Futebol na China? Há quem não ligue ao futebol para os lados asiáticos ou mesmo quem não saiba que este existe na China. Mas existe desde 1994. No entanto, só a partir de 2002 é que a CFA (Associação Chinesa de Futebol) estabeleceu a Super Liga Chinesa, a primeira liga de futebol profissional no país, que continua em vigor até aos dias de hoje.
A primeira edição da Siemens Mobile Chinese Super League, na altura devido ao patrocínio assinado com a empresa alemã, começou em 2004 e contou com a participação de 12 equipas. O primeiro vencedor foi o Shenzhen FC, equipa que atua na China League One, segundo escalão do futebol chinês.

Depois de alguns anos entre casos de corrupção, de manipulação de resultados e de envolvimento de profissionais em apostas desportivas, eis que em 2011 a Super Liga Chinesa ganhou um novo estatuto com o movimento anti-corrupção. A partir deste ano o futebol chinês atingiu um novo patamar. Um dos grandes contributos foi o investimento feito por alguns clubes em estrelas internacionais, como Didier Drogba, Seydou Keitá ou Nicolas Anelka. Esta política de transferências não só tornou a competição mais atrativa, como também conduziu mais adeptos aos estádios chineses.

E foi precisamente nesse mesmo ano – em 2011 – que começou o reinado do Guangzhou Evergrande no futebol chinês. Primeiro com o sul coreano, Lee Jang-Soo, à frente da equipa e depois com Marcello Lippi e mais tarde Luiz Felipe Scolari a tomar as rédeas do clube, o Guangzhou venceu por sete vezes consecutivas a primeira liga. Poucos foram aqueles que tentaram fazer frente ao clube de Paulinho, Talisca e Fabio Cannavaro, técnico dos Tigres do Sul da China. Ainda assim, nos últimos anos o grande rival tem sido o Shangai SIPG, clube orientado pelo técnico português Vítor Pereira.

Oscar, Hulk e Elkeson constituem o trio de ataque do Shanghai SIPG, atual 1º classificado da CSL
Fonte: Globo

E é entre estes dois rivais que se disputa o título chinês esta temporada. Quando faltam três jornadas para o término do campeonato, Shanghai e Guangzhou encontram-se separados por apenas 2 pontos. Esta tem sido a edição mais equilibrada dos últimos anos e podemos ver história a ser feita na China. Por um lado, o Shanghai SIPG pode sagrar-se pela primeira vez campeão chinês, e logo com um português no comando técnico. Seria também uma estreia incrível para o Vítor Pereira no continente asiático. Do outro lado, podemos ver o Guangzhou a sagrar-se campeão pela oitava vez consecutiva, e com quatro treinadores diferentes.

Apesar de estar no segundo lugar, com menos dois pontos que o Shanghai SIPG, acredito que o Guangzhou Evergrande tem mais capacidade para vencer o campeonato. Para além der ser o atual campeão chinês, o clube com mais títulos e manter o melhor registo de vitórias consecutivas na Super Liga Chinesa, na próxima jornada recebe, no Tianhe Stadium, os rivais do Shanghai SIPG, naquele que será o jogo do título. De recordar que em casa e junto dos seus adeptos, o Guangzhou ainda não sabe o que é perder, daí estar mais do que preparado para levar a melhor sobre o atual primeiro classificado, o Shanghai. Mas se forem os visitantes a vencer o grande jogo, o título já não deve fugir aos Red Eagles, que fazem assim história no futebol chinês.

Anúncio Publicitário

Foto de capa: Guangzhou Evergrande F.C

Artigo revisto por: Jorge Neves 

Comentários