internacional cabeçalho

Este início de cooperação com o BnR é a oportunidade de fazer chegar aos demais a minha interpretação do futebol e das suas casualidades e fomenta em mim um estado de exultação. Transpôe-me para o dia em que um miúdo rechonchudo, completamente compenetrado nas imagens duma televisão e na voz ímpar do repórter Nuno Luz, observava sem pestanejar a despedida de um mito da sua carreira de futebolista. Coincide o fim do percurso de Michel Preud’Homme pelos relvados com o início da minha devoção por este desporto.

Os dias passavam, e aquele histerismo em redor de tudo o que estava relacionado com o futebol cada vez era mais intrínseco em mim. Rebobinei vezes sem conta as cassetes VHS do meu pai com os jogos do Benfica, onde contemplava minuciosamente os voos daquele sujeito de cabelo farto. Fiquei a saber que foi dos melhores guarda-redes que passara por Portugal. Que chegou ao Benfica após a eleição de melhor guardião no Mundial de 94. Depois de “Saint” Michel, muitos outros intérpretes de nomeada passaram pela nossa liga.

Um país com uma expressão social tão diminuta perante a Europa, no que ao futebol concerne, faculta a este desporto personalidades com currículos avassaladores como os de Ronaldo, Mourinho e Jorge Mendes. O futebol português notabiliza-se como uma mescla entre a recuperação de jogadores com carreiras de sucesso, como são os exemplos de Júlio César, Casillas, Jonas, Saviola, Aimar, e tantos outros; e uma postura embrionária, onde as suas limitações orçamentais originam valências através do seu apurado coaching. Os exemplos são infinitos e deambulam pelos melhores clubes e pelas melhores ligas do mundo.

Considerei apelativa a criação de uma rubrica intitulada “Tubo de Ensaio”, onde elegerei um onze formado por ex-jogadores da nossa liga que se encontram em atividade e que se evidenciam no presente. O “Tubo de Ensaio” de hoje traz-nos uma composição que, na minha opinião, perfaz o onze mais valioso dos que já passaram pelo nosso país.

Anúncio Publicitário

Oblak

Aos 17 anos era o titular do NK Olimpija do seu país. O Benfica não passou alheio ao potencial do esloveno e adquiriu o seu passe. Da sua aquisição à integração no plantel, passou por Beira-Mar, Olhanense e UD Leiria. No Rio-Ave viria a realizar uma época notável, que lhe valera a oportunidade de ombrear com Artur Moraes pela baliza encarnada. Quer no Benfica, quer no Atlético teve de aguardar pelas lesões dos habituais titulares para garantir o seu lugar. Um percurso peculiar se olharmos aos 22 anos do jogador.

Danilo

Chegou ao FC Porto como médio interior e com o peso da quantia avultada desembolsada pela equipa portista. Repentinamente, fixou-se na posição de lateral direito, tendo, em 2011, obtido a sua estreia na seleção brasileira. Já este defeso Danilo movimenta nova quantia significante. O Real Madrid contrata o lateral por cerca de 30 milhões.

Thiago Silva

Apenas meia época no FC Porto, contudo a sua utilização nunca evoluíra para além da equipa secundária. Este défice de utilização não inibiu o Dínamo Moscovo de assegurar a sua aquisição. Atualmente no PSG, no currículo constam passagens pelo Milan e a braçadeira de capitão da canarinha.

David Luiz e Ramires foram campeões pelo SL Benfica  Fonte: globoesporte
David Luiz e Ramires foram campeões pelo SL Benfica
Fonte: globoesporte

David Luiz

Do Vitória da Bahia ao Benfica. A Luz rapidamente se rendeu ao menino dos caracóis. Polivalente e desinibido com a bola nos pés, realizou com Luisão uma das duplas melhor sucedidas do nosso campeonato. É, à data, o central mais caro da história do futebol.

Alex Sandro

Contratado meia época antes da chegada de Danilo, passou uma temporada como suplente de Álvaro Pereira. Após a venda do uruguaio não tardou em demonstrar todo o seu futebol. Este defeso a “vecchia signora” Juventus recruta o lateral, que, para muitos, é o novo Roberto Carlos.

Matic

Envolvido no negócio de David Luiz do Benfica para o Chelsea. Passa a primeira temporada na sombra de Javi Garcia. Após a transferência do espanhol, bastaram alguns jogos de Matic, para o seu refinado pé esquerdo conquistar a massa adepta benfiquista. O Chelsea emendou o erro e resgatou o jogador, que hoje é dono e senhor do meio campo blue.

Ramires

O queniano como era tratado em Portugal, face à velocidade estonteante com que conduzia a bola, foi das primeiras contratações de Jorge Jesus no Benfica. O Chelsea não perdeu tempo e após uma temporada do jogador em Portugal assegurou a sua aquisição.

James Rodriguez

O atual organizador de jogo do Real Madrid passou três temporadas em Portugal, no entanto, a sua posição na equipa portista passou sempre pelas alas. Posição que muitos defendiam subaproveitar o jogador. Mudou-se para o principado monegasco e após um Mundial 2014 em grande, passou a integrar os “blancos madrilistas”.

Hulk é uma das figuras do Zenit Fonte: UEFA
Hulk é uma das figuras do Zenit
Fonte: UEFA

Hulk

A quantia paga pelo FC Porto sobre um jogador que alinhava no Japão, e que em Portugal já havia representado o Vilanovense, originara algum descrédito até sobre os mais céticos. Os primeiros jogos de Hulk, logo dissiparam todas as dúvidas. Um diamante lapidado que para muitos seria jogador para equipas com outras aspirações.

Di Maria

Pedido expresso de Fernando Santos na época 2007/2008 para render Simão Sabrosa, Ángelito parecia ser uma promessa adiada. Após duas épocas intermitentes, só com a chegada de Jorge Jesus, o seu futebol explodira em definitivo. No currículo consta, uma Liga Espanhola, uma Liga dos Campeões e uma presença numa final dum Campeonato do Mundo.

Diego Costa

O hispano-brasileiro que originou um duelo de titãs entre o seu país e Espanha para assegurar os seus préstimos enquanto internacional, foi de todos, deste onze, o que chegou ao nosso futebol por uma equipa não pertencente aos “grandes”.

Chegou a Braga muito jovem, o que lhe valera um empréstimo ao Penafiel para ganhar rodagem. Seis meses chegaram para os bracarenses cessarem o empréstimo e reintegrarem o jogador. No final da mesma época fora contratado pelos “colchoneros”. Empréstimo após empréstimo, aproveitou da melhor forma a saída de Falcão, para hoje ser um dos avançados referência deste desporto.