Cabeçalho Futebol Internacional

A forma como se criam expectativas em volta de um determinado jogador nos  tempos que correm é de tal forma frequente, que a cada passo, ouvimos alguém a dizer, que estamos perante um novo Messi, ou um novo Ronaldo, uma vez que os nomes de Pelé, Maradona e Cruyff parecem já pertencer a uma outra geração perdida no século, que ainda há pouco terminou.

Leonid Fedun, oligarca russo e presidente do FC Spartak Moscovo, afirmou há uns anos a esta parte, num dos momentos pouco inspirados, que dedica a analisar futebol, que por detrás dos muros de Tarasovka (a famosa academia do emblema moscovita) estava a ser forjado aquele que viria a ser o “Messi Russo”. O jovem a quem Fedun se referia dá pelo nome de Denis Davydov e a sua carreira não é em nada semelhante à do astro argentino e não será difícil de perceber, que as precipitadas palavras proferidas pelo magnata russo, terão apenas servido para condicionar a carreira do jovem atleta.

No passado Sábado, Davydov, que actualmente se encontra ao serviço do Spartak-2 (formação correspondente à equipa B do FC Spartak Moscovo), marcou um golo absolutamente fantástico, que permitiu à sua equipa sair do terreno do FC Tosno com um ponto, apesar de ter jogado grande parte do encontro com apenas dez unidades. O Spartak-2 disputa a FNL (2ª divisão da pirâmide do futebol russo) e apesar de actualmente se encontrar num lugar da tabela que lhe permitiria jogar no escalão maior da Rússia na próxima temporada, tal não irá acontecer, uma vez que, tal como em Portugal, as equipas B não podem subir à primeira liga.

Davydov tem sido um elemento fundamental na excelente campanha que a formação moscovita está a realizar esta temporada e apesar de já ter estado lesionado durante algumas semanas, contribuiu com, nada mais, nada menos, que nove golos e sete assistências nos 24 jogos em que participou. Davydov é um avançado móvel que pode actuar por detrás do ponta-de-lança, ou pode jogar mais pela linha, desempenhando o papel de um falso extremo.

Anúncio Publicitário
Davydov após uma partida disputada pela primeira equipa do FC Spartak Moscovo Fonte: Sport Express
Davydov após uma partida disputada pela primeira equipa do FC Spartak Moscovo
Fonte: Sport Express

A sua técnica apurada e facilidade de remate com os dois pés são possivelmente as suas maiores armas, mas isso não tem sido suficiente para convencer Massimo Carrera, técnico da equipa principal do FC Spartak Moscovo a dar-lhe uma oportunidade digna desse nome  na primeira equipa do emblema da capital russa. Esta temporada, Davydov conta com uns míseros 83 minutos na Primeira Liga Russa e é por demais evidente, que tanto ele como os outros jovens talentos do Spartak-2, não têm espaço nas escolhas do técnico italiano.