internacional cabeçalhoApesar de o actual modelo da Liga Europa retirar algum interesse à competição (principalmente durante a fase de grupos), a sensacional campanha do Red Bull Salzburgo não pode passar despercebida a ninguém. Os austríacos somam 7 vitórias em outros tantos jogos, têm o melhor ataque da prova e o melhor marcador – Jonathan Soriano – e, acima de tudo, têm o passaporte para os oitavos-de-final praticamente carimbado, depois da estrondosa vitória sobre o Ajax, em Amesterdão, por 3-0. O emblema que pertence à multinacional de bebidas energéticas tem demonstrado um poder ofensivo impressionante e, tendo em conta a enorme margem de progressão de grande parte dos seus jogadores, merece ser seguido com atenção.

Um grupo com Esbjerg, Elfsborg e Standard Liège não é particularmente exigente. Ainda assim, vencer todos os jogos impõe respeito. Nas últimas 3 edições da prova, incluindo a actual, só o Tottenham e o Anderlecht conseguiram 6 vitórias, o que demonstra a qualidade do feito do Salzburgo. Os austríacos apuraram-se tranquilamente, mas esperava-se que a fase a eliminar trouxesse maiores dificuldades à equipa. Para já, nada disso aconteceu. Em Amesterdão, onde ninguém bateu o Ajax na Champions (os holandeses até derrotaram o Barcelona), o conjunto treinado pelo alemão Roger Schmidt teve o primeiro teste às suas reais capacidades. A categórica vitória por 3-0 – resultado construído ainda na primeira parte – deixou claro que a prestação na fase de grupos não aconteceu por acaso.

Em termos internos, tem sido um passeio para o Salzburgo. É certo que o campeonato austríaco não é muito competitivo, mas isso não tira mérito ao conjunto orientado por Roger Schmidt (relembro que o Áustria de Viena, actual campeão, empatou no Estádio do Dragão e goleou o Zenit por 4-1). Neste momento, só um milagre fará com que o Red Bull não chegue ao título. A equipa segue na liderança com 19 pontos de vantagem para o segundo classificado, tem um registo impressionante de 79 golos marcados em 24 jogos e conta com os dois melhores marcadores da prova: Alan, com 18 golos, e Soriano, com 17. Um emblema com uma qualidade à parte de todos os outros.

Jonathan Soriano é o melhor marcador da Liga Europa Fonte: news.at
Jonathan Soriano é o melhor marcador da Liga Europa
Fonte: news.at

Olhando para o potencial dos jogadores do Salzburgo, é fácil de prever que, em breve, muitos deles vão estar em clubes de maior dimensão. Para se perceber a qualidade dos jogadores às ordens de Roger Schmidt, basta recordar a vitória sobre um Bayern de Munique com grande parte dos habituais titulares, em Janeiro, por 3-0. O encontro era de carácter amigável, mas não é qualquer equipa que tem capacidade de derrotar os campeões da Europa. Os austríacos têm, de facto, um plantel muito talentoso, principalmente no ataque. Sadio Mané, senegalês de 21 anos que costuma actuar sobre a esquerda, é um ala entusiasmante, muito perigoso nas diagonais e com uma capacidade técnica do outro mundo; no flanco contrário, Kevin Kampl, esloveno de 23 anos, é um extremo muito rápido, com boa visão de jogo e que desequilibra imenso no 1×1. A dupla de ataque composta por Soriano e Alan complementa-se na perfeição. O espanhol, ex-Barça B, está, aos 28 anos, no melhor momento da carreira. Tem um sentido de baliza notável, é bastante inteligente nas movimentações e tem uma capacidade de finalização muito acima da média. Já o brasileiro, explosivo e de remate fácil, está pronto para dar o salto para um campeonato mais competitivo. Mas a qualidade do Salzburgo não se esgota no sector ofensivo. Martin Hinteregger, central de 21 anos que tem sido associado ao Man United, e Valon Berisha, médio norueguês com enorme margem de progressão, são, também eles, jogadores que terão um futuro auspicioso.

Tendo em conta que, na próxima eliminatória, o Salzburgo terá pela frente o Basileia – que perdeu Salah, a sua grande figura – ou o Maccabi Tel Aviv, de Paulo Sousa, uma presença nos quartos-de-final não é, de todo, impossível. A partir daí, tudo pode acontecer, mas é preciso perceber como os austríacos lidarão com a falta de experiência a nível europeu. Independentemente disso, este Red Bull está a provar que tem asas para voar bem alto, e uma presença na Champions do próximo ano é o sonho de um emblema que tem tido um crescimento fantástico nos últimos tempos e que está a ser, sem dúvida, uma das grandes sensações da temporada.

Comentários