk vai decidir fazer, mas nós, em família, decidimos que ainda é muito cedo para ele deixar Split. (…) Também porque a sua saída agora no inverno iria significar uma mudança enorme nos nossos planos familiares: eu teria de seguir com ele para Inglaterra e a Blanka está a meio da sua preparação para os Jogos Olímpicos do Rio.”.

Esta decisão não significa, no entanto, que a transferência não venha a acontecer a médio prazo, uma vez que Joško Vlašić está disposto a manter contacto com o tal clube inglês de forma a tornar possível a mudança num futuro próximo e talvez por uma quantia ainda superior à actual: “A quantia envolvida é realmente elevada, mas acreditamos que o Nikola pode tornar-se ainda melhor. (…) Manteremos contacto com o clube que o quer contratar e que já o vem seguindo há bastante tempo”.

O Clã Vlašić – o pai Joško e a filha Blanka Fonte blanka-vlasic.hr
O Clã Vlašić – o pai Joško e a filha Blanka
Fonte: blanka-vlasic.hr

Esta decisão da família Vlašić está a gerar alguma controvérsia, uma vez que alguns media e comentadores desportivos acreditam que o jovem Nikola estará e virá a ser altamente prejudicado por esta decisão familiar.

O número 8 do HNK Hajduk Split tem tido um papel importante na equipa de Damir Buric esta temporada, que ocupa o 3º lugar da MAX PRVA LIGA, a seis pontos do líder GNK Dinamo Zagreb e a quatro do HNK Rijeka. Nikola trata-se de um médio ofensivo altamente versátil que pode actuar como armador de jogo, extremo esquerdo ou direito, ou ainda como segundo avançado, como uma espécie de 10 à moda antiga por detrás do ponta de lança. O jovem Vlašić já participou em 19 jogos da liga croata esta temporada, tendo apontado um golo e tendo contribuído com cinco assistências para golo.

Nikola Vlašić é, em conjunto com Andrija Balic, um dos valores mais seguros do HNK Hajduk Split e do futebol croata actualmente e as circunstâncias que envolvem esta sua transferência “falhada” para um grande do futebol inglês fazem-nos obrigatoriamente pensar que nem todos os que estão envolvidos no desporto rei hoje são movidos por motivos de ordem financeira e que a paz e harmonia pessoal e familiar ainda valem alguma coisa na promenade capitalista em que o futebol actual se transformou.

 

Foto de Capa: narod.hr

Comentários