Dupla-jornada decisiva da Selecção Nacional portuguesa rumo ao Euro 2020, que se vai realizar em vários países do velho continente. Depois de ter falhado o objetivo imediato de conseguir todos os pontos até ao final desta fase de qualificação, conseguindo o bilhete para o Europeu de forma inequívoca e no primeiro lugar, restam dois oponentes no horizonte que, em condições normais, e face à qualidade dos convocados, são “acessíveis”: Lituânia (em casa) e Luxemburgo (fora).

Numa breve análise aos convocados para estes jogos, temos desde logo três lesionados, dois deles já substituídos, sendo que o terceiro é João Mário, dado como inapto pelo departamento médico. Cristiano Ronaldo, também ele estará “em dúvida”.

SE JÁ SABES EM QUEM É QUE VAIS APOSTAR NO JOGO ENTRE PORTUGAL E A LITUÂNIA, APOSTA JÁ!

Em relação à última convocatória, e retirando da equação os três já mencionados, destaque para a estreia de Gonçalo Paciência, que eu considero ser justíssima. Sai João Felix, a recuperar de lesão. Há ainda a estreia de Domingos Duarte, central do clube “sensação” em Espanha, o Granada CF, bem como o regresso às opções de Éder, o herói do Euro2016.

Em suma, estamos a falar de uma lista de convocados da confiança de Fernando Santos, que se vê obrigado a mexer nos “habituais” que vinham sendo chamados, devido às lesões. Talvez agora para a substituição de João Mário, chamaria Adrien Silva, que está a jogar com mais regularidade e, em boa forma, é sempre um nome a ter em conta. Domingos Duarte recebe uma “prenda” pela boa época do seu clube, embora seja da opinião que Ferro, central do SL Benfica, também já merecia uma chamada às Quinas. Acredito que a seu tempo ela surgirá. Vamos aos jogos.

Um reencontro “sub21”, entre Bruno Fernandes e a grande estreia, Gonçalo Paciência. Desta vez, na selecção A
Fonte: FPF

Neste momento, se tudo acabasse agora, Portugal estava no Euro2020. A questão é que a Sérvia ainda pode qualificar-se e apesar de as esperança ser a última a morrer, neste caso específico, a esperança também tinha de ter ganho o Euromilhões. É certo, o futebol é um desporto imprevisível e tudo pode acontecer, mas se a nossa selecção, a campeã em título, não está presente no Campeonato da Europa com mais equipas de sempre, onde até os segundos passam diretamente, seria um verdadeiro escândalo.

Portugal tem 11 pontos e seis jogos disputados, enquanto a Sérvia tem menos um, com as mesmas partidas disputadas. Porém, mesmo que algo corresse mal à equipa das Quinas, na última jornada, a Ucrânia vai jogar ao território sérvio e eu, enquanto espetador de futebol, não acredito que percam o jogo.

O primeiro dos jogos da selecção é em casa, frente à Lituânia e o segundo, fora, frente ao Luxemburgo. Ambas as equipas deverão jogar de forma semelhante, com linhas muito juntas e com pouca profundidade, esperando um erro qualquer na construção atacante dos jogadores portugueses, para que possam sair em contra-ataque e tentar marcar.

Não estou a ver Fernando Santos a mudar a sua estratégia base para estes jogos, até porque é um treinador experiente, com muitos anos disto, e que sabe que a qualidade dos seus adversários, com todo o respeito pelos mesmos, não está ao mesmo nível da dos portugueses. Por isso, aposto no mesmo onze titular para ambas as partidas. Ora aqui está ele:

– Rui Patrício, Ricardo Pereira, Rúben Dias, José Fonte, Raphael Guerreiro, Danilo Pereira, João Moutinho, Bernardo Silva, Bruno Fernandes, Diogo Jota e Cristiano Ronaldo (desde que esteja em forma).

Defesa a quatro, normal, com Danilo e Moutinho no “miolo”, Bruno Fernandes e Bernardo Silva a serem os alas e a navegarem muito para o centro do terreno. Ronaldo e Diogo Jota, que creio será a surpresa, na frente de ataque. Um 4-4-2 que não é totalmente assumido, porque creio que muitas vezes, será 4-3-3, com Bernardo e Jota a descaírem mais na ala – como fazem nos seus respetivos clubes – e Ronaldo sozinho no meio.

De resto, estou confiante nas duas vitórias, mas creio que o Luxemburgo é a selecção que melhor se vai preparar: primeiro, porque tem mais qualidade colectiva que a Lituânia e, em segundo, jogando em casa, vai com certeza tentar aproveitar o facto de o relvado do Josy Barthel estar em condições deploráveis, porque já no jogo F91 Dudelange vs Sevilha FC, para a Liga Europa, o estava. Portugal aqui só tem de seguir a receita sevilhana, que lá conseguiu triunfar: jogar de forma mais prática e com processos simples, porque acredito que o pavimento não está para muitos virtuosismos.

 

Foto de Capa: FPF

Revisto por: Jorge Neves

 

Comentários