A CRÓNICA: GERAÇÃO DE “OURO” TERMINA FASE DE GRUPOS DA MELHOR FORMA POSSÍVEL

Na última ronda do grupo D do Campeonato Europeu de sub-21, Portugal encontrou pelo caminho a Suíça de Mauro Lustrinelli: o último obstáculo que separava a Seleção das Quinas dos quartos-de-final.

Já seria expetável a entrada de um Portugal superior e agressivo e não tardou muito a converter-se em realidade. Aos dois minutos de jogo, o capitão Diogo Queirós cabeceou a bola para dentro da baliza helvética após um grande cruzamento de Vitinha. A vantagem está feita (1-0) e posiciona Portugal numa situação avantajada e confortante. Com toda a calma do mundo, a formação lusitana dominou a primeira parte toda com uma circulação de bola muito rápida e diversas situações de golo através do corredor central.

O início da segunda parte revela um jogo mais equilibrado devido à reação suíça que procurava chegar às zonas de finalização e reduzir a vantagem. Portugal precisava de arrumar a partida com um segundo golo que chegaria aos 60 minutos de jogo. Fábio Vieira efetua um excelente passe para a desmarcação isolada de Tiago Tomás frente ao guardião suíço, porém não conseguiu finalizar e é Francisco Trincão que empurra a bola para o 2-0.

Na sequência deste balde de água fria para a equipa da casa, houve várias alterações táticas que pretendiam alterar o rumo do jogo. A verdade é que pouco ou nada mudou, pois a equipa estava completamente desnorteada. Aos 65 minutos, Francisco Conceição aproveita o erro defensivo e passa a ser o jogador mais novo a marcar pela seleção sub-21 com uma classe tremenda. Para piorar a situação, Miro Muheim leva dois amarelos em dois minutos culminando na sua expulsão aos 72.

Anúncio Publicitário

Os jogadores suíços estavam de cabeça perdida e o jogo estava entregue à Seleção das Quinas depois de uma exibição brilhante do ponto vista tático.

 

A FIGURA


Seleção de Portugal – Penso que Rui Jorge realizou um excelente trabalhado a nível tático na fase de grupos. Neste jogo, verificou-se uma clara superioridade da formação lusitana tanto nas zonas maia recuadas como nas mais avançadas. Conseguiu anular e travar o ataque suíço com uma defesa irrepreensível. No plano ofensivo, marcou três golos e criou inúmeras situações de golo com muita calma e assertividade. Está de parabéns, Portugal.

 

O FORA DE JOGO


Seleção Suíça – Honestamente, esperava um jogo mais equilibrado da Suíça. Precisava de marcar golos e no entanto, foram poucas as situações de perigo que causaram. Na minha opinião, era imperativo mais critério, uma saída de jogo mais forte e evidentemente uma finalização mais eficaz para poderem passar à próxima fase. Pecaram também defensivamente com aquele erro que dá origem ao golo de Francisco Conceição e ainda aquele momento de frustração com Muhiem expulso em apenas dois minutos de jogo.

 

ANÁLISE TÁTICA – SUÍÇA

A turma de Mauro Lustrinelli entra em campo alinhados em 3-5-2, embora apresentarem uma linha de quatro na defesa na maior parte do jogo. No meio campo, também optaram por quatro médios: Lotomba, Jankewitz, Domgjoni e Imeri. Na frente, estavam posicionados Ndoye e Mambimbi para tentar trazer sarilhos à seleção portuguesa. Após a expulsão de Miro Muheim, que jogava a lateral-direito, Mauro Lustrinelli recompôs a defesa de modo a acalmar e terminar o resto do jogo sem grande turbulência.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Racioppi (6)

Ruegg (5)

Bamert (6)

Van Der Werff (5)

Lotomba (6)

Jankewitz (6)

Domgjoni (7)

Imeri (6)

Muheim (4)

Ndoye (7)

Mambimbi (5)

SUBS UTILIZADOS

Fabian Rieder (5)

Bastien Toma (6)

Jérémy Guillemenot (6)

Andi Zeqiri (5)

Leonidas Stergiou (7)

 

ANÁLISE TÁTICA – PORTUGAL

Rui Jorge optou por um 4-3-1-2, tal como jogou frente à Inglaterra. No 11 inicial, Florentino Luís e Gedson abandonam a titularidade, depois de dois jogos. Daniel Bragança alinha-se à frente dos centrais Diogo Leite e Diogo Queirós e traz ao jogo estabilidade, segurança e uma maior capacidade de construção na transição ofensiva. Durante o jogo, Portugal apresenta uma postura firme com os timings de pressão muito bem definidos, uma excelente troca de bola e uma predominância do corredor central.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Diogo Costa (6)

Thierry Correia (6)

Diogo Queirós (8)

Diogo Leite (7)

Diogo Dalot (7)

Daniel Bragança (8)

Vitinha (7)

Fábio Vieira (7)

Pedro Gonçalves (7)

Francisco Trincão (7)

Tiago Tomás (6)

SUBS UTILIZADOS

Gonçalo Ramos (6)

Francisco Conceição (7)

João Mário (6)

Gedson Fernandes (6)

Filipe Soares (6)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome