OS CONVOCADOS

Guarda-redes – Costil (Rennes), Lloris (Tottenham) e Mandanda (Marselha);

Defesas – Digne (Roma), Evra (Juventus) , Jallet (Lyon), Koscielny (Arsenal), Mangala (Manchester City), Mathieu (Barcelona), Sagna (Manchester City) e Adil Rami (Sevilha);

Médios – Pogba (Juventus), Diarra (Marselha), Kante (Leicester), Matuidi (Paris Saint Germain), Cabaye (Crystal Palace) e Sissoko (Newcastle);

Avançados – Coman (Bayern de Munique), Gignac (Tigres), Giroud (Arsenal), Griezmann (Atlético de Madrid), Martial (Manchester United) e Payet (West Ham).

Anúncio Publicitário
Uma das maiores ausências do torneio Fonte: ESPN
Uma das maiores ausências do torneio
Fonte: ESPN

Esta é uma convocatória que fica marcada pelas ausências de grande qualidade. Benzema, Kevin Gameiro, Rabiot, Lacazette, Fekir, Ribéry, Schneiderlin, Kondogbia, Valbuena, Kurzawa e Ben Arfa são os nomes que não vão ao Euro 2016. Todos eles jogam nas principais ligas europeias e podiam por si só formar uma convocatória.

Entre os restantes, Deschamps conseguiu combinar um plantel de jovens talentos e jogadores experientes com muito para ensinar e transmitir. Este encontro de gerações e experiências pode ser a grande mais-valia para a selecção da França.

1
2
3
4
5
6
Artigo anteriorRevista do Euro’2016: Alemanha
Próximo artigoO problema do cálculo mental
O Tomás é sócio do Benfica desde os dois meses. Amante do desporto rei, o seu passatempo favorito é passar os domingos a beber imperial e a comer tremoços com o rabo enterrado no sofá enquanto vê Premier League.                                                                                                                                                 O Tomás escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.