Anterior1 de 3Próximo


O segundo jogo do Grupo F opôs a Suécia à Coreia do Sul e começou mal para os suecos, logo antes do início do jogo, com a ausência de Lindelof devido a uma indisposição. Do lado dos coreanos, surpresa na baliza com a entrada de Cho Hyun-Woo para o onze inicial.

A Coreia entrou melhor mas não demorou até à Suécia responder e assumir o controlo da partida, obrigando os coreanos a recuar no terreno. Fruto deste controlo, começaram a surgir as oportunidades de golo, com destaque para um lance aos 20′, quando Toivonen, já dentro da área, conseguiu isolar Berg e este viu Cho negar-lhe o golo com uma defesa sensacional.

Até final dos 45’, a Suécia continuou a ser superior, mas sempre muito dependente dos cruzamentos de Lustig e não sendo capaz de materializar essa superioridade em golos, sendo que Cho Hyun-Woo, a meias com os seus defesas, foram chegando para as “encomendas”. Fosberg também esteve muito escondido, naquela que foi uma primeira parte, acima de tudo, marcada pela intensidade e agressividade colocada em todos os duelos, algo que resultou em 25 faltas.

Cho ia-se revelando como uma das figuras da partida
Fonte: FIFA

Os tigres voltaram a entrar melhor no segundo tempo e conseguiram a primeira grande oportunidade, logo no início, com um bom centro do lado esquerdo a encontrar a cabeça de Koo e a bola a passar muito perto da baliza defendida por Olsen. A resposta dos suecos aconteceu aos 55’: num lance de bola parada – uma das grandes armas desta seleção – com Larson a bater bem e Toivoven a cabecear para mais uma grande intervenção de Cho.

Os coreanos apareceram mais atrevidos e o jogo ficou mais aberto. À passagem da hora de jogo, Cho andou aos papéis e a bola sobrou para Claesson, que foi travado em falta dentro da grande área. O árbtiro assinalou grande penalidade após consulta do VAR e o capitão Granqvist fez, com muita calma, o 1-0. Doze anos depois, a Suécia voltava a marcar em Campeonatos do Mundo.

Depois do golo, a Suécia ainda continuou por cima alguns minutos mas acabou por dar a iniciativa de jogo à Coreia. Ainda assim, os tigres, que só tinham estado por cima nas entradas de ambas as partes, praticamente não foram capazes de incomodar Olsen. Exceção feita aos 91’, quando, no seguimento de um bom cruzamento ao segundo poste, Lee Jae-Seong cabeceia para Hwang Hee-Chan, só que este não consegue direcionar da melhor forma o seu cabeceamento.

No final da partida, vitória justa dos suecos, que foram sempre a equipa mais dominadora e coesa, ainda que não se sintam demasiado confortáveis nesta faceta de assumir o jogo. A Coreia optou por uma estratégia mais defensiva, só que nunca foi capaz de incomodar no contra-ataque e, não fosse o guardião Cho, o resultado até podia ter sido mais dilatado.

ONZES INICIAIS:

Suécia:
Olsen; Augustinsson, Granqvist, Jansson e Lustig; Claesson, Larsson (Svensson 81’), Ekdal (Hiljemark 71′) e Forsberg; Berg e Toivoinen (Thelin 77’)

Coreia do Sul:
Cho Hyun-Woo; Lee Yong, Kim Young-Gwon, Jang Hyun-Soo, Park Joo-Ho (Kim Min-woo 28’), Kim Shin-Wook (Woo-Young 66′), Koo Ja-Cheol (Seung-Woo 73’), Ki Sung-yueng, Lee Jae-Sung, Hwang Hee-Chan e Son Heung-Min

Foto de capa: FIFA

Anterior1 de 3Próximo

Comentários