internacional cabeçalho

O dinheiro mudou muito o futebol. A inflação galopante a que temos assistido neste últimos anos alterou completamente a forma de como se vive o futebol, de como se vê o futebol e de como se faz futebol. Os presidentes e treinadores foram ultrapassados por ‘super-agentes’ e por fundos de investimento. Clubes ressuscitaram e ligas perdidas pelo mapa começaram a gerar milhões e a contar como fundos de reforma. Isto tudo culmina na Rússia, uma liga interessante que se elevou mais com os investimentos de magnatas nos últimos anos. Melhorou, é verdade, mas continua a ser um palco de talentos desperdiçados.

São os casos de Alex Teixeira, Bernard ou Witsel. Foram os casos de Willian ou de Douglas Costa. Jogadores que podiam dar tanto ao futebol; jogar nos grandes palcos e lutar por títulos europeus. O dinheiro mudou a Rússia, mas agora o governo russo mudou de posição. Ascenderam e agora querem valorizar o que é deles e instauraram um mínimo de estrangeiros no plantel: 6. A decisão se calhar não foi a melhor, mas talvez permita que grandes craques sigam o caminho que sempre deviam ter seguido: ir para os melhores relvados do mundo. Este artigo é sobre Hulk, provavelmente a maior pérola que anda perdida neste campeonato russo.

Tem 29 anos mas não lhe perdeu o jeito. Nas últimas 4 épocas participou em 130 jogos, marcou 66 golos e participou em mais 32 (assistências). Bons números para qualquer extremo. Esta época começou mal e vai continuando mal e Hulk tem sido dos poucos que ainda consegue levar a equipa do Zenit até à tona do tanque. Está longe de estar velho e mexe no jogo como ninguém. Aquele pontapé canhão continua lá e as arrancadas fulminantes estão cada vez mais apuradas. É o pesadelo de laterais e guarda-redes. A sua vontade, as suas movimentações para o centro do terreno e o seu pé esquerdo impressionam. Como é que este jogador anda perdido na Rússia há 4 épocas?

Com toda a certeza que me dirão que Hulk é um investimento caro. Muito provavelmente será. Mas não teria sido melhor investimento do que Jesús Navas, para o Mancester City? Não teria sido uma excelente aquisição para o Liverpool que continua a esbanjar dinheiro em jogadores que não valem metade daquilo que dão por eles? Eu consigo imaginar Hulk na liga inglesa. O seu poderio físico permitir-lhe-ia batalhar com os médios e defesas mais duros, o seu pontapé canhão iria resolver aqueles jogos taco a taco. Como não se vê isto? Como não se vê o talento ali desperdiçado?

Hulk tem sido fundamental no ataque do FC Zenit Fonte: FC Zenit
Hulk tem sido fundamental no ataque do FC Zenit
Fonte: FC Zenit
Anúncio Publicitário

A selecção do Brasil é outro palco para contrariar quem diz que ele só se evidencia porque sempre jogou em palcos menores (Portugal e Rússia). Mas tal falácia não escapará. É dos poucos que enverga a camisola canarinha com a classe que outrora, nomes como Roberto Carlos ou Ronaldo, lhe deram. É dos poucos que justifica a frágil afirmação de que no Brasil ainda saem dos melhores jogadores do mundo. Mas nem tinha de saltar para outro continente para poder fala assim de Hulk. Basta assistir a um jogo europeu. A qualidade sobressai, é claramente a estrela da equipa. Gostava imenso de o voltar a ver jogar com Falcão (talvez ajudasse a ressuscitar o colombiano).

Para mim, Hulk, vale mais. Muito mais. Merece uma Premier League ou uma Liga BBVA. Aliás, quem saber se não encaixaria na perfeição numa modelo de jogo italiano? No contra-ataque e nas transições de bola o brasileiro é fortíssimo. O AC Milan e o Internazionale enfrentam processos de reestruturação.Querem voltar a ser grandes, a impressionar a Europa; será que nenhum deles olhou para Hulk? Apenas lhe peço que saia dali, que se valorize mais e se exiba num palco maior. Esse sempre foi o seu caminho, mas agora, mais do que nunca, está na altura de dar o salto. Na altura de ambicionar algo mais. O seu fundo de reforma já deve estar mais que recheado. Por favor, Hulk sai daí e vem saborear o bom futebol.

Faz usufruto do teu apurado paladar brasileiro. Tu sabes, a picanha no Brasil é muito diferente da picanha na Europa. Assim é o futebol: também se joga noutros países, mas não é a mesma coisa em todo o lado. Salta daí e vem comer a melhor picanha que um palco europeu te pode dar: bom futebol, daquele em que os cânticos dos adeptos ecoam no peito e que a pressão do jogo faz suar mais que a corrida.

Foto de Capa: FC Zenit

Comentários