Cabeçalho Futebol Internacional

Com o decorrer da 2.ª jornada da fase de grupos, já fui possível observar um aumento de qualidade de jogo entre as seleções que se encontram no Gabão a disputar a 31.ª edição do CAN, facto esse que agradou os amantes do Desporto Rei. Em seguida, irei fazer um breve resumo do que se assistiu nos oito jogos que se disputaram referentes à 2.ª jornada.

No grupo A, teve-se a oportunidade de assistir a duas ótimas partidas de futebol, embora com resultados distintos: um empate e uma vitória. O duelo que opôs frente a frente dois treinadores conhecidos dos adeptos portugueses – o espanhol José Antonio Camacho ao comando do Gabão e o português Paulo Duarte do lado da Burquina Faso, registou um empate a uma bola no final de jogo, embora com nenhuma das seleções a merecer sair derrotada neste jogo devido ao belo espetáculo que proporcionaram aos adeptos presentes no estádio. Na partida entre os Camarões e a Guiné-Bissau, a vitória acabou por sorrir aos camaroneses – 2-1 no final. Contudo, é merecido dar os parabéns aos guineenses pela enorme exibição que realizaram frente a um adversário reputado e apontado como um dos fortes candidatos à conquista da prova. Em relação à 3.ª e derradeira jornada, qualquer uma das quatro seleções parte com as aspirações intactas no que diz respeito à obtenção de um passaporte para os Quartos-de-final, embora a situação da única representante dos PALOP não seja tão favorável: encontra-se no último lugar do grupo com 1 ponto conquistado, tendo por isso a obrigação de vencer a Burquina Faso e esperar que o Gabão perca ou empate com os Camarões, para poder continuar a fazer história no CAN.

A 2.ª jornada fo grupo B ditou uma enorme surpresa: a favorita Argélia foi derrotada pela Tunísia, por 1-2. Num jogo onde os golos só surgiram na 2.ª parte, os argelinos não conseguiram provar em campo o estatuto de candidata à final do próximo dia 5 (muito por culpa da exibição inspirada do guarda-redes da Tunísia Aymen Balbouli), os tunisinos foram letais no contra-ataque e tiveram a vencer por dois golos de diferença até perto do fim do encontro, altura em que Sofiane Hanni reduziu a diferença no marcador. No outro encontro, o Senegal venceu por 2-0 o Zimbabué e tornou-se a primeira seleção a garantir a passagem aos Quartos-de-final do CAN’17. O senegalês Sadio Mané, atleta do Liverpool, voltou a ter um papel preponderante, ao marcar o primeiro golo do jogo e a ser um constante quebra-cabeças da defesa adversária. Com o Senegal já qualificado, a segunda vaga para a próxima será discutida entre a Tunísia e a Argélia, embora com As Águias do Deserto (alcunha da seleção tunisina) a partirem com ligeiro favoritismo para obter essa vaga, devido à vantagem no confronto direto.

Mané e Keita celebram o golo inaugural diante do Zimbabwe Fonte: Mirror
Mané e Keita celebram o golo inaugural diante do Zimbabwe
Fonte: Mirror

A Costa do Marfim continua a não conseguir acertar o passo, com vista à revalidação do troféu conquistado na edição de 2015. No seu segundo jogo no grupo C, os costa-marfinenses registaram o seu segundo empate na competição – 2-2 contra a República Democrática do Congo. No encontro entre Marrocos e Togo, os marroquinos foram mais fortes e venceram por 3-1. O defesa-central Manuel da Costa, ex-jogador do Nacional da Madeira, foi titular pela seleção marroquina e atuou os 90’. No que diz respeito à classificação atual deste grupo, a surpreendente República Democrática do Congo encontra-se em 1.º com 4 pontos, seguida de Marrocos com 3 pontos, Costa de Marfim com 2 e, em último, o Togo com 1 ponto conquistado. A última jornada neste grupo será de enorme incerteza nas duas partidas que se irão disputar (Marrocos vs Costa do Marfim e Togo vs R.D. Congo), uma vez que qualquer uma das quatro seleções poderá passar à fase seguinte da competição.

O grupo D já tem uma seleção apurada para a seguinte fase da prova, e trata-se do Gana que derrotou o Mali por 1-0, com o golo a ser apontado aos 21’ por intermédio de Asamoah Gyan. Quanto ao outro jogo deste grupo, o Egito bateu o Uganda pelo mesmo resultado. Com esta derrota, o Uganda é a primeira seleção a ser eliminada do CAN’17. Após esta jornada, o Gana está no 1.º lugar do grupo D com 6 pontos conquistados (fruto das duas vitórias por 1-0 frente ao Uganda e Mali), com as seleções do Mali e Egito a discutirem na última jornada quem é que irá acompanhar o Gana até aos Quartos-de-final.

Em conclusão, a principal ilação que se pode retirar desta jornada é a de que o estatuto de “favorito” de pouco tem servido às seleções africanas mais reputadas, dado que não têm conseguido provar dentro do campo esse mesmo favoritismo, como são os casos da Argélia e Costa do Marfim, que chegam à última jornada em risco de não ultrapassar a fase de grupos. Resta apenas esperar pela 3.ª e derradeira jornada para averiguar se as ditas seleções favoritas conseguem ou não alcançar os Quartos-de-final.

Foto de capa: Indian Express News

Comentários