cab honduras mundial'2014

As Honduras, ou La H, como são conhecidos, partem para o seu segundo Mundial consecutivo e para o terceiro da sua história, depois da estreia em 1982, no Mundial realizado em Espanha. Nas suas duas participações, a formação das Caraíbas ficou pela fase de grupos. A nível de provas continentais, a melhor prestação é a vitória em 1981 da Gold Cup. Em 2001 participaram na Copa América, em substituição da seleção argentina, e obtiveram um brilhante terceiro lugar. Nas competições da UNCAF – que reúne Guatemala, Honduras, Costa Rica, El Salvador, Panamá, Nicáragua e Belize –, a formação hondurenha já venceu por três vezes, em 1993, 1995 e 2011.

A nível geográfico, este país é cerca de 20 mil quilómetros maior do que Portugal, mas tem menos habitantes do que o nosso país, contando com cerca de sete milhões e oitocentos mil habitantes.

Anúncio Publicitário

Mas, voltando ao futebol, que é o que nos interessa, as Honduras são o 30º colocado do Ranking FIFA – em conjunto com a Sérvia –, sendo a terceira seleção da CONCACAF (América Central, do Norte e Caraíbas). No Brasil, vão medir forças com Suíça, Equador e França, no grupo E.

OS CONVOCADOS

Guarda-Redes – Noel Valladares (Olimpia), Donis Escober (Olimpia), Luis López (Real España).

Defesas – Maynor Figueroa (Hull City), Víctor Bernárdez (San José Earthquakes), Osman Chávez (Quingdao Jonoon), Juan Pablo Montes (Motagua), Arnold Peralta (Rangers), Bryan Beckeles (Olimpia), Emilio Izaguirre (Celtic), Juan Carlos García (Wigan).

Médios – Wilson Palacios (Stoke City), Roger Espinoza (Wigan), Luis Garrido (Olimpia), Jorge Claros (Sem equipa), Andy Najar (Anderlecht), Boniek García (Houston Dynamo), Mario Martínez (Real España), Marvin Chávez (Colorado Rapids).

Avançados – Carlo Costly (Real España), Jerry Bengtson (New England Revolution), Rony Martínez (Real Sociedad de Honduras), Jerry Palacios (Alajuelense).

A ESTRELA

Emilio Arturo Izaguirre Fonte: celebrityhairstylez.com
Emilio Izaguirre
Fonte: celebrityhairstylez.com

Apesar de não ser fácil destacar um jogador para ser a estrela da formação hondurenha, o nome de Emilio Izaguirre acaba por ser o mais consensual, quando comparado com Wilson Palacios. O lateral esquerdo do Celtic, com 28 anos (feitos a 10 de maio), é um jogador ofensivo e foi considerado na temporada de 2010/2011 – a de estreia neste país – o melhor jogador do campeonato escocês.

Emilio, como é mais conhecido, conta com 65 jogos por La H, tendo marcado um golo. Começou a carreira profissional no Club Deportivo Motagua em 2004, então com 17 anos. Com este clube hondurenho ganhou o Torneo de Apertura da temporada 2006/2007. Neste mesmo ano ganhou ainda a Copa Interclubes de la UNCAF, ano em que se disputou pela última vez este torneio, que reunia os campeões dos países pertencentes a esta associação.

Em 2010 mudou-se para a Escócia, onde é um titular frequente no Celtic. Sendo o clube escocês o crónico campeão do seu país desde a falência do Rangers, Izaguirre já conquistou três campeonatos e duas taças da Escócia nos quatro anos em que se encontra no país, tendo perdido o título mais importante apenas no ano da sua estreia, quando o Rangers se despediu dos títulos.

A grande revelação desta seleção pode vir a ser Andy Najar. Este médio, de 20 anos, é provavelmente o jogador com mais técnica desta seleção e pode vir a surpreender.

O TREINADOR

Luis Fernando Suárez Fonte: winsports.co
Luis Fernando Suárez
Fonte: winsports.co

O selecionador das Honduras é Luis Fernando Suárez. Este colombiano, de 54 anos, vai para o seu segundo Mundial, depois de em 2006 ter ido como selecionador do Equador, tendo levado esta seleção aos oitavos de final. A nível de seleções, teve uma primeira passagem pelo Equador entre 1995 e 1998, como adjunto; foi ainda adjunto na Colômbia em 1999, tendo ganhado nesse mesmo ano o Torneio de Toulon, sendo assim a primeira grande conquista na Europa de uma seleção colombiana.

A nível de clubes, treinou maioritariamente no seu país e no Equador, tendo também passado pelo Peru. Apenas conseguiu um título de campeão, quando ganhou na Colômbia, em 1999, aos comandos do Atlético Nacional.

O ESQUEMA TÁTICO

11 Honduras

O PONTO FORTE

O ponto forte desta seleção é o seu jogo coletivo. Uma defesa sólida e um ataque competente podem fazer com que criem dificuldades a várias seleções.

O PONTO FRACO

O ponto fraco tem de ir para a falta de experiência que muitos destes jogadores apresentam. Jogar em campeonatos pouco competitivos vai trazer consequências.

 

Em jeito de conclusão, penso que vai cumprir-se o ditado “não há duas sem três”, ou seja, a seleção hondurenha voltará a ser eliminada na fase de grupos. Mas, apesar disso, uns dias inspirados da sua parte, assim como uns jogos mais fracos do adversário, podem levar La H a passar a fase de grupos. Afinal, qualidade não falta. Falta é a experiência dos jogadores ao mais alto nível.