logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Portugal

Portugal 6-0 Chipre (Sub-21): Vitória categórica para conquistar o primeiro lugar do grupo

A CRÓNICA: UMA EXIBIÇÃO SUPERIOR A TODOS OS NÍVEIS

Portugal e Chipre voltaram a encontrar-se, depois da vitória da seleção lusa em terras cipriotas, na fase de qualificação para o Europeu de Sub-21 2023, com os lusos a serem, desta feita, os anfitriões e na esperança de levar este adversário de vencido e conquistar o primeiro posto do grupo D.

A seleção das quinas entrou para este encontro com todo o favoritismo, assumindo-o desde o apito inicial. O domínio imposto na partida desde o primeiro minuto não demorou a materializar-se, com Gonçalo Ramos a abrir o ativo aos seis minutos de jogo. À passagem do minuto 21, Gonçalo Inácio subiu às alturas, após a conversão de um canto, para ampliar a vantagem e fazer o segundo tento de Portugal.

Apenas oito minutos, Fábio Silva teve uma clamorosa chance de marcar, através de uma grande penalidade, mas permitiu a defesa a Kittos. Até ao fim da primeira parte, apesar das oportunidades lusas, o resultado não sofreu mais alterações.

No segundo tempo, Portugal voltou a entrar muito forte, sendo precisos apenas cinco minutos após o recomeço da partida para voltar a faturar, com Fábio Vieira, de livre direto, a fazer o terceiro dos caseiros, numa autêntica obra de arte. Três minutos depois, foi a vez de Gonçalo Ramos, que repetiu a façanha ao minuto 60 e completou o hat-trick no encontro.

A nação valente não baixava o ritmo, mesmo após algumas alterações, e voltou a faturar corria o minuto 71, com o recém-entrado Henrique Araújo a colocar o seu nome na lista de marcadores. Portugal foi continuando a criar e a dispor de várias ocasiões para ampliar a vantagem, mas não as conseguiu concretizar.

Assim, com este triunfo avassalador, Portugal sobe ao primeiro posto da tabela classificativa, com mais um ponto do que a Grécia, mas com dois jogos em atraso, enquanto o Chipre ocupa o terceiro lugar da tabela classificativa.

 

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Gonçalo Ramos – O “pistoleiro” voltou a fazer das suas, com uma grande exibição e um hat-trick para o registo, mostrando mais uma vez ser um autêntico matador na frente de ataque lusa. Destaque também para a noite mágica de Fábio Vieira, que registou um (grande) golo e duas assistências.

O FORA DE JOGO

Christos Shelis – Apesar de o defesa cipriota não ser o culpado pela derrota da seleção do Chipre, o central fez uma exibição fraca a nível defensivo, tendo mesmo sido substituído.

 

ANÁLISE TÁTICA – PORTUGAL

Com Romeu Almeida mais uma vez no banco, face à ausência de Rui Jorge, a seleção portuguesa alinhou num sistema tático de 4-3-1-2. Sem surpresas no onze, Portugal entrou na máxima força e assumiu o controlo do jogo desde o apito inicial. A pressão alta foi sempre notória ao longo do jogo, face à qualidade e superioridade dos seus intervenientes, numa partida que foi praticamente de sentido único. Portugal mostrou ser melhor a todos os níveis e conquistou uma vitória que assenta na perfeição.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Celton Biai (7)

João Mário (7)

Eduardo Quaresma (7)

Gonçalo Inácio (8)

Nuno Tavares (7)

Tiago Dantas (7)

Afonso Sousa (7)

Vitinha (7)

Fábio Vieira (8)

Fábio Silva (6)

Gonçalo Ramos (9)

SUBS UTILIZADOS

Tomás Tavares (6)

Tomás Händel (6)

Tiago Araújo (7)

Henrique Araújo (6)

Vítor Oliveira “Vitinha” (7)

 

ANÁLISE TÁTICA – CHIPRE

Já os comandados de Giannis Okkas alinharam num dispositivo tático base em 5-3-2. Com uma postura claramente defensiva e conservadora face ao poderio da seleção portuguesa, os cipriotas limitaram-se a tentar conter as investidas portuguesas e, a espaços, tentar lançar contra-ataques de maneira a chegar perto da baliza adversária, algo que não conseguiram realizar com frequência.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Kittos (6)

Sergiou (6)

Karamanolis (5)

Shelis (5)

Panagiotou (6)

Nikolauo (6)

Chrysostomou (6)

Ioannou (6)

Costi (6)

Gerolemou (6)

Katsantonis (6)

SUBS UTILIZADOS

Michael (6)

Charalambous (6)

Ilia (-)

Michail (-)

Licenciado em Comunicação Social, o Pedro procura construir os alicerces de uma futura carreira como jornalista desportivo. Apaixonado por futebol, nunca diz que não a uma boa partida do desporto rei.

Licenciado em Comunicação Social, o Pedro procura construir os alicerces de uma futura carreira como jornalista desportivo. Apaixonado por futebol, nunca diz que não a uma boa partida do desporto rei.

FC PORTO vs CD TONDELA